1 comentário:
De zélia neno a 5 de Maio de 2007 às 02:42
Aquilo que nos é transmitido nesta mensagem, é o lado real mas obscuro da vida que impera neste planeta que habitamos e bem conhecido de todo o ser humano, minimamente consciencioso e preocupado com o que se passa em seu redor, que olha para o seu semelhante com um olhar de ver e não tão simplesmente só com um olhar por olhar.

Não é fácil olhar para homens e mulheres com quem nos cruzamos todos os dias, e ver em seus corpos o sofrimento causado pela miséria mas mais doloroso é ter conhecimento de crianças que chegam a este mundo onde nada de bom os espera, às vezes e infelizmente, nem o colo e afago das mães que em nove meses os geraram em seus ventres, tempo durante o qual já ia imaginando qual o destino a dar àquele inofensivo ser, por falta de condições de subsistência porque o apoio materno-infantil em vigor continua ainda muito longe daquilo que seria minimamente aconselhável

O resultado disso é visível ao sabermos de bebés recém-nascidos lançados em contentores de lixo, normalmente já sem vida, ou quando no coração da sua progenitora ainda existe o mais sublime tipo de amor, o materno, e esta opta por o deixar em local decente, viável de ser recolhido por alguém de alma caridosa.

Só que depois vêm todas as burocracias que regem este país e a pobre criança passa a ser alvo de um vaivém de instituição para instituição, até que já anos passados é, quando é, atribuído a uma família de acolhimento, que talvez já há muito tempo poderia estar a colmatar todas as carências materiais e especialmente afectivas tão essenciais a uma criança, desde o primeiro minuto em que respira fora do útero da mãe.

Quando chegará o tempo em que, todos aqueles que acreditam ser filhos de um Deus Superior, que mesmo colocando alguns obstáculos na nossa vida com os quais nos vamos fortificando como seres humanos e espirituais, e não nos dando tudo aquilo que às vezes Lhe pedimos porque gostaríamos de ter e que Ele retribui tão somente com tudo o que precisámos para cumprir esta jornada, se unam por uma corrente indestrutível de Amor, Caridade e Paz, capaz de modificar o actual estado degradado de tantas amarguradas vidas?

Isto não acontecerá enquanto se repetir a velha história passada quando, um dia, foi atribuída uma importante tarefa a quatro conhecidas personagens: -Todo o Mundo, Alguém, Qualquer Um e Ninguém.

Todo o Mundo estava certo que Alguém a faria. Qualquer Um poderia tê-la feito, mas Ninguém pensou nessa hipótese. Alguém reclamou, porque a tarefa era de Todo o Mundo. Mas Todo o Mundo estava certo que Alguém a faria. Só que Ninguém podia imaginar que Todo o Mundo se ia colocar na qualidade de espectador, acabando por culpar Alguém porque Ninguém fez o que facilmente Qualquer Um poderia ter feito.

Se este trocadilho de palavras conseguir alertar os nossos sentidos e sentimentos, então FAÇAM FAVOR, mãos à obra pois a hora é esta, Hoje, porque o Amanhã já poderá ser tarde.
Zélia

Comentar post