Quinta-feira, 14 de Fevereiro de 2008

que seja eterno... " poema"

 

 

Que seja eterno ...

que seja eterno... este encontro programado,

que não perdure à margem desta vida,

que seja eterno meu amor, que seja eterno,

mas que não seja eterna esta chama indefinida ...

 

que seja definida mas eterna,

a ternura que o coração quer esconder,

que seja eterna, pura e terna esta aventura,

que a felicidade ainda vai acontecer...

 

que possamos falar de chegada sem partida,

sem ausências, sem amuos, ou queixume,

que sejam rosas meu amor, que sejam rosas,

as faces quase rubras do ciúme ...

 

que sejam enamoradas nossas almas,

como se, de dois sóis viesse a nossa luz,

que sejam mais abertas as entradas,

dessa porta que só o amor traduz...

 

que me doam os ossos mais que a alma,

impenetrável labirinto do meu ser,

que gotejem meus poros, não meus olhos,

quando tua ausência tiver que acontecer...

 

mas se nesta aventura tiver que perdurar,

o meu percurso de solidão de luta e dor...

que goteje em mim este poema a relembrar,

que tudo pode ser eterno... meu amor... 

 

 

lasalete ... 14-02-2008

 

 

neste momento eu estou ...: amando
publicado por lapieta@sapo.pt às 10:05

link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 12 de Fevereiro de 2008

meus versos... poema

             

         meus versos...

 

meus versos minha raiz,

minha vida mar e dor,

minha sede de viver

meu amor... meu amor... meu amor...

 

luas de papel unidas

de fronte p´ra meu olhar

meus poemas minha lida

minha fonte a sedentar ...

troncos de raiz torcida

onde a alma embevecida

bebe sempre sem parar...

 

em lugares onde as ausências

são divinais providências

sonhos que ficam comigo

sem os poder partilhar...

meus versos são água livre

onde me posso banhar...

 

pus sapatos de cetim

e fitas no meu cabelo

cantei meus versos sem fim

gritei versos sem parar

fiz grinaldas de flores

pendurei os meus amores

em fios soltos  de luar...

 

versos meus...

que é de meus versos?

que andam por aí dispersos

só p´ra fazerem sonhar...

se p´ra tanto são criados,

meus versos são como rosas

que se oferecem generosas

em dia de namorados...

 

meus versos são minha alma

meu granito onde eu esqueço

no calor do sol de inverno

esse frio em que adormeço...

 

 

lasalete ... 

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 18:21

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 25 de Janeiro de 2008

minhas lágrimas poema... (poema)

   

minhas lágrimas poema...

 

 

 

trago lágrimas nos olhos

e corações no olhar

trago poemas na alma

saudades de te encontrar...

caminhas perto de mim

dormes à noite comigo

sonho contigo e a sonhar

faço poemas e digo

palavras que o céu entende

em orações definidas

e minhas lágrimas soltas

escorrem nas mãos erguidas...

 

grito de noite os apelos                   

que os deuses ficam a aouvir,

calados trazem-me as penas

deste meu longo sentir...

se pudesse eternizar

a harmonia em teu ser

meu amor, como queria

passar-te este meu querer...

lavando mágoas eternas

sempre o tempo vai contando

aquilo que ninguém quer

mas vivemos suportando...


 

minhas lágