4 comentários:
De INCERTO a 10 de Junho de 2007 às 22:49
Boa Noite D. Lasalete ..

Ao ler este poema em tom de fado, imaginei a grande Amália decorando no seu lamento a triste sina de um Povo que apesar da dor vai vivendo entre a dor e a incerteza do futuro...

Agradecendo o poema desejo que a semana que se inicia seja próspera de realizações e menores dificuldades para a Senhora e vossa Obra...

Permita-me deixar aqui um poema que desconheço o autor...

APRENDENDO A VIVER

Aprendi que se aprende errando
Que crescer não significa fazer aniversário
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem
Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela
Que quando penso saber de tudo ainda não aprendi nada
Que a natureza é a coisa mais bela na Vida
Que amar significa se dar por inteiro
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos
Que se pode conversar com estrelas
Que se pode confessar com a Lua
Que se pode viajar além do infinito
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde
Que dar um carinho também faz...
Que sonhar é preciso
Que se deve ser criança a vida toda
Que nosso ser é livre
Que Deus não proíbe nada em nome do amor
Que o julgamento alheio não é importante
Que o que realmente importa é a Paz Interior
E finalmente, aprendi que não se pode morrer, para se aprender a viver...

Um grande Bhaja para a Senhora e todos os voluntários da Obra do Amor ao próximo...

INCERTO
De Fernando Correia a 11 de Junho de 2007 às 15:26
Olá INCERTO!

Venho dizer-lhe que gostei muito deste poema...
Tenho lido aquilo que muita vez, nos vai dizendo, gosto; não tenho muito tempo neste momento para explanar o meu pensamento, mas, não quero deixar passar a oportunidade de o cumprimentar e, dizer-lhe que seria bom que deixasse o anonimato, para as pessoas que frequentam a obra do "Coração" pudessem trocar algumas ideias com o senhor, quem sabe se não poderíamos fazer amizade?
É tão difícil (fazer) ganhar! amigos.
Uma boa tarde, para si e, já agora aproveito para também enviar uma saudação muito especial para os voluntários do "Coração da Cidade".
Bem-haja
Fernando Correia
De lapieta@sapo.pt a 11 de Junho de 2007 às 20:35
O poema " tocai para mim um fado " é uma psicografia
de Amália

mas o poema do Sr. Incerto com que ele comentou o poema da Amália é muito bonito
De INCERTO a 11 de Junho de 2007 às 23:46
Boa Noite Sr. Fernando Correia...

Obrigado pelas palavras, mas o manter o anonimato não é por acaso, e sei que bem podia evitar aqui, mas com certeza o Amigo (permita que o trate assim) Fernando aceitará que me mantenha assim...

Quando pensei em usar este nome "INCERTO" foi mesmo com o propósito de manter assim mesmo, incerto por tudo que me possam julgar e assim evito julgamentos, sou real e humano, e muitas vezes penso que a amizade não nasce do nada, nasce de pequenos gestos e enquanto para si sou anónimo , não estou a ser leal com algumas pessoas, porque eu sei quem o meu Amigo é.. nunca falei com o Senhor, mas em relação a ganhar amigos, não vejo isso por esse prisma, eu não os ganho, eu conquisto, ou seja eu escolho e não estou a dizer com isto que não escolho o Senhor, nada disso, apenas para que me deixe manter o anonimato, porque o objectivo é isso mesmo... como alguém disse no provérbio "Uma mão lava a outra, mas as duas lavam a face" e que "A tua mão direita não veja o que faz a esquerda"...

Ao escolher participar no blog, foi porque gosto do Coração da Cidade e do que está nos dando como Portugueses, porque obras destas só tinha ouvido falar que existiam no "Brasil" e sentido que a obra devia ser de todos nós, nada como me manter neste papel, para conseguir admirar a grande obra que é o Coração da Cidade, e pode acreditar Amigo Senhor Fernando Correia, um dia tb vou pertencer de corpo e alma (sim corpo e alma) porque de alma já sinto que pertenço e tudo que possa e dentro daquilo que eu possa fazer, o Coração da Cidade, já faz parte de mim, ou seja, olho com outros olhos quem me rodeia.. ensinou-me tanto pedindo tão pouco.. será que é preciso mais que isto? Será que ao admirar-mos a Obra não somos todos o bater deste Coração que é enorme que tem o centro pulsar da D. Lasalete .. e os seus pulsares que tanto fazem no anonimato...

Divulgo a Obra que existe em atitudes, que não vive para a imagem, que está patente no Porto que bem precisava desta obra e sei e sinto, porque acredito na Pessoa que dirige a Instituição que nasceu e há-de subsistir para além da memória até que os homens queiram mudar a face da sociedade...

Boa Noite Sr. Fernando Correia...

Comentar post