Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

casa de cartão...

     A nossa memória é surpreendente... os cheiros, as cores , os sons... trazem à nossa alma lembranças que de certeza falam de momentos que pela sua diferença ,ficam para sempre a marcar o nosso espaço emocional.

ouvi a melodia ... as lágrimas emolduraram meus olhos... e de repente plasmei em meu olhar a negra mais simpática do Coração da Cidade ... há quanto tempo...

chamava-se Esperança... onde estará neste momento? , já não falo com ela vai para três anos, mas recordo de vez enquanto o seu olhar , a sua forma crioula de falar e da expressão vigorosa a sensual do seu corpo...

contava com severa nostalgia, que tinha sido a mulher mais cobiçada do musseque mas o seu coração balançou por um branco que não a largava...

Esperança deu-lhe 5 filhos e por alturas do 25 de Abril, a liberdade de Esperança estava prestes a chegar ao fim... deixou o sol dourado de Angola, o cheiro a cravo e a canela e veio para conhecer Portugal... mas as trigueiras do Minho falaram mais alto...

Esperança não consegue adapartar-se à vida de Portugal... e o senhor Branco, logo a troca por uma branca roliça e deslavada como ela lhe chama...

o álcool não lhe deu hipótese de ficar com alguma segurança com os filhos de quem tem muita saudade... o senhor branco ainda a ajudou durante algum tempo , mas sempre a empurrou para longe dos filhos, o que a colocava cada vez mais, na dependência dessa doença fatal, que ela tomou como agasalho para cobrir a sua solidão.

os filhos formaram-se e ela dizia com lágrimas nos olhos... eu tenho um filho engenheiro... mas tem vergonha de mim...

a nossa Esperança , era muito divertida... fazia parte das mulheres sem abrigo que são hospedes certas das ruas do Porto... quase diariamente levava um cobertor para se cobrir do frio e permanecia na instituição até à hora de encerramento, depois saía a falar baixinho num dialecto que só a alma dela entendia...

um dia entrou mais cedo  para a refeição da noite... então ria a bom rir e repetia... ontem fintei um polícia... e passou a contar a história , que para ela , representava a vida na concorrência mais simpática com a dita justiça , que não consente que aqueles que são injustamente colocados na rua, nela adormeçam, ainda que consentidamente pela inoperância dos sucessivos governos...

então... um dia, a Esperança da nossa história, na esperança de encontrar o mesmo lugar de sempre para adormecer , deparou-se no local habitual, com uma caixa de cartão de considerável tamanho e não pensou duas vezes...  uma casa de cartão deste tamanho à minha espera? ! ... pega no cobertor que a instituição lhe distribuiu e há que entrar sorrateira para dentro da caixa...

estava a Esperança já no seu primeiro sono, quando o polícia habitual passa perto da caixa de cartão e de pontapé aqui e acolá chuta a caixa, que imobilizada pelo peso da Esperança não se move nem um pouco... eu até podia ter gritado ... dizia ela ... mas se gritasse o polícia mandava-me sair de casa ... e riu a bandeiras despregadas ...  dormi nela a noite toda ... logo os lixeiros vão levá-la , mas hoje ainda deu para dormir...

e o polícia ? - perguntei a rir também ... foi-se embora a resmungar ...que os lixeiros não sabiam limpar a rua ... mas nem sequer percebeu que eu estava lá dentro, senão ... oi... oi... bem tinha dormido ao frio.

e assim a Esperança, fintou o polícia ...  em silêncio, sem dizer ai, para que apenas por uma noite se pudesse abrigar dos olhos dos outros e dormir fantasiada de proprietária dum apartamento de cartão.

depois de contar a história saiu...  cantava divertida...  olhava de soslaio para ver se tínhamos gostado da história e afastou-se cantando ...  morena de Angola que leva o chocalho agarrado na canela, não sei se ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela... e foi a cantar rua abaixo, quem sabe se na esperança de encontrar outra casa de cartão...

dramas da rua duma cidade que acorda e adormece fingindo que tudo está bem.. resta-nos a esperança...

lasalete                          

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



gifs

CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D