1 comentário:
De Fernando Correia a 23 de Julho de 2007 às 00:42
Boa noite, D. Lasalete

Ao ler o que a senhora escreveu hoje, e porque hoje é Domingo, permita-me comentar este seu blog com algo que aconteceu, e que vem entroncar em alguma medida com o Domingo e com o casamento...

Há um pouco mais de três anos casou uma filha minha, numa cerimónia muito bonita e que me emocionou extraordinariamente, mas cuja festa ficou marcada por desavenças entre familiares meus...

não interessa aqui dissecar o que se passou, quem teve razão, quem não teve...mas, o que é facto é que pouco tempo depois a minha mulher cortou relações com irmãos e mais familiares meus, tendo a partir daí deixado de frequentar praticamente as casas dos meus irmãos (7), incluindo a minha mãe...raramente se falando desde aí e ficando eu no meio disto, a ter de lidar com isto com pinças, para não melindrar ninguém, mas a sofrer por não poder conviver com aqueles que são as minhas referências mais antigas.

Hoje, como quase todos os domingos de manhã, fui buscar a minha mãe que é viúva, para a levar à missa; quem veio abrir-me a porta foi a minha irmã mais nova, que vive com ela,a qual antes de eu ver a minha mãe, me foi dizendo que estava muito preocupada, porque a minha mãe, há algum tempo que vem dizendo que "sente que alguém" durante a noite está ali consigo, e que vêm para a levar; a minha irmã, para a sossegar disse-lhe que iria dormir com ela e, assim fez...só que aconteceu uma coisa extraordinária, a minha irmã, também sentiu, que alguém estava ali...disse-lhe o que eu pensava, e porque a minha mãe se aproximava, a conversa morreu por ali...

no trajecto, disse à minha mãe, para não ter medo, que ninguém estava ali para lhe fazer mal...penso mesmo que é o meu pai, que está talvez à procura de ajuda para encontrar o seu caminho, embora tendo partido há muitos anos, tem ainda de obter o perdão da mulher e dos filhos para ter paz...disse-lhe para nas suas orações diárias, fazer uma oração precisamente por intenção daquele que certamente está necessitado disso, assim como quando sentir a presença "dele".

Fui almoçar fora, para não dar trabalho à minha mulher; ao almoço sentindo que eu estava com algo no pensamento, perguntou-me o que é que se passava...contei-lhe, embora sabendo que ela se recusa a acreditar que algo existe para além daquilo que nós vemos...não tem fé...por enquanto...

para surpresa minha, diz-me: - que é que tu achas de irmos depois do almoço, lá a casa da tua mãe, visitá-la e à tua irmã?

o meu coração rejubilou!

não foi ainda um encontro de abraços, de alegria, de euforia como era antigamente, mas foi dado o primeiro passo, de muitos que eu tenho a certeza vamos dar para a reconciliação total...

mais uma vez, tenho algo de muito importante para agradecer a DEUS.

Obrigado meu Deus, por trazeres a paz ao coração daqueles que trago no coração.

Obrigado D. Lasalete por ter este sítio, onde eu posso deixar expresso o meu pensamento.

Uma boa semana para a senhora e os seus...

Para os voluntários, muita coragem e sempre um sorriso, de quem os aprecia e admira.

Bem-hajam

Fernando Correia


Comentar post