2 comentários:
De Maria a 17 de Junho de 2008 às 18:12
Sou leitora assidua deste blog. fiquei a conhecer o Coração da Cidade em 2005 por uma assistente social fiz uma ficha de pedido de auxilio, largos meses depois recebi um telefonema a perguntar se ainda queria continuar com o apoio, apoio que nunca recebi, disse que não que graças a deus a minha vida tinha mudado, mal eu sabia que passados uns meses iria voltar a precisar de apoio. Dirigi-me mais uma vez a secretaria do Coração da Cidade onde me foi dada uma ficha para preencher, reuni todos os documentos pedidos, apenas não consegui arranjar onde fazer voluntariado. Quando me dirigi para entregar os documentos não consegui passar da porta pois o senhor que me atendeu disse-me que não aceitariam falar comigo se não tivesse onde fazer voluntariado, não me perguntou o porquê de eu estar ali, qual a minha condição fisica, quais os meus problemas de saude, apenas me barrou a passagem.
Devo dizer-lhe tenho 35 anos tenho um problema oncologico, varios problemas do foro reumático e estou com uma depressão o meu marido agrediu-me e abandonou a casa para ir viver com a sua amante deixando a meu encargo uma filha ainda menor com um grave disturbio alimentar, tenho uma reforma por invalidez no valor de 236 euros, decerto que haverá pessoas com problemas mais graves que o meu. Para mim já é muito triste ter de pedor este tipo de auxilio, não estou doente por que quero nem recebo esta miseravel reforma por opcção mas quando a entrada me foi barrada e o direito a candidatura negado, senti-me triste por me negarem a posibilidade de explicar a minha siruação e não me darem opções.

Desculpe por este relato mas estava-me a pesar na alma

Até sempre
De lapieta@sapo.pt a 19 de Junho de 2008 às 05:18
gostaria de entrar em contacto com esta pessoa que me endereçou este comentário

lasalete

Comentar post