1 comentário:
De Zélia neno a 3 de Março de 2008 às 14:47
Mas que Mundo é este no qual estamos vivendo e quando todo o mundo pede mais Serenidade e Paz para todos, indiscriminadamente de sua cor, sexo, credo ou opção politica e até desportiva?

Acabei de ler esta mensagem e no minuto seguinte comecei a ouvir o noticiário das 13 horas nesta 2ªfeira, inicio de mais uma nova semana e quase início do terceiro mês deste 1º trimestre de 2008. E que ouvi eu, logo como notícias de abertura? Violência, violência e mais violência… 6 pessoas assassinadas no espaço de uma semana!!! Não atingiu ainda as 9 pois os últimos actos, um na minha querida cidade do Porto e um outro em Viseu, não lograram atingir a finalidade a que aqueles disparam se propunham, que de certo seria acabar com mais 3 vidas. As razões só os intervenientes as saberão e talvez já a polícia, mas será que neste “cantinho à beira-mar plantado”tudo se está a resolver com uma arma na mão, desde ajustes de contas a simples assaltos de qualquer tipo ou mesmo até a uma discussão gerada entre condutores sem o sentido de responsabilidade que essa posição exige e rápido perdem o controle daquilo a que chamamos paciência para nos movimentarmos no trânsito citadino, o mesmo tipo de controle que se deve ter quando se assiste a um jogo de futebol, que como desporto que é teria que ser visto e aceite serenamente, sem a euforia desmedida que leva não só aos insultos verbais como à violência física, como ontem aconteceu num dos nossos campos de futebol!..

Esta vida é dura…muita dura…quando perante isto e cada vez mais nos deparamos com homens, mulheres e crianças que nos estendem a mão porque seus estômagos estão vazios ou tão simplesmente ouvimos balbuciar”…tenho frio…” Ninguém vem a este mundo em passeio, viemos em trabalho e para isso é necessário actuarmos com algo mais do que utilizar os nossos cinco sentidos, é necessário e urgente vermos o mundo que nos rodeia com os olhos da alma, sem medo e sem egoísmo, pois talvez só assim nos conseguiremos ajustar às leis da verdadeira Vida à qual fomos destinados a usufruir nesta jornada, pois não sendo ela estática nos permitirá alcançar a transformação que nos pode conduzir à tal felicidade que todos gostaríamos de ter, usufruindo assim de mais alegria do que tristeza, de mais abundância do que carência e de mais Paz entre os Homens.

Eu continuo a sonhar que isto será possível, mas sonhar só não basta, é preciso agir e actuar pois sem acção os sonhos se desvanecem…e podem acabar por morrer. Eu não quero deixar morrer os meus e por tal tento compreender os que diariamente comigo se cruzam e com eles aprender algo de novo sem nada exigir a não se de mim própria, pois sei que a Felicidade é um estado de espírito e que sendo um sentimento que guardo religiosamente dentro de um cofrezinho, só eu mesma tenho em meu poder o segredo e a chave para o abrir e deixar fluir em meu redor e cada dia é um novo dia.

Como julgo não estar enganada, perdoem-me pedir : Tentem pensar assim …e mãos à obra.

Um abraço envolto pela Esperança de um Amanhã melhor.
Zélia

Comentar post