Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

minhas lágrimas poema... (poema)

   

minhas lágrimas poema...

 

 

 

trago lágrimas nos olhos

e corações no olhar

trago poemas na alma

saudades de te encontrar...

caminhas perto de mim

dormes à noite comigo

sonho contigo e a sonhar

faço poemas e digo

palavras que o céu entende

em orações definidas

e minhas lágrimas soltas

escorrem nas mãos erguidas...

 

grito de noite os apelos                   

que os deuses ficam a aouvir,

calados trazem-me as penas

deste meu longo sentir...

se pudesse eternizar

a harmonia em teu ser

meu amor, como queria

passar-te este meu querer...

lavando mágoas eternas

sempre o tempo vai contando

aquilo que ninguém quer

mas vivemos suportando...


 

minhas lágrimas poema

não sabem como curar

teu imenso padecer...

apenas me resta amar...

 

lasalete... 25-1-08

 

tão fragéis... meu Deus...

sem que propositem , perante as imagens, a piedade instala-se dentro de nós...

 

estes olhos, vencem o medo, mas a ternura que inspiram, abala o coração de qualquer ser humano...

 

como são frágeis , os seres desprotegidos pela vida... os que nada possuem para além do olhar mais doce que Deus lhes deu...

 

hoje fiquei parada, olhando a televisão...escutei mais que uma vez...

 

12 mil crianças institucionalizadas...

 

as minhas lembranças revoltas confundiram-se com as palavras a cores que a televisão fazia ecoar... 

voltei de repente para dentro de mim... já era assim quando ainda era criança... não era de ninguém... era do mundo...

 

que medo meu Deus... que fragilidade ...

que dor experimentei, quando aquelas portas enormes se fecharam atrás de mim e aquela figura feminina me olhava do cimo dessa montanha dura com dois olhos enormes e a voz mais autoritária que alguma vez ouvira...

 

eu só conhecia o mundo, onde não havia de comer, nem lençóis para dormir , nem brinquedos para brincar... mas tinha os olhos da minha mãe...

 

e agora... encerrada naquele convento...

Vairão ... isto para mim ficava no finalzinho do mundo... talvez do outro lado da casa da minha mãe e muito perto do inferno...

 

de repente descobri que não habitava só naquele local... outras mulheres igualmente altas e feias vieram ao meu encontro... despiram-me, deram-me banho, cortaram-me o cabelo e levaram o cheiro da minha mãe... sofri demais para me encontrar... quando me deitaram tremi toda a noite... e nas noites seguintes não consegui encontrar motivo para que a minha mãe se tivesse esquecido de mim naquele lugar...

 

e assim permaneci longos anos... até ser maior e descobrir que tinha que ser assim...

 

tanto se escreve sobre as crianças dentro das instituições e tão pouco se sabe do que efectivamente se passa lá dentro...

 

agradeço por ter sido retirada à pobreza... mas não era a mim que deviam ter castigado... eu com cinco anos nunca tinha feito mal a ninguém... eu não tinha culpa de os homens serem egoístas e fazerem dos mais pobres escravos permanentes... a minha mãe trabalhava muito e chorava demais porque não tinha dinheiro... nada tinha para nos dar...

 

hoje sempre que vejo uma mulher a pedir ajuda o faço em nome da minha mãe...

 

mas ainda me fere quando se fala das crianças armazenadas em instituições de caridade... por muito diferente que seja o mundo de hoje a dor continua igual e a pergunta permanece ... porque estou aqui?... que crime cometi ?... porque não tenho direito a um lar como as outras crianças?... um dia perguntei a Deus ... Pai do céu , porque não gostas de mim e me deixas-te abandonada aqui dentro?...

 

lembro-.me que por esta altura do ano as alunas internadas recebiam durante as visitas mensais dos seus familiares, laranjas e algumas goluseimas que comiam sofregamente ...

eu dificilmente recebia visitas... mas no dia das visitas das outras meninas, eu não recebia laranjas, então sem ninguém ver, depois de todos se retirarem juntava as cascas espalhadas pelo chão  e cheirava-as para me lembrar do cheiro do outro lado do muro... na esperança de recuperar o cheiro da minha mãe...

 

no mesmo local existia uma grande ameixoeira, cujo tronco centenário tinha moldado um grande buraco, onde me escondia a chorar com saudades da minha mãe e com medo de nunca mais sair daquele espaço...

 

é necessário entender a mente de quem está guardado nestes espaços, que por muito carinho que ofereçam, representam para quem lá reside, um misto de conforto e de angústia difícil de arrancar...

 

a fragilidade de quem nada tem, dói-me profundamente e sempre tento atenuar essa dor... mas, quando os números me trazem a enormidade do abandono, do colo que tanta falta faz... então aí... meu Deus, como dói...

 

tanta construção ao alto, tanta estrada maravilhosa, já conseguimos o espaço, tanta tecnologia de ponta que nos deixa de boca aberta e ainda não conseguimos tomar conta das nossas crianças, nem amamos os animais...

 

que mundo é este meu Deus ... tão frágeis que nós somos...

 

lasalete ...

quando o telefone toca...

 

 

 

já nada mais há que sugar...

parece que nada mais resta...

quem nos socorrerá...

temos fome de tudo, mas principalmente de justiça social...

........

 

 

ainda não está na hora do lanche...

ainda mal digerimos o nosso almoço e já chovem telefonemas a pedir auxílio alimentar ao domicílio ...

 

apelos comoventes, de carácter alimentar e reveladores de uma profunda solidão, espelhando a demora de recursos estatais e de frequente abandono...

 

os seres humanos que nos chamam, caracterizados quase todos por um acompanhamento deficiente ao nível da saúde, se apresentam agora, com reacções psicológicas e dores somatizantes , que não são senão as sequelas de um querer acreditar constante e de uma ausência permanente de recursos ...

 

quem são? , como se chamam?, onde nasceram?...

são apenas portugueses que acreditaram que um dia num Portugal seria diferente...

são portugueses a quem apelam ao voto, a quem tentam sensibilizar para qualquer referendo , a quem lhes é imposto a subida da luz, da água , do gás , mas que em vida nada recebem que os conforte...

 

são portugueses de segunda, que não nasceram para serem ministros, nem deputados, nem administradores...

parece não serem ninguém... recebem pouco mais que o necessário para pagar meio aluguer e nada mais que lhes garanta que não podem morrer de inanição ...

 

sempre os encontramos desnutridos e tristes ...

 

hoje, o casal que telefonou, vive em Campanhã, mas a única solução que alguém encontrou para lhes dar de comer foi enviá-los aos dois para o lado oposto da cidade, para a freguesia da Sé, para um espaço social, onde entregavam o pouco que tinham para conseguirem comer alguma coisita..

 

descobriram um dia o Coração da Cidade ...

a partir desse dia,sempre lhes enviamos a alimentação necessária que a senhora com algum cuidado e sacrífio  vai fazendo...

quando entramos nesta casa e abrimos o frigorífico apenas encontramos uma garrafa de água e dois pães em cima da mesa...

 

dois seres humanos, caminhando entre a multidão e sem abrigo humano... quem os ama, quem os socorre, quem deles sentirá saudade no dia em que Deus os chamar para perto de Si... talvez ninguém...

 

exatamente por isso, se pode dizer que a pobreza está a diminuir, porque todos os dias alguém morre de fome ou de dor...

mas, esquecemo-nos de dizer quantos chegam à pobreza diariamente ...

 

grande expectativa coloca quem é pobre, nas instituições que os servem...

mas as instituições também necessitam de se sentir apoiadas...

 

os voluntários AVE , vão realizar um trabalho extraordinário e muita gente vai beneficiar desta tarefa solidária sobre rodas...

 

ajudar, neste momento, é fundamental para a sobrevivência de muitos portugueses ...

 

é urgente criar uma política de intervenção perante a pobreza que está a alastrar de forma inesperada ...

 

chega ... basta...de não querer acreditar tapando o sol com a peneira...

 

lasalete

 

ai, se... OS HOMENS TIVESSEM ASAS...

 

 

olá amigos ...

que bom seria se todos os que nos visitam aqui no blog, fossem de tal forma solidários, que sempre  avançassem com migalhas de amor em direcção a quem precisa mesmo de ajuda...

 

 

 

 

 

ai, se... quem tem braços quisesse abraçar ... sempre...

ai, se... quem tem pés, quisesse caminhar na direcção certa ... sempre...

ai, se... quem tivesse olhos, quisesse socorrer a aflição que vislumbra... sempre

ai, se ... quem tem a possibilidade de ouvir, quisesse calar os gritos que descobre ... sempre ...

ai, se ... quem tem o dom da vida, o utilizasse para amar e viver em paz... sempre...

 

mas, como estamos longe do paraíso, podemos :

fazer de conta que somos felizes e todos os dias,

fazer de conta que fazemos os outros felizes,

fazer de conta que somos anjos,

fazer de conta que somos solidários,

fazer de conta que somos bons...

e, de tanto fazer de conta, tal como as crianças brincando, quem sabe nos habituaremos a ser mesmo bons, solidários, quase anjos...

 

construir um paraíso na Terra , nem é assim tão difícil , é só querer ser útil e descobrir donde vem o grito que nos traz a informação da dor... é só distribuir sorrisos e boa vontade...

 

meus amigos , aqui, neste espaço, como já puderam observar, não temos a pretensão da eloquência... somos gente simples a fazer no tempo certo , aquilo que certamente com mais tempo e mais poder económico, os eloquentes não pretendem fazer...

 

muitas vezes digo a quem está comigo, que a brincar se fazem coisas muito sérias... e, temos sentido isso mesmo...

 na expressão de paz e conforto das famílias que caminham connosco e que hoje estão mais equilibradas, nos voluntários que dentro do programa VER -vidas em risco, estão dentro da nossa instituição e pouco a pouco vão perdendo o ar infeliz que os caracterizava e têm um semblante diferente e acima de tudo aspiram a um estilo de vida mais acima da sua condição e se esforçam para o conseguir ...

 

tudo o que nos rodeia, nós tentamos aproveitar de forma construtiva, para que abasteça de paz e conforto os que vêm até nós pedir socorro...

 

neste momento, estamos a necessitar de socorristas ao domicílio , para que ao Sábado possam levar mantimentos a famílias que necessitam de ajuda...

 

se pode ajudar fisicamente e tem condução própria, venha até nós e inscreva-se como voluntário (AVE)... assim ao Sábado ou Domingo, conforme estiver a sua disponibilidade de tempo, toma a seu cargo uma ou duas famílias e entrega os alimentos a quem deles precisa e não pode deslocar-se ao Coração da Cidade para os levantar...

 

temos muitos pedidos de auxílio ao domicílio e você sem saber o que pode fazer...

 

troque o seu passeio habitual, a soneca  habitual ou o cinema da tarde por um ato de amor ao próximo...

 

existem tantas formas de ajudar que nem imagina...

 

se pretende mesmo ajudar ... ligue directamente para este telefone e diga que quer ser

 

voluntário AVE... 914715793...

A... ajuda

V... voluntária

E... exterior

esperamos por si... não dói ... não é remunerado... por isso não causa transtorno , nem paga imposto...

 

vá, lá... o mundo precisa de si...

 

um  bom dia de trabalho e que Deus faça da sua vida ... um espaço de paz permanente...

 

lasalete ...

generosidade ...

 

Generosidade... o que é afinal...

 

é muito mais do que o simples acto de dar...

muito mais que a simples doação...

muito mais que a continua presença junto de quem precisa...

muito mais do que a habitual tarefa de proceder a ajudas comunitárias...

 

 

generosidade é serviço continuo de compreensão e ajuda...

 

não basta apenas dar... é necessário aprender a compreender quem pede, quem necessita ...

 

generosidade é amar quem não precisa e estender-lhe a mão ajudando-o a entender isso mesmo... que não precisa...

 

generosidade é educar...

 

generosidade é fortalecer os frágeis  da alma...

é amparar os feridos da vida ... seja qual for a sua dor...

é caminhar com os enfermos da alma... seja qual for a sua moléstia...

 

generosidade é ouvir ofensas e calúnias e cantar sobre elas...

 

generosidade é ouvir insultos ... e soltá-los ao vento... para que não magoem o nosso coração...

 

generosidade é amparar a mão que se levanta para bater e beijar-lhe os dedos...

 

generosidade é também dar as poucas migalhas que possuímos a quem tem fartura de pão...

 

generosidade é dar a quem tem e ensinar-lhe a saciar-se com pouco...

 

generosidade é amar o silêncio , quando dói a solidão...

 

generosidade é também aceitação... por tudo o que queremos mudar, mas não está ao nosso alcance...

 

generosidade é envolver a vida... sem semear ilusões... para colher os frutos da serenidade e da paz...

 

só assim se entende a possibilidade de se ser generoso...

 

são tantos os "generosos", que gritam, que agridem, que vociferam, que socorrem apenas o que lhes parece mais apropriado, mais fácil e mais limpo...

 

a generosidade, não tem hora, não tem tempo, nem rosto definido ...

a generosidade precisa apenas de dois corações o que dá e o que recebe... cumprindo ao que dá o dever de estar mais robusto, mais sincero e mais oportuno... mais ágil...

 

a generosidade tem que estar atenta... alerta... afim...

 

resumindo, a generosidade é AMOR... apenas isso ... é dividir-se mil vezes e permanecer inteiro...

 

seja generoso ... ame ... a semana está a começar... e a vida a todos convida a um curso intensivo de generosidade...

 

você é capaz... a vida precisa de todos nós ... seja generoso...

 

bom trabalho ... lasalete

2008 ... o ano das energias renováveis...

 

 é preciso colocar o dedo na ferida...

 

não vou por certo falar de energias renováveis...

não sou especialista nessa matéria...

as energias de que pretendo falar, têm a ver com os seres humanos e com a sua bio energia, a sua actividade e a sua super actividade e a sua inactividade, que não foi observada neste ano que vai findar...

 

estamos a gastar para além das nossas possibilidades... todos sabemos disso, mas não o admitimos, a não ser que estejamos a falar em grupo e por isso mesmo do assunto tenhamos que dar testemunho moderno , profundo e oportuno...

 

em matéria de apoio social e é esse o campo que me interessa, porque parecendo que não, nesta matéria gastamos , muito mais que o necessário, poderíamos renovar um pouco mais, melhor ainda, BASTANTE...

 

mas nem toda a gente gosta de ouvir o que se diz no Coração da Cidade...

ainda que não acreditem, muita gente pergunta como conseguimos orientar economicamente uma instituição se não temos recursos a subsídios e não somos uma instituição rica... não somos uma instituição com patronos endinheirados e não somos nenhuma fundação com altas individualidades a liderar nominalmente...

 

por mais conselhos que possamos dar, muito difícil é prender a atenção de quem dirige no facto de não desperdiçar recursos, ambientais, económicos e humanos...

 

se de todo em todo, quisermos mesmo colocar Portugal na linha do progresso, só teremos que preencher os espaços de inacção e colocar a trabalhar, milhares de portugueses, que apenas de deitam e levantam, sem a preocupação de produzir ...

 

durante o ano que findou, muitos dos pedidos que passaram pelo crivo da ajuda familiar, no Coração da Cidade, foram confrontados com a necessidade de trabalho a favor da comunidade, não como pena  nem penitência, mas exclusivamente, como incentivo individual, para que todos os indivíduos se coloquem frente a frente com as necessidades dos outros seres humanos , que também são reais e que não passam apenas pela necessidade de comer ou de vestir...

 

de descoberta em descoberta, assim foram enveredando por diversos caminhos de solidariedade e embora não possamos afirmar que saíram do programa 100%  convencidos de que é preciso ajudar para ser ajudado, o certo é que tivemos muitos casos de sucesso e evitamos muitas depressões e conseguimos que muitos seres humanos descobrissem dentro de si, capacidades que ignoravam e que descobertas abriram novas vias de aplicação da suas energias e opções...

 

um número satisfatório, ao sentir-se apoiado, não resvalou para a miséria e embora de início  e de forma oscilante quase desistisse, o certo é que com o apoio que lhes facultamos, conseguiram equilibrar a sua casa , estruturando o futuro sem subsídios, mas com capacidades mais de acordo com o nível de vida a que estavam habituados antes da derrocada económica que atingiu todos os familiares...

 

o êxito do Coração da Cidade , que só neste último semestre, abriu 6 novos espaços, prende-se com a disponibilidade e entrega individual dos voluntários, que são riquíssimos de labor e afeição à obra, mas não podemos esquecer, que é necessário o concurso de medidas práticas, aplicáveis num todo, que abasteçam a instituição de capacidades únicas de recolha e transformação de produtos, em riqueza interna...

 

nunca tivemos por hábito pedir dinheiro sistematicamente em peditórios públicos, mas incutimos em quem trabalha connosco a ideia real de que é preciso produzir para progredir...

 

assim poderia ser o país...

 

colocar as escolas a cuidarem de si próprias... incentivando e ensinando os alunos, a pintar a lavar e a corrigir o que fosse dentro delas necessário, para que os recursos escolares fossem poupados... lavar passeios, pintar paredes, lavar estores e cortinados, não custa nada a ninguém... já para não falar nas encadernações próprias de sebentas e livros que ensinariam artes que o tempo vai perdendo..

 

colocar todos os cidadãos de RSI , que se habituam ao subsidio, sem pensaram que têm que trabalhar, a entender de uma vez por todas que podem ser simplesmente a possibilidade de várias actividades como...

  • cuidar de gente mais velha e só
  • acompanhar crianças nas horas de refeição
  • acompanhar crianças e jovens nos recreios de qualquer escola
  • limpar os recreios e os recantos da cidade , jardins, fontes e lagos, sem a ideia de retirar o emprego a ninguém, mas alargando o número dos empregados municipais e aprendendo ao mesmo tempo o que custa ter os passeios limpos
  • exercer actividades simples no campo da reciclagem, com moldagem de peças de plástico sob aproveitamento , em utilizáveis indispensáveis, para uso doméstico...
  • realizar serviço voluntários, em instituições com escassez de membros e de recursos
  • manufactura de bens essenciais, no campo da carpintaria e da costura e porque não da hotelaria ( onde os hotéis sociais ainda não estão implementados)
  • aproveitar os lixos para rentabilização orgânica de envolvimento da terras menos férteis
  • aproveitamento dos trapos, para manufactura de tapetes e mantas para os mais carenciados.
  • plantação de hortas e aprendizagem de plantio sazonal...
  • lavagem de roupas e banhos para pessoas sem abrigo...
  • cuidar dentro da sua área de residência das crianças, das mães que têm que realizar tarefas para onde não podem deslocar-se com os filhos criando assim as (CEIRAS) CENTROS ESPECIAIS  E INTERACTIVOS DE RECURSOS E APOIO SOCIAL.
  • formar vigilantes das ruas e dos bairros sociais, para que a limpeza não fique descuidada, pois sabemos que todas as ruas têm individuos com rendimentos mínimos ... que os encontramos quase todo o dia a marcar lugar  durante horas nos cafés das zonas onde habitam.
  • produção de pequenos objectos que poderia ser orientada por alguém da especialidade...
  • apoio em centros de saúde e unidades hospitalares, onde os recursos humanos são escassos e onde pequenos serviços são importantes para o bem estar de todos e o embelezamento ambiental e paisagístico...
  • utilizar os recursos locais, nas aldeias e vilas para aplicar de forma natural o que de forma louca deixamos para traz e que se prendia com a cultura do nosso povo...
  • ajudar a não desertificação ... é importante...
  • fomentar a reconstrução de casas ... a pintura das mesmas... mesmos dentro das cidades ... é muito importante...
  • limpar as matas, antes que cheguem os incêndios...
  • os bombeiros não têm recursos, enviem até eles quem lhes cuide das fardas e da alimentação...
  • enviem alguém para as instituições para confeccionar a alimentação, porque existem muitos lares com  crianças e idosos, que encomendam o serviço de refeições fora o que acarreta para o estado um desperdício de verbas muito grande...
  • limpem os quartéis e deixem que os transformemos em grandes espaços de actividade social...
  • aproveitar estes recursos, numa época de consumismo exagerado , é acima de tudo poupar matérias primas que a Terra está cansada de produzir...

o desperdício engrossa a pobreza e a crueldadee é um desrespeito pelos direitos humanos...

 

o caudal de pobreza que se arrasta país fora não pode jamais ser ignorado...

a violência também decorre da ociosidade consentida...

 

 

  

 

TRABALHAR É IMPRESCINDÍVEL... MAS SABER DIRIGIR FUNDAMENTl...

mas, o grande  problema, é que todos pensam que estes serviços são serviços menores,

enfim, um sem número de serviços que poderiam ser aplicados para poderem ser úteis todos os indivíduos que na posse dos subsídios parece terem recebido uma ordem que diz... não deve trabalhar...

 

a inactividade traz vícios acoplados e depois enchemos as páginas dos jornais com parangonas noticiadas com exclamações a despropósito... porquê  ? ...

simplesmente porque é o próprio estado que está a educar ( mal) os indivíduos a quem sustenta as mentes enfermas, proibindo de se educarem convenientemente, arrastando-os com subsídios de miséria, transformando-os dependentes, a bem da verdade do esforço de quem trabalha... senão pensemos... de que bolsos saem os subsídios de quem não produz? ... do bolso de quem trabalha...

 

( parece impossível, mas não é... hà uns meses alguém com responsabilidade, sabendo que um indivíduo estava a procurar uma ocupação o advertiu de que lhe retiraria o rendimento mínimo) 

é urgente impor medidas... o rendimento social de incersão, deveria ser um recurso de apoio complementar para quem esforçadamente, através do seu trabalho não consegue o suficiente para viver...

 

um serviço de apoio social emergente que canalize todas as possibilidades para a mão de gente honesta, é imperiosa que aconteça...

quando falo de gente honesta, todos ficam muito atrapalhados e pensam que eu estou a dizer que roubam alguém... não,  a honestidade também passa por cumprir integralmente a função que nos cabe ...

aquele que foi empossado de determinada função e não trabalha... está a ser desonesto...

 

o esforço financeiro que o país está a fazer, não pode continuar, ou atingiremos o caos social de contornos inimagináveis... despertemos...

 

2008 pode ser o ano da renovação de energias, de conceitos e de costumes ... é necessário agilizar os meios ...

formar mentes activas, não é formatar um povo por ideias perfeitamente díspares das necessidades intrínsecas ...

 

mas também importante é a recolha de produtos e artigos que já não são necessários a alguém, no sentido de os tornarmos úteis a muita gente...

com grandes armazéns e eles estão para aí abandonados, poderíamos transformar o que está inactivo em ajudas preciosas a quem nada possuiu...

isto também é riqueza para o país e é neste trabalho que o Coração da Cidade aposta para orientar os espaços que têm a funcionar...

 

a certeza de que se consegue  criar riqueza, é não explorar as possibilidades apenas quando temos recursos financeiros, mas orientar todo o trabalho no sentido de fazer riqueza de tudo, até do tempo... usar a imaginação... renovar nossa energia mental e acima de tudo acreditar que neste imenso universso há uma força mais alta que nos orienta...

 

existem imensos recursos por aplicar, mas o que mais dói é a firmeza de quem dirige que se recusa a usar métodos que já foram testados como viáveis...

 

existem pessoas que se acham muito capazes de dirigir, mas só o fazem se tiverem muito dinheiro à sua disposição...

 

é necessário exercitar a mente e criar núcleos de empenhamento para que possamos enriquecer o nosso país...

 

actualmente, a juventude está ser educada de forma a que tudo o que precisa tem que ser adquirido com dinheiro e quem não tem dinheiro não pode sobreviver ...

 

eu ainda sou do tempo em que para brincar tinha que construir os meus próprios brinquedos ... logo que , para viver , tenho que usar os meus próprios recursos...

 

o divertimento ... o lazer... o desperdício,  estão na ordem do dia...

 

 

 

 

só enriqueceremos

 pelo trabalho ...

mas nunca, consentindo

 trabalho escravo...

 

 

 

porque não fazer publicidade ao trabalho ... uma campanha a sério...

 

todos estamos empenhados a ver quem vai deixar de fumar com as novas medidas...

 

façamos uma campanha pelo trabalho e vamos ver os resultados...

 

vamos ao trabalho e gastaremos menos e pagaremos menos impostos e teremos a certeza de que os nossos impostos, não estão ao serviço da droga e do sexo... da pornografia e dos predadores da juventude mal orientada...

 

é preciso trabalhar... é urgente saber orientar...

 

todos nós nascemos para sermos felizes ... alfelicidade também se ensina...

tem custos, mas aprende-se ...

 

 

lasalete

2007... autocracia ... os gestos silenciosos...

 

 estamos contando os últimos momentos deste ano...

a humanidade quase sem premeditar avançou, vida adentro, sem ilusões, pelos corredores das experiências mais incríveis que podia imaginar...

 

as mesmas caras, os mesmos olhos e os mesmos ouvidos, foram colocados ao serviço de outros gestos mentais e fervilharam de emoções inimagináveis, para quem apenas queria a paz...

aliás foi esse o grito mais ouvido em 2006... quase a finalizar o ano...

 

porém, as vidas de toda a humanidade se cruzaram e mesmo sem premeditar ou sem ter a oportunidade de escolher ,elas foram sendo vividas, coarctadas , algemadas, acorrentadas...

as democracias, conseguidas à custa de muito suor e lágrimas, muito embora vestidas de eminentes protagonizações, são colocadas em perigo constantemente...

os povos cansados de promessas permitem-se à promiscuidade do faz de conta...

 

o povo vai a votos quando não chove e revê-se dolorosamente nos números da abstinência, que quase sempre se desculpam, porque as eleições ou os referendos de fim de semana, facilmente se substituem por férias bem cuidadas...

na terra do tudo é desculpável , a cidadania também o é...

 

no sistema sbsidiário em que estamos incrustados , o que mais dói, não é de certeza a iliteracia , mas a falta de civilidade, de compostura, de amor próprio, de auto-estima , de miserabilismo, que a cada dia mais se processa ... porque, os que nos haviam de dar exemplos de bons cidadãos , partem para as  primeiras páginas dos jornais, de forma a que quase sejamos tentados a pensar que o crime compensa...

 

os romances cor de rosa de bordel barato, enxameiam as páginas cor de rosa e é só vender, a publicidade e a desmesura que se empresta a todo o tipo de atitudes despudoradas e caprichosamente expostas, são o alimento da mente portuguesa que devora tudo, como se de lauto cozido se tratasse, regado à boa maneira do povinho com bom vinho à mistura em altas velocidades, pela mão de altas personalidades...

 

nas barbas de quem passa, lá vai o cortejo de famosos, é só formatar mentes juvenis para a moda e o prazer... tudo pelo sexo barato que até se vende em todas as revistas e com os prognósticos à mistura, não há santo que não faça as suas previsões... o mistério para todo o tipo de gastos a quem é ignorante...

 

os programas recreativos sucedem-se e é dos escândalos que se alimentam as televisões expondo fotocópias angulares ... passados os programas em revista ao fim de oito dias já os sabemos de cor... a imaginação também neste quadro não tem sido muito forte...

 

abrandou-se um pouco o escândalo dos jovens adolescentes escandalosamente vendidos como carne para gasto brutal e logo o país, senão o mundo, fica preso do desaparecimento misterioso da criança que põe em cheque , democracias, monarquias e planaltos judiciários...

 

mas, enquanto tudo isto se desenrola a uma velocidade vertiginosa, os governos gozam de impunidade na sua tão lenta e improdutiva governação...

 

depois de ontem ver a derrocada de espaços de saúde... fiquei pasmada... com os gastos que não deviam ser feitos, quando são levantados e equipados pavilhões, para acudir ao povo indefeso e logo a seguir, se isolam , se encerram, deixando maior a desertificação de meios e de métodos e de propósitos prósperos , que a todos satisfaria e de certeza absoluta, daria mais paz, a quem nada possui a não ser a fé que ainda lhes resta...

 

ainda não estávamos refeitos do encerramento das escolas , onde aglomerados se encontram , magotes de jovens, impossíveis de educar e que não têm ninguém interessado na sua educação a não ser os professores, pobres e mal pagos e já temos o choque   brutal, a machadada inclemente dos centros de saúde dos localidades mais desprotegidas do país...

 

gostaria apenas que me dissessem quem paga tudo isto, ou melhor, quem está a lucrar com estes encerramentos...

 

quando temos ainda tanto para construir e nos permitimos a encerrar espaços construídos e equipados há menos de dois anos?...

 

o desemprego continua a alastrar, os cursos de faz de conta continuam a surpreender quem está desempregado e acredita que depois pode obter um emprego com as novas competências adquiridas...

 

não é certo que a democracia tem descambado em autocracia e não se peça responsabilidade aos ministros, que a sós, deliberam encerramentos  holocausticos , colocando as populações indefesas à beira de um ataque de nervos...

 

a globalização assusta, mas a autocracia ,a mim , assusta muito mais...

 

á necessário humanizar... é urgente cumprir as directrizes eleitorais e não baratinar o povo que de tão subsidista , quase se transforma ideologicamente naquela graçola, que já é anedota...( afinal o que fazes?... e ele responde ... - nada, compro tudo feito)...

 

eu até considero que em alguns aspectos evoluímos , mas frente às necessidades que são enormes,  estamos muito longe de ter evoluído o aceitável ...

 

estamos com um comportamento miserabilista ... intelectualóide ... computadorista e não percebemos que as relações humanos são importantes...

 

portanto amigos, não se espantem porque os gangs estão a proliferar...

 

nem inventem que a polícia e a justiça sabe o que faz...

 

com todo o respeito... não interessa eu saber o que tenho que fazer, se não o fizer...

mas para fazer o que eu devo, não pode ser isoladamente, são necessários apoios , comprometimentos...

 

2008 está aí, prontinho para rebentar no maior escândalo de todos... não, não estou a fazer previsões... esperem só para ver...

 

rebentará por certo e engolirá muitos apitos dourados...

 

não nos podemos ajoelhar mais, é preciso agir... é necessário trabalhar , colocar o governo a trabalhar em condições ... para o governo fazer o seu trabalho em condições , precisa de querer arrumar a casa , limpando o que está errado e sair para a rua, perguntar aos seus administradores o que se está a fazer... em que se está a gastar o dinheiro...

indagar se por acaso existem pessoas com capacidade de gerir...

 

mas estamos num mundo em que todos querem ser doutores, mas ninguém quer vergar a molinha...

 

o povo português precisa de aprumo e de estabilidade... este ano economicamente vai ser superdificil ...

chegará o dia em que nem subsídios haverá .. e depois?...

 

produzir ... ensinar ... trabalhar... rentabilizar ... democratizar ... educar...

 

ainda vamos a tempo... queira o governo aperfeiçoar os seus métodos e de certeza ganhará as próximas eleições ...

 

até a vontade chegar ... seremos um povo com opiniões mas acorrentadas ...

este é o perigo das autocracias... os gestos silenciosos...

 

lasalete

 

 

o brilho do coração...

coracão da cidade

 

sentir o Natal, é fazer a diferença...

 

quatro dias de distribuição alimentar com ritmo e cheiro de Natal para inúmeras famílias, que não teriam consoada, se não fosse a generosidade de centenas de corações generosos que repartiram o pouco que têm de seu magros salários ...

 

interessante é sentir que neste Natal que ainda não terminou, a solidariedade esteve quase inteirinha em gente que trabalha e que talvez por isso mesmo, sabe, porque sente, o que são dificuldades...

 

do povo deste país , não seria de esperar outra coisa...

 

abençoados sejam os corações que se uniram ao nosso...

 

ainda estamos e estaremos a trabalhar... faltam atender mais de duzentas famílias e talvez durante o dia de hoje cheguem muito mais ...

 

vamos continuar neste ritmo até ao romper do dia de amanhã ...

 

para satisfazer as famílias que vêm atrasadas, já temos bacalhau de molho para que a consoada se faça sem o menor percalço ...

 

com grande satisfação nada faltará à mesa de quem veio até e nós...

25 produtos da melhor qualidade fecharam o menu de Natal que de certeza vai ser muito mais feliz...

 

amanhã será dia de distribuição de brinquedos... o Pai Natal preferiu o Domingo... e as crianças ficarão super contentes...

 

as p +rendas para quem vem consoar ao coração já estão a ser embrulhadas com votos de boas festas...

 

a sala desta festa de aniversário crístico está a ser pintada...

 

a pobreza merece e nós adoramos trabalhar em nome d'Ele ...

 

para todos um forte abraço...

 

 

lasalete

 

 

 

as vidraças da alma...

 

 

 

sugerimos que se sentasse e esperasse um pouco...

 

acomodou-se por instantes nos bancos de pedra que a entrada oferece ao cansaço que a vida envia até nós...

 

com os olhos nus de referências visíveis , vestiu-se de dor e encostou-se...

 

chamado ao consultório médico, veio com passo marcado,  falar com a médica de serviço, a quem de imediato confidenciou que queria suicidar-se...

 

 

 

alheia aos dramas da humanidade, lá fora, a chuvinha miúda continuava a cair...

todos os que vinham para almoçar, se acomodavam também, isolados que se encontram, suspensos de solidões diferentes...

 

um velhinho seguro nas suas muletas já gastas e cansadas , pingava de chuva, como se fosse um pai natal de brancos cabelos e gotas de luz... adornamos o idoso com uma capinha de chuva, para que regressa-se à rua,  mais quente e menos exposto ao tempo,  mas depois de alimentar-se...

 

a voluntária de plantão ao centro médico, veio ao meu encontro e confidencia a intenção do homem que no consultório chora  sem parar...

 

esperei por ele disfarçadamente...

saiu aparentemente sereno, mas... ao olhar para mim, toda a sua tristeza vestiu o manto plúmbeo duma alma torturada ...

 

esbarrei com a sua tristeza e as pálpebras denunciavam lágrimas constantes que se percebiam na face sulcada  pela dor que lhe ia na alma...

o rosto apresentava-se emagrecido e estranhamente branco...

 

perguntei como se chamava, para iniciar a conversa...

 

respondeu indirectamente que não queria viver...

denunciou a sua depressiva expressão e disse que estivera em coma bastante tempo depois da última tentativa de suicídio...

ficara-lhe uma deficiência renal, que a muito custo está ultrapassando...

 

não aguenta a saudade da filha que o divórcio levou para longe do seu coração...

sofre porque ela não quer saber dele, sofre pela família que não tem a seu lado, faz-lhe falta e não sabe como viver...

 

abandonado, talvez não encontre forma de viver a sua solidão...

 

perguntei se lhe restava outro familiar e referenciou a mãe como o único elo que lhe resta...

 

não trabalha vai para algum tempo... era motorista de ambulância, mas não pode exercer a profissão porque entrou numa depressão profunda...

 

mostrei-lhe que a porta do suicídio , não é de certeza, a porta por onde deve passar... e que deve motivar-se pelo amor da sua mãe que de certamente  ficaria muito triste se tal acontecesse...

 

bebeu as minhas palavras e  tenho a certeza que tentava entender-me ... não conseguiu... soltou as lágrimas ardentes e a face molhou-se novamente de incertezas... incertezas que só o olhar sabe abrir...

 

saiu e eu perguntei a mim mesma:

  • como vou devolver-lhe a coragem...
  • como vou conseguir restituir-lhe a esperança...
  • como vou fazer-lhe entender que a vida se sustem da alegria de vivê-la todos os dias de forma diferente...
  • como hei-de fazê-lo acreditar que ainda tem tantos anos pela frente...

eu sei que é difícil e é para estes momentos que peço a Deus coragem e discernimento ... como pesa em minhas mãos a alma dos que choram...

não sei para onde dirigir um caudal de sofrimento , quando as lágrimas inundam a vida afogando a existência...

eu gostaria mais de afogar as mágoas se tivesse a certeza que mais ninguém as viveria...

 

nosso amigo saiu e foi almoçar e entre os presentes ficou o silêncio e o toque incerto dos seus passos enquanto se afastava...

 

voltará? ... passará entre nós o Natal?... quem chorará por ele se ele desistir? ...

 

entre interrogações , marquei as distâncias e propositadamente afastei da minha visão os olhos lacrimejantes desse rosto marcado pela vida, dessa alma solitária que mergulhou em depressão...

 

regressei ao teclado e vim desabafar com o mundo... apenas para pedir-vos ...

 

seja do que for... seja pelo que for... nunca desistam...

 

limpem as vidraças da alma e procurem na paisagem da vida a primavera do acreditar...

 

até amanhã....

 

lasalete

o anjo dos gatos tristes...

gatosnoceu.gif

 

os gatos não têm asas, mas de certeza que têm um anjo...

o Coração da Cidade, tem ensinado de forma surpreendente mil formas de solidariedade... e mostra a todos nós que ainda não vivemos o suficiente , para não nos deixarmos de surpreender todos os dias...

 

vou aqui relatar um facto, lindo e interessante...

 

sexta feira pela manhã, telefona uma assistente social, implorando ajuda para uma família , composta de mãe e mais dois filhos, que têm sido vitimas de violência doméstica  por parte do pai e que por isso mesmo se encontram fora do lar ... a Segurança Social, entendeu por bem colocar esta família a salvo desse homem muito mau e alojou a família numa pensão do Porto ...

 

tal como pediu a ssistente social, acolhemos esta pequena família no Coração da Cidade e verificamos que a sua origem era bastante humilde... traziam apenas a roupa do corpo e as crianças apresentavam medo e uma tristeza profunda que a todos comoveu...

 

tiritando de frio, e encostados uns aos outros ali estavam aqueles seres humanos, a quem a vida tinha dado por herança um pai tirano...

 distribuímos roupa quente aos três e calçamos estas pobres criaturas que estavam transidos de frio e de medo  perante a situação em que se encontravam e que para eles parecia ser novidade...

 

estavamos na hora do almoço, fizemos o convite para que almoçassem connosco e assim ficaram os três sentadinhos a uma mesa , mas com uma cara de muita desconfiança...

 lá foram comendo o que de bom grado lhes entregávamos e ...

 

a breve trecho , a nossa curiosidade tomou forma e os nossos olhos pousaram no embrulho que a mãe dos pequenos trazia junto ao colo ...

o que representaria para eles tão precioso fardo?...

esperamos sem perturbar, para que comessem em paz...

 já pareciam ambientados,  comeram com satisfação e nós sempre a pensarmos na mãe e no seu precioso fardo... seria mais uma criança?... talvez...

 

estavamos nós de indagação em indagação, quando de repente, para nossa surpresa, dos braços da mulher, em vez de sair uma criança , surge uma cabecita pequena, de olhitos arregalados , mas muito encolhido, cinzento e branco e muito espevitado.,..

 

a sorrir , disse  a mãe: - é o nosso gatinho, também não tem onde ficar...

 

olhamos espantados e logo ali tiramos a lição mais interessante....

esta família nada possui, mas mesmo assim, não abandonou o gatinho,

quando existem famílias que por bem menos, rapidamente abandonam os animais...

 

o gatinho ali ficou, no colo quente da sua dona, para alegria dos filhos desta família que não o queriam abandonar...

 

sem eira nem beira, mas humanos o suficiente para não abandonar o seu amigo...

 

grandes lições de quem nada tem ...

 

não precisaram de cursos, de psicólogos , para resolver questões básicas e essenciais, como as questões humanas de sã e franca convivência que nos diz que nunca se deve abandonar um amigo...

 

fiquei contente e a brincar disse: - o anjo deste gatinho estava atento e Deus registou o facto...

 

parabéns portanto ao anjo dos gatinhos que neste caso trabalhou muito bem...

 

um abração a todos os amigos dos animais ...

lasalete

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



gifs

CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D