De zélia neno a 7 de Maio de 2007 às 01:03
O dia está quase a findar, mas só agora tive oportunidade de visitar este blog, pois é um hábito diário, porque tentei aproveitar o dia de hoje na companhia dos meus dois queridos filhos e da minha querida mãe, que nos seus 88 anos, diz sentir-se a mãe e avó mais feliz do mundo.
.
Como sempre, as palavras do blog são sempre incontestavelmente belas, mesmo quando falam da fome, da doença ou da crueldade do mundo em que vivemos, pois são escritas pela mão de alguém muito especial, única até, mas que teve a bênção divina ao ser incumbida da ingrata tarefa de despender a maior parte da sua vida tentando minimizar as necessidades dos mais carenciados. Seu nome todos nós o sabemos: - Lasalete.

No desempenho da função que Deus lhe atribuiu, ao longo dos anos tenho ouvido muitos dos utentes que acorrem ao Coração da Cidade, dizer:
- A Dona.Lasalete é mais que nossa mãe!

De certo que alguns deles hoje não se esqueceram de lhe dirigir uma palavra de apreço pelo reconhecimento de tudo que ela e voluntários da obra lhes têm proporcionado. Mas muitos mais há que talvez o não tenham feito. E foi pensando nesses, que eu decidi ocupar alguns minutos desta bonita manhã de domingo escrevendo um humilde e simples verso e lho enviei através do telemóvel.

Mas como neste blog nos é pedido que enviemos algumas palavras alusivas a este dia dedicado às mães, eu não o faço com o que escrevi e entreguei à minha, até porque ela não navega na Net, mas tomo a liberdade de transcrever o que enviei à minha amiga, editora deste blog.

O Dia da Mãe é hoje
Somente para festejar
Todos eles são bons dias
Para mãe e filhos se amar.

Como todos os teus “filhos”
Hoje não te conseguirão falar
Envio-te estes versinhos
Para a ocasião marcar

Na “jornada” que aqui e agora vives
Teu ventre duas amorosas filhas gerou
Mas Deus Pai quis dar-te muito mais
E centenas de filhos seus te entregou

Filhos com sofrimentos diversos
Que o tempo tende a aumentar
Mas só tua Fé e enorme coração
Os vai conseguindo amenizar.

Quando eras uma linda menina triste
A quem a falta de colo de mãe causava dor
Não podias sequer imaginar que um dia
Teu colo a tantos dás, na mais bela forma de amor.

BEM HAJAS POR MUITOS E LONGOS ANOS.
Zélia
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres