Sábado, 16 de Agosto de 2008

chuva de Agosto ...

 

 

 

 

dizem que em Agosto não devia chover...
mas por incrível que pareça, a chuva sempre vem beneficiar alguém ou algo quando cai diluída e mansa...
os veraneantes é que não estão muito de acordo  e todos os que de algum modo resolveram eleger o mês de Agosto para férias devem estar um pouco incomodados...
 
 
vinha eu embalada neste pensamento e silenciosamente observava a chuva que me recebeu mal pus os pés fora de portas...
 
ao aproximar-me da cidade grande, penetrei num ambiente de mistério…
olhando de frente todas as janelas, que de certa forma fechadas, denunciavam o final de semana, penso eu que lá dentro ainda deviam estar a descansar…
 
hoje a cidade de granito, se apresentava ainda mais cinzenta, coberta pela pluviosidade que a envolvia, forjando um manto fino e transparente, parecendo até que queria propositadamente parecer mais casta e que se vestiu para noivar … tão branca e fria estava a cidade…
 
olhei o céu e perguntei porque chorava...
 o céu não me respondeu, mas ignorando o silêncio, perguntei a Deus se o pranto que envolve os seres da Terra, subindo gota a gota, seria parecido com o manto fluido que me era dado observar...
 
quis sentir o panorama emocional que abrangia o meu Porto e recuei...
 
eu sabia de cor  o pranto de quem não tem dias de coisa nenhuma, vivendo como se os dias fossem sempre iguais, sem cor, sem brilho, sem perspectivas e sem amor...
eu sei de cor  o pranto que a cada  momento sobe como oração nos leitos dos hospitais de onde apenas se recolhe dor e um abafado gemido... chegada que está a hora, para que, talvez com menos dor lhes seja possível observar a Terra de outro plano...
eu sei de cor  o pranto de quem despertou de olhos molhados, denunciando a solidão...
 
entendi também que com a chuva, os bancos de jardim ficarão abandonados...não poderão receber os namorados e os velhos que já não namoram porque perderam o brilho no olhar…
as pombas voarão em  outro sentido... talvez porque os pardais que as convidam ao desafio, estão também eles abrigados nas copas das árvores que nesta altura do ano se oferecem frondosas e perfumadas...
 
já no ventre da cidade... a mesma imagem de sempre... um jardim que se oferece como cama de vital necessidade a um sem abrigo... que por acaso conheço de longa data...
 
voltei atrás no tempo e lembro-me deste homem quando chegou à cidade e o informaram que no Coração da Cidade podia alimentar-se...
nesse dia entrou calado e observador...
ao entrar parou  de repente diante da imagem de Jesus que tínhamos colocado na entrada do nosso pequeno refeitório e que outros sem abrigo veneravam e olhavam, com respeito...
o homem que hoje dormia no jardim onde é habitual encontrá-lo , olhando Cristo nos olhos endereçou-lhe insulto vigoroso  e deixou no ar angústia e pesar pela forma odienta com que Lhe tentava imputar as culpas da sua situação..." - - sempre te encontro... até aqui me esperas"... 
falei-lhe de modo brando e perguntei-lhe que mal lhe tinha feito o Mestre de Nazaré... e ele de modo irado e decidido culpou o Cristo por não ter feito o suficiente para que não houvesse fome no mundo... e não quis falar mais sobre o assunto... recusou-se  a comer... parecia incomodado e partiu...
 
não mais se separou do Coração da Cidade ao longo destes 12 anos...
 
hoje ao olhá-lo no  jardim, dormindo como se estivesse na melhor cama do mundo, pedi a Jesus por ele... mas sei que ainda dormirá no chão durante muito mais tempo... porém acredito que embora a má disposição de que se reveste constantemente, haverá algures alguém que o amará... quem sabe um anjo condoído da sua sorte...
 
a cidade alheia a este e a outros dramas que se estendem por aí e que nem mesmo a chuva consegue ocultar, pelo contrário quando o céu chora são mais vivos e mais cruéis os dramas de quem não tem tecto... o drama de quem não tem ninguém...
 
se os pássaros ainda se podem abrigar na copa das árvores… ao ser humano nem isso é permitido... por incrível que pareça, a quem nada possui só lhe resta mesmo o chão... ironia do destino...
 
se Deus tivesse dado ao homem asas para voar, pelo menos árvores não faltavam para que os homens  descansassem...
 
o Arquitecto Divino ainda tem muitos espaços erguidos, verdes, frondosos, de várias fragrâncias, espalhados por aí, mas só servem aos passarinhos e mesmo assim, o bicho homem ainda não satisfeito derruba alguns deles para construir espaços de betão para quem pode dormir longe do chão...
 
só Deus mesmo, para suportar tanta impiedade...
 
talvez por isso mesmo chova fora de tempo e o tempo nos comece a ensinar que o homem não domina tudo ... não domina todos... nem durante todo o tempo...
 
mas ao entrar na cidade não pude esquecer aqueles que são meus irmãos de luta e que estão de férias para um merecido descanso e de quem já tenho saudades... eles são a minha energia, a pinha paz, a minha mais predilecta melodia, ao lado dos quais vivencio as mais belas lições de solidariedade ...
 
para eles e para todos... embora a chuva ... boas férias ...
 
lasalete

 

 

 

 

 

neste momento eu estou ...: leve... leve...
publicado por lapieta@sapo.pt às 11:46

link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 14 de Agosto de 2008

medos...

 

 

onde estão...
porque se escondem meus medos , que de mim fazem servo constante ?...
 
por onde peregrina a nossa coragem que na altura de estar presente, parece ausentar-se como se pressentisse que a qualquer momento terá que intervir ?...
 
os medos medonhos que todos os seres humanos carregam, vêm visitá-los de vez em quando, parecendo medir força com a gente ...
 
dizem que os medos se vestem de negro...
 
será ?...
 
 
hoje em dia os medos serão os mesmos?...
dizem até que determinados medos foram alojados no nosso inconsciente pelo incrustar constante de fantasmas que as diversas religiões foram impondo, ao invés de libertarem o ser humano e concorrerem para que fossem mais felizes as almas que ao seu cuidado se colocaram...
 
os medos não passam de patamares de ignorância, por onde ainda transita o ser humano.,.. mas, no entanto não deixam de estar presentes na nossa vida, mesmo na vida de quem se pensa acima do conhecimento comum... daí depreendemos que não é fácil arrumar os medos...
 
de uma forma ou de outra ,os medos moram connosco...
 
os que conseguem viver sem deixar transparecer os medos, avançam com mais facilidade...
os que não são capazes de conviver com eles. vão procurar ajuda especializada para os conseguirem entender e ultrapassar...
 
os que não conseguem falar dos seus medos, porque na maioria os tomam por pecados inconfessáveis ou entram em depressão ou se atiram inadvertidamente pela porta do suicídio, parecendo até que os medos são um caminho sem volta...
 
a felicidade do ser humano é tanto mais concreta , quanto mais fácil se torna ultrapassarmos a barreira do medo...embora não sendo fácil não é impossível...
 
os diversos espaços de medo e até de terror, prendem-se com os chamados desvios palpitantes que cada um de nós traz consigo, a reboque da última reencarnação...
são os medos mais lactentes e por vezes mais assustadores... mantemos esses medos em relação a nós e até em relação às pessoas mais queridas e que privam de mais perto connosco...
 
o desapego à matéria e o estudo sistematizado das diferentes parcelas espirituais, onde é possível perceber que afinal nós estamos na Terra apenas de passagem e que tudo o que nos rodeia é quase irreal e perecível , nos arrancaria metade dos medos, que muitas vezes se revelam em princípios de frustrações incontroláveis e perfeitamente definidas em nossa vida...
 
o medo de amar, por exemplo, depois de termos sido sujeitos ao desencanto...
a frieza inultrapassável perante a dor ,depois de termos sido abandonados, que nos torna cada vez mais possessivos em relação aos demais, principalmente aqueles que são objecto da nossa afeição...
o medo de acreditar em alguém, depois de nos terem mentido...
 
o medo de adoecer, se por acaso em outra vida fomos deixados ao abandono da cura ou isolados sem assistência médica...
 
o medo de estar , ou de adentrar um espaço escuro... que nos mostra isolamento ou desencarne violento e incrivelmente doloroso... quer acreditemos ou não que existimos em outras vidas...
 
o medo de se perder alguém, prende-se muitas vezes com um nascimento desesperador, ou provocado  por uma acção abortiva ou provocado por forte pressão ao abandono enquanto crianças...
 
o forte sentimento de culpa, por uma ou outra razão, quase inexplicável deve-se ao facto de não nos perdoarmos a nós próprios, depois de termos sido responsáveis por uma acção menos justa...
 
a fome a que fomos sujeitos, provoca também em nós o medo de não ter alimentos e também a avidez quase mórbida por nos alimentar-mos constantemente...
 mas também o medo de se alimentar , que desce vertiginosamente para espaços de anorexia e bulimia... vem a ter espaços de acção e reacção no esquecimento de si próprio em outras vidas e no carregar constante de sentimentos de culpa dos quais não consegue desviar-se...
 
se não gostarmos de nós, ninguém gostará...
 
é urgente que nos sintamos em nós e gostemos de nos observarmos, tal qual somos, para nos presentearmos com mais e melhor aperfeiçoamento no campo dos medos , onde quase tudo pode ser ultrapassado se for devidamente esclarecido e acompanhado...
 
fale diante do seu espelho e fale consigo... cara a cara... fale do que tem medo e peça ao rosto do espelho ( que é seu) que lhe diga , porque está tão pesaroso...
estabeleça este franco diálogo e observe as suas características faciais a mudarem gradualmente, como se o outro ( o do espelho) não fosse conhecido...
 
adiante que gostaria de mudar e use esta terapia pelo menos dia sim dia não, para que aprenda sem rodeios a falar de tudo o que não gosta e que mora dentro de  si ... nesse esconde, esconde , está o responsável por esses bloqueios que não lhe permitem uma vida saudável...
 
aventure-se... viva tudo o que não viveu, com prudência e sem medo de ser condenado por Deus...
Deus não condena , nem premeia...
as leis são universais e estão perfeitamente estabelecidas desde o início da vida e a elas estamos sujeitos inevitavelmente...
 
o bem e o mal se constituem arguidos num processo a que se chama karma colectivo e aí ,em todo o movimento universal os nossos movimentos individuais têm um papel muito importante...façamo-nos portanto  adeptos do bem, do bom e do belo...
 
quando assim nos  colocarmos , veremos  que ter medo de nada vale... afinal ninguém se  estabelece na Terra para sempre...
tudo é passageiro e o que interessa é fazer o bem que se pode e o melhor que soubermos  sobre todas as coisas...
a vontade de acertar também destrói os medos que há em nós...
 
se formos pouco a pouco reduzindo o egoísmo os nossos medos se desalojam e libertos vamos evoluir mais rápido e melhor, intuindo da fonte de sabedoria tudo quanto for necessário para a nossa evolução...
 
brilhar é o nosso fim... como se fossemos estrelas na noite dos medos...
desenhemos um arco íris de esperança e saltemos para o palco da vida.,.. sem medo...
eternamente apaixonados por  tudo o que há para realizar e por toda a gente...
 
agora descanse.. arrume as suas ideias e deixe-se embalar por um gostoso repouso... sem medo de sonhar...sem medo de amar livremente... sem medo de se apaixonar...
 
ame acima de todas as coisas e lute para ser feliz...
 
o medo esgota-se quando na sua vez cresce a esperança...
 
lasalete

 

neste momento eu estou ...: apaixonada pela vida
publicado por lapieta@sapo.pt às 00:08

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Agosto de 2008

amigos... pedaços de mim...

 

 

 

amigos são anjos
que Deus
coloca
na nossa vida ,
para nos ajudarem 
em  diferentes etapas...
 
 
 
 
amigos... são flores que vêm adornar nosso canteiro,
quando ele está por cultivar...
são aqueles com os quais podemos estar mal dispostos, sonolentos, visivelmente contrariados e que sempre nos ajudam...
 
amigos são aqueles que sentem ...
 
que estamos tristes
e nos abraçam com o olhar...
 
que estamos pesarosos...
e nos aquecem com a sua presença...
 
que estamos confusos...
e nos ajudam com a sua coragem...
 
que estamos aborrecidos...
e nos alimentam com o seu sorriso...
 
que estamos infelizes...
e ficam segurando a nossa mão...
 
que perdemos momentaneamente a vontade de prosseguir...
e carregam o nosso fardo...
 
que mesmo diante dos nossos defeitos, ainda têm coragem para evidenciar as nossas virtudes...
 
amigos são os que nos dão uma transfusão de energia e quase desfalecem a seguir...
 
amigos são os têm apenas uma migalha e ainda nos conseguem saciar...
 
amigo é o que beija em silêncio...apenas com o olhar...
amigo é aquele que faz amor connosco, no imediato das nossas emoções sem sombra de pecado...
 
amigo, não faz contrato, oferece sempre o seu carinho...
 
amigo não condena... fala e resolve connosco as questões mais íntimas...
 
amigo não nos abandona... está perto...
amigo não nos exclui da sua vida... convida...
amigo não nos atende o telefone por favor ... diz apenas olá, já atendo...
 
amigo sorri, não complica...
amigo chora connosco... e dá-nos a mão...
amigo visita-nos no cárcere das nossas confusões...
 
amigo não é o que passa férias connosco... mas junta-se a nós para facilitar o trabalho... 
amigo é o que se divide connosco ... não é o que nos subtrai da sua vida...
é o que soma os nossos complicados raciocínios… e multiplica as nossas gargalhadas...
 
amigo é o que acorda connosco no pensamento e liga dizendo... sonho contigo...
amigo só nos classifica no presente... 
para os amigos não há tempo, nem calendário...
há sempre uma saudade que não se consegue calar no peito...
amigo é aquele que junto de nós destrói por completo a solidão...
 
....................
 
eu particularmente sinto assim a amizade...
e as minhas lágrimas tem o perfume de muitos amigos...
guardei-as num frasco em forma de coração...
por vezes em momentos mais difíceis volto lá para rever o aroma...
conservam a fragrância... fazem parte das boas recordações da minha vida...
mas estão tão longe...
…………..
 
 
ontem para uma assembleia dizia que era uma pessoa só... causei admiração...
sou efectivamente uma pessoa só...
seria incorrecto da minha parte se dissesse o contrário...
mas divido-me um pouco por toda a gente...
não sou mulher de ninguém... meu coração é do mundo...
 
daí eu ver a amizade num amplexo difícil de perceber...
a linguagem do meu coração é diferente...
comovo-me com o bem e com o mal...
mas quando os que  estão mais próximo de mim me abandonam, deixam-me a sensação de vazio imenso... um pouco antes de me abandonarem, ainda não sabem que vão partir e eu sinto-os, como se estivessem para fazer uma grande viagem e  aos quais eu vou ser obrigada a dizer adeus...
eu sinto quando a vida me requisita um amigo para ir para outra estação bem diferente da minha...
 
os amigos para mim são um regaço…
quando se afastam de mim, tenho a sensação de que me deixaram cair ao chão…
 
sofro?... muito... até à exaustão... mas não posso mostrar...
na vida nem tudo me é permitido...
 
sou diferente dos outros?...
não, não sou, sou apenas instrumento na vida, de planos diferentes, que nesta existência não passam pelo imediato das sensações mais comuns...
 
é por isso mesmo, que ser meu amigo é muito difícil...
 
mas quem quiser aproveitar de mim...
tem em mim uma pessoa muito simpática e muito chatinha...
muito atenda e muito distraída...
muito orgulhosa e capaz dos actos de humildade mais incríveis...
muito perspicaz e muito ingénua...
com um sentido de humor fora do comum…
com uma capacidade de amor invulgar…
 
muito humana ... e muito amiga… não só do meu amigo… mas de toda a gente...
 
porque para mim a amizade não pode viver em situação de privilégio...
 
para mim a amizade é um abraço infinito que envolve toda a gente, mas que atinge de forma mais terna aqueles que estão mais perto...
 
vou partir deste mundo com um problema... descobrir um verdadeiro amigo...
resta-me a esperança de encontrá-lo um dia…
 
para todos os que passaram na minha vida ... um beijo de saudade...
 
 
para todos os que estão na minha vida... hoje, digam algo que eu possa ouvir...
 
que eu já falei para vocês...
 
lasalete
 
neste momento eu estou ...: amiga de toda a gente
publicado por lapieta@sapo.pt às 10:51

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 11 de Agosto de 2008

o meu pedaço de céu... (poema)

 

o meu pedaço de céu

é o véu por onde Deus fala verdade,

é o jeito que Ele tem de amar

de abraçar e beijar a humanidade...

o meu pedaço de céu

que vem pela minha janela

é um abraço divino

que fala de outros valores,

de outros rostos e amores

que a Terra deixou por terminar...

 

o meu pedaço de céu

é palco das andorinhas

que voam quase bailando...

com cheiro a terra molhada

da chuva que cai chorando....

como se aberto gemendo

o coração se partisse

e então a chuva surgisse

me aconselhando a viver...

no meu pedaço de céu

para eu adormecer...

 

o meu pedaço de céu

onde os anjos livremente

dizem adeus quando passam

acenando a toda a gente...

não tem Sol está sofrendo

estão sós as nuvens brancas

quais noivas abandonadas

que dizem que vão morrendo...

o meu pedaço de céu

quando sorrir vai dizer

que mesmo abandonados

nós não devemos morrer...

 

o meu pedaço de céu

guarda um segredo profundo,

que a chorar contei a Deus

e não ao resto do mundo...

 

lasalete...( poemas do fim do dia) ... 11-08-08

neste momento eu estou ...: para lá das nuvens
publicado por lapieta@sapo.pt às 19:31

link do post | comentar | favorito

obras em casa...

 

não precisa encerrar para obras... não precisa deixar de viver...não exagere...

 

arrumar a nossa casa requer uma certa habilidade e também um pouco de tempo... gosto para decorar, mas acima de tudo força e vontade para limpar...

 

não basta dizer eu quero, ou eu preciso... assumir com determinação que é urgente e que está na hora, é o mais necessário...

 

obras na nossa casa... na nossa casa interior...

 

iniciemos sem pressa uma vista de olhos a todos os departamentos...

  • os gostos
  • os pensamentos
  • os anseios
  • os sentimentos
  • os relacionamentos

ficaremos logo com uma panorâmica abrangente, mas que só é possível se partimos com disponibilidade total para tal empreendimento...

 

a sós não conseguimos?... não tem importância... recorramos a um especialista e assim debatemos o problema com alguém que possa oferecer um pouco do seu tempo, alugar o seu ouvido, onde vamos depositar o que está errado e logo saímos com um conselho sobre decoração interior que depois poderemos aproveitar ou não...

 

partindo do princípio que aceitamos a ajuda, vamos reunir os materiais necessários...

mas, atenção...

não deite nada fora sem que parta da sua vontade ...

não violente o seu interior...

assuma de uma vez por todas se é efectivamente isso que quer...

tudo no nosso interior tem significado... por isso mesmo revisite-se pela última vez apenas para testar se está apegado de forma ridiculamente ilusória a situações do passado ... há pedaços de vida que só permanecem para complicar a nossa decoração...

 

esvaziemos  então a casa interior de todos os sentimentos menores, deitemos fora também apontamentos antigos... de rixas que não resolvemos, de mágoas que teimosamente conservamos... de saudades que já nada trazem de bom e de novo e só nos fazem sofrer...

reunamos  o que estiver partido e que faz parte do lixo mental e joguemos fora...

isso não vai ser aproveitado para ninguém... o que não serve para nós , também não serve para os outros...

 

depois vejamos  com atenção... há aspectos em todas as casas que com um toque diferente e aproveitados de outro modo, até  mostrariam a todo o mundo um ser humano mais aprazível, sereno e a quem todos teriam desejos de visitar mais vezes...

 

o que vamos reparar? ...

as paredes? ... elas representam os nossos alicerces, a nossa educação, os nossos princípios e nunca é demais descobrir se ao longo do tempo, por distracção, deixamos que pequenas fendas do nosso carácter se alonguem e abram brechas enormes...

solidifiquemos a nossa postura interior, reforçando com generosidade e solidariedade a nossa forma de estar... sem queixume... e com firmeza, as paredes engrossam na ausência do medo...então arrumemos de vez com os medos que enchem de caruncho os nossos alicerces...e os podem fazer ruir...

 

 

as janelas?... os nossos olhos... responsáveis pelas nossas emoções pois que registam as imagens boas e mais que a vida oferece... recebem e devolvem e nem sempre a melhor imagem... alugam a nossa mente e distorcem emoções revelando fraquezas e fracassos nossos e de outros também... limpemos os vidros das janelas e passaremos a ver a vida com outros olhos e de certeza a descobrir na paisagem, encantos que outrora nem perceberíamos...

 

a porta ? ... a nossa porta é muito importante... é por ela que entra tudo quanto permitimos... ele representa a nossa mente ... os nossos sentimentos ... o nosso consciente activo... que por vezes, indolente, se deixa penetrar por todos os que desejam aproveitar-se da falta de disciplina mental que é mais comum do que o que podemos imaginar... é também por ela que quem habita espiritualmente nas proximidades,  entra facilmente e passa a fazer parte do nosso condomínio espiritual... levando perturbação e dor... ajustemos portanto a nossa porta... pintando-a de novo... para que ela inspire quem dela se aproximar a realizar também as suas reparações...

 

depois decoremos com gosto a nossa casa interior...

no quarto ... coloquemos em situação de destaque os nossos pensamentos para que após louvarmos e agradecermos a Deus por mais um dia tenhamos a possibilidade de fazer um sono repousado... aí ,decorado a gosto não ficaria mal uma flor branca agradecendo ao nosso anjo pela sua companhia...a flor da gratidão

 

no banho ... a serenidade seria o ideal... banhemos então a nossa emoção sem pressa e com calma deixemos que a nossa personalidade se adopte às novas nuances que estão a acontecer...e que as lágrimas aceitem cair, por amor, embelezando o rosto...

 

na sala ... uma novo tom de verde mar que espelhará a confiança e a solicitude , deixando transparecer o cuidado para com os nossos familiares e amigos... a festa permanente do nosso coração que nos mostra de imediato o propósito de mudar e assim permanecer...aí não desperdice energia ... é muito importante cuidar do amor...sem pressa, sem egoísmo, sem sentimento de posse... o amor quer-se tranquilo onde apetece permanecer constantemente...o maior esperança... confiante... perfumado...

 

na cozinha ... o carinho, a coragem de uma higiene  comportamental sem precedentes onde os sentimentos se exprimirão de forma declaradamente mais sólida... sem emoções desregradas e onde as variadíssimas cores rapidamente lembrarão a disposição imediata de quem se está a alimentar de novidades frescas e salutares...a satisfação plena e consciente de que fazemos parte da natureza e por isso aprendemos a ser naturais e iguais a nós mesmos...

 

no conjunto e sem dúvidas, em toda a casa, o branco da paz  vai ser o motivo dominante e todos os que nos visitarem vão perceber que estivemos realizando modificações visiveis e que ficamos com muito melhor aspecto...

 

desapareceu o homem velho e surge de forma mais interessante um homem novo...

 

é verdade ... estava esquecendo algo muito importante...

um pequeno canteiro de flores, sempre empresta à nossa decoração exterior, um ar bem agradável e aprazível... então aqui , recomendamos a humildade dos miosótis, a elegância e a força dum belo jacarandá e a beleza lúcida e permanente das rosas ... a determinação dum salgueiro ondulante e a frescura dum amor perfeito... mas, tudo necessita da sua atenção...não se esqueça de colocar aqui o mais belo e doce sorriso... os braços estendidos dos pinheiros de Natal que todo o ano inspiram solidariedade e fraternidade, dirigindo o seu perfume a quem passa...

 

bem de frente ,não se esqueça de solicitar uma luz na entrada da sua porta e dentro de sua casa... aí, só um especialista ,"DEUS", iluminará a sua casa e você permanecerá nela confortável pronto para qualquer vendaval...quente e com a sensação de ser embalado ...

 

sente-se desenhe com o pensamento borboletas e solte a criança adormecida... convide as andorinhas e ensaie a primavera dos sentidos... e voe... tanto quanto seja possivel... sem limites...

 

convive então seus amigos, faça uma festa e diga... AQUI ESTÁ UM SER NOVO... diga-lhes como gosta deles, prepare os seus melhores petiscos, dance, cante e siga em frente...

 

a vida continua... e o trabalho de cada um é imenso...

 

todo aquele que se quer melhorar está em obras constantemente...

 

um bom dia e um abraço do tamanho do universo ... eu também estou em obras...

 

lasalete

 

 

 

 

 

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 14:28

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Agosto de 2008

está na hora ...

 

 

 

afinal está na hora de quê ???????
 
na hora de crescermos...
 
vezes sem conta damos por nós a marcar horários para tudo e para todos...
 
damos por nós a marcar as férias a escolher o melhor horário para trabalharmos e até para nos divertirmos...
 
tentamos ter horas para tudo o que nos envolve ... mas... afinal os nossos horários e o nosso tempo só se destinam na maioria das vezes a tudo o que é tangível, na maioria das vezes perecível... por incrível que pareça...
 
é muito difícil encontrar  alguém a preparar horários para pensar, para meditar, para se resolver por dentro, para amar...
 
dificilmente colocamos na dianteira, interesses interiores como meta a atingir ...
na sua maioria o ser humano, se resolve e se revolve em paixões inferiores que até considera fantásticos, mas que depois de absorvidas , verifica que não o absorveu assim tanto, ou pelo menos saiu emocionalmente desnutrido...
 
o lado material da vida, não nos resolve as questões interiores...
se assim fosse,  não se justificariam as fofocas cor de rosa de que tanto se fala...
não seria mais fácil resolver as questões de solidão ou de amores mal resolvidos, com uns largos milhões e tudo aí estaria mais do que nunca em paz ...
 
a vida que se vive actualmente, está a pedir a todos nós que façamos horários para resolvermos pequenas questões que se prendem com o nosso interior...
em vez de trabalharmos o nosso ego, está na hora de ajudarmos os outros a resolverem, por exemplo, questões de sobrevivência, tão alterados que estão os seus planos de vida, que chega a dar a impressão que existem seres humanos que vivem em outro planeta...
 
as dificuldades de sobrevivência para muitos seres humanos, são fundamentalmente situações do plano material... mas por arrastamento, se envolvem com o plano emocional, porque descobrimos no imediato que a célula familiar se vai destruindo, levando na enxurrada todos os membros da família...
 
hoje mesmo, tomei conhecimento de um caso no mínimo caricato, mas que escutei com toda a atenção , incrédula no que estava a ouvir, mas não tanto porque o ser humano é na realidade capaz de isso e de muito mais...
 
estava escutando a história de um homem, cujo divórcio o traz de novo até à casa da mãe, que de bom grado o acolhe a ele e aos dois filhos menores, a quem protege e a quem dá alimento e educação, dado que as posses do filho não eram suficientes...
sendo a casa da mãe , casa própria, ele não se preocupou mais com a renda e lá como pôde foi criando os filhos , já que a ex mulher os abandonou à sua sorte...
 
os anos foram passando empregou-se temporariamente... mas ... a mãe já com uma certa idade, foi perdendo as suas capacidades intelectuais e adoece com Alzheimer o que leva aquele filho a ter que tratar dela, prestando-lhe os cuidados necessários…
 
visto que tinha irmãs elas se prontificaram a levar a mãe, depois da reunião de família e simplesmente cortaram a água, a luz e o gás para que o irmão abandonasse a casa ...
 
sem emprego e com dois filhos adolescentes para onde iria?...
manteve-se na casa que era da mãe e sempre encontrou recusa por parte das irmãs que não o deixavam ver a mãe e a quem obrigaram a assinar um papel para que ele fosse expulso da casa...
 
a história trágica deste homem, é de lamentar, se olhando para as irmãs as soubermos proprietárias de outras moradias , com altas possibilidades económicas, mas sempre na esperança de mandar para a rua este irmão, que até é uma belíssima pessoa...
educado, calmo e aceitando com um certo ânimo o que lhe acontece... vivendo da água de uma fonte próxima vai para dois anos...
 
a mãe entretanto faleceu e ele está novamente a ser pressionado para que se venda a casa porque têm que fazer partilhas, no entanto a conta bancária da mãe foi administrada sem contas prestadas pelas duas irmãs que rapidamente o querem ver a dormir na rua...
 
vive dum magro rendimento social de inserção e da ajuda que O Coração da Cidade lhe presta... tem quase 60 anos e ainda tem os filhos para criar...
 
não estará na hora de as pessoas pensarem que a vida não pode ser apenas dinheiro e um constante amordaçar das vidas que nos rodeiam...
 
está na hora de nos amarmos uns aos outros como Jesus nos amou, como Jesus nos ensinou, como e conforme as necessidades de cada um...
 
é sem dúvida na medida que damos que iremos receber...
 
está na hora de olharmos nos olhos uns dos outros e dizermos ( eu desisto de ti) ... de dizermos não gosto de ti...
 
mas também está na hora de perguntarmos... ( porque é que eu não gosto de determinada pessoa?) ...
 
se nem os irmãos se ajudam, como esperar ajuda daqueles que não nos são nada?...
 
mas esse tipo de amor existe... entre pessoas que convivem connosco e que gostam de nós e às quais nós nos dedicamos e com as quais vivemos em paz...
 
está na hora de tomar opções muito graves na vida de cada um e de nos deslocarmos até ao nosso interior e pesquisarmos... onde há obras a fazer...
 
dentro de nós pode existir um potencial energético que a nossa má vontade não consegue colocar em evidência...
 
viver em função dos outros e do bem que se possa fazer é fundamental, mas viver com um grupo que todos os dias nos dá lições de amor e de bondade, como este homem com quem falei hoje, que mesmo emocionado e até perturbado não perdeu a compostura e contando o seu drama, não abdicou dos princípios da serenidade...
 
enquanto falava pedia a Deus que o abençoasse...
 
que o Anjo da Serenidade o ajude... e abençoes os seus filhos...
 
lasalete...

 

neste momento eu estou ...: muito bem
publicado por lapieta@sapo.pt às 20:27

link do post | comentar | favorito

ai coração...

Photobucket

 

encontrei esta imagem e resolvi colocá-la para ser apreciada ...

achei-a tão interessante e sugestiva, apropriada até...

 

a aí pensei...

ai... se o meu coração tivesse asas e pudesse voar...

 

para onde voaria... para onde seguiria meu coração...

 

talvez para nenhum lugar... não sei ...

neste momento, não consigo precisar...

 

mas se o meu coração pudesse escolher, sem que o quisessem matar... escolheria um lugar onde os amigos fossem sinceros, fantásticos , amorosos e onde falar e ouvir, pensar e sorrir, fossem gestos do coração, realizados em verdade...

 

há tantos corações prisioneiros de paixões que nunca mais se extinguem e que só fazem chorar...

 

meu coração tem fome de amor...

não do amor que toda a gente apregoa...

mas de outro amor talvez impossível de alcançar na Terra...

 

meu coração tem fome de amor suave...

amor desinteressado...

amor jovial sem rugas de empobrecimento interior...

amor sem fronteiras...

amor sem preconceitos...

amor de verdade...

amor que não é infectado pela calúnia...

amor que não se veste de ciúme...

amor que trabalha e por isso é próspero...

 

meu coração tem sede de gente simples e sã...

tem sede de sangue novo...

que fale a linguagem do povo...

que não premedite o que diz...

meu coração se tivesse asas,

pairava acima dos homens

e pedia a Deus para descansar...

mas ainda não tem asas, por isso Senhor deixa-o amar...

 

lasalete

 

 

neste momento eu estou ...: voando
publicado por lapieta@sapo.pt às 01:03

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 4 de Agosto de 2008

A PIRÂMIDE...

 

tudo neste mundo necessita de energia e de bastante esforço...

 

mas acima de tudo isto está a lei incomensuravelmente mais poderosa ...o amor...

 

o amor que se manifesta de muitas maneiras... o amor energia e gerador de vontade...é na realidade a força mais incrível que eu conheço...

 

há momentos alguém me perguntava porque é que O Coração da Cidade é uma instituição próspera... e eu respondi, porque a base desta obra é o amor...

 

esta obra funciona apenas com esse capital e não pode furtar-se a ele...

