Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

súplica...poema

 

 

não deviam existir campas, nem flores ,nem despedidas,

nem rostos molhados , nem lenços acenando,

nem  velas acesas que lembram  mãos erguidas...

 

não deveriam existir almas penando, nem mortalhas,

nem vidas sobrando em braços já cansados,

nem lábios parados que  lembram duras muralhas...

 

não deviam existir sonhos que terminam, doendo sem aviso

nem  longas madrugadas azuis, nem noites frias,

nem rostos  serenos de criança, sem sorriso...

 

não deviam existir olhos  maus , celas no mundo,

vozes que magoam, quando falam de amor sem conhecer

a dor de amar e amortalhar a alma lá no fundo...

 

não deviam existir amarras, gritos, medos,

nem pensamentos que golpeiam por querer,

nem beijos de amor , perdidos nos rochedos...

 

não deviam existir rugas no rosto, nem dor de envelhecer,

ninguém devía sobrar na vida de ninguém,

nem  medo de amar, todo o mundo a cada amanhecer...

 

porque não voltamos então de nossos sonhos mais refeitos

e arrebatando a beleza aos sons  da madrugada

experimentamos  gestos peregrinos, mais perfeitos...

 

porque não conseguimos parar o olhar de cada alma

no choque emocional de nosso secreto amanhecer

vivendo em harmonia, doce paz e eterna calma...

 

porque temos que passear no cais onde encostado,

se encontra temeroso nosso choro mais sincero,

dividido com as gaivotas que choram mesmo ao lado...

 

as pedras gastas do chão, dizem que estão

cansadas dos passos discretos das almas mais serenas

que gravam nomes de amor e dores do coração...

 

há longe um navio ancorado , sem nome ou rumo certo,

que tem asas de vento leste e sons de mar

e caminha ao nosso encontro e está  mais perto...

 

há deuses que destinam a vida que se esgota em nossos dias

fazem molhos de gotas de suor, das lágrimas dos crentes,

mas não oferecem aos homens que choram as suas alegrias...

 

há novas flores nos campos que nunca morrerão

cujos aromas e cores as tornam mais formosas

quando brotam e se alimentam do nosso coração...

 

vestida a alma , dos dons de cada ser, ao ver-se amada,

discreta em seu viver , perfumada se deixa conduzir

à planície do querer viver loucamente  tudo e nada...

 

 

lasalete... 28-8-08 ( coisas do fundo da alma)

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



gifs

CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D