 

o amor não pode acontecer como mero simbolismo, mas como ferramenta de trabalho de todos os segundos...

 

foi com amor que esta obra foi construída e foi também com amor que foi possível superar todos os problemas ao longo de 13 anos...

 

e é com amor que se lhe dá continuidade, no sentido de aperfeiçoar a nossa metodologia social e é com amor e humildade que nos iremos , mais uma vez, colocar na situação de aprendizes, que isto de trabalhar em matérias sociais tem muito que se lhe diga...

 

sempre que somos chamados pela vida a cooperar, o amor tem que nortear todos os métodos e é também o amor que irmana todos os que querem ficar juntos pelo progresso da humanidade...

 

aprendi ao longo da minha existência que na minha vida tudo era facilitado quando o amor vinha em primeiro plano...

 

agora entendo muito melhor essa força mobilizadora e quando com amor realizamos as nossas tarefas, outras vão sendo apresentadas e dessa forma, se constrói qual pirâmide ,que cresce quase sem controle...

 

ainda fico maravilhada quando percebo nos olhos de quem vem junto de mim perguntar o que é necessário fazer e se lança no trabalho voluntário feliz ... e sem que perceba lhe descubro um brilho no olhar que só é possível em quem faz o que faz por amor...

 

todos os dias rogo a Deus protecção para todos os que de uma forma ou de outra ajudaram a erguer este monumento de solidariedade, onde aprendo todos os dias que estou muito longe de entender o que é efectivamente a Caridade, essa irmã dilecta do Amor que Cristo com muita segurança ensinou hà dois mil anos e que o mundo ainda tem tanta dificuldade em copiar fielmente...

 

rogo a Deus por todos aqueles que sem barreiras um dia tentaram destruir o amor... com eles aprendi mais do que podia imaginar, e tem sido com os que me voltam as costas que eu vou descobrindo a minha fortaleza...DEUS...

 

quando alguém pensa desistir de algo, eu sempre informo que não desista, o desânimo acontece porque ainda não se conhece o amor...

 

o amor não nos ausenta dos problemas, nem nos torna seres privilegiados, mas faz-nos seres com mais força, para enfrentarmos com elegância, os problemas que surgem todos os dias...

 

quando todos quisermos e formos mais humildes e por isso mesmo mais corajosos, para encerrar de vez o orgulho, o mundo chegará por fim a uma plataforma de entendimento e aí vai perceber -se afinal... ISTO É QUE É O AMOR...

 

O AMOR, É A SINTONIA PERFEITA, É A MAIOR OBRA DE ENGENHARIA DA ALMA...

 

abençoado engenheiro...

 

  

quando todos se unem e a tomada de consciência é plena, a nossa força renasce e propaga-se ... chama outros seres e todos se juntam com o mesmo propósito...

assim nasce a pirâmide...

 

então a força divina vem sobre nós e a inspiração jorra como água, vem de uma fonte cristalina que nos ajuda a vencer e a prosseguir...

 

 

se os seres humanos, entendessem a força da união, o mundo seria perfeito...mais forte... e a justiça social uma segurança para todos os seres sobre a Terra...

 

 

 

muita paz para todos ... lasalete

 

neste momento eu estou ...: bem
publicado por lapieta@sapo.pt às 18:44

link do post | comentar | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

MOMENTOS DE SOLIDÃO/ SUIC...

ajudar é como amar... é u...

ao alcance da nossa mão.....

magusto solidário...

ser poeta... (poema)

dentro do silêncio... ( p...

carinho em tamanho xxl...

tempos da alma... ( poema...

chuva de Agosto ...

medos...

amigos... pedaços de mim....

o meu pedaço de céu... (p...

obras em casa...

está na hora ...

ai coração...

A PIRÂMIDE...

anjo triste... (poema)

há dois mil anos...

tão simples...

pouco a pouco...

não me procures no vento....

arrumar a casa...

Jardins da alma ... ( poe...

olá ................

quando a solidão chora......

cadeia humana...

Leia quem puder ... resp...

quando cruxificaram o amo...

atenção às práticas de br...

é preciso deixar-se amanh...

a Páscoa está aí...

parabéns mulher...

minhas raízes são alma......

os beijos que nunca dei.....

acorda...acorda...

ser ou não ser ... eis a ...

ei !... preciso de ajuda ...

Afinal o que é O Coração ...

vamos falar de amor... só...

que seja eterno... " poem...

ecos da solidão...

meus versos... poema

Domingo após Domingo...

simplesmente ... divino.....

minhas lágrimas poema... ...

tão fragéis... meu Deus.....

os ecos da boa vontade...

quando o telefone toca...

afinal... os homens têm a...

ai, se... OS HOMENS TIVES...

mais comentados

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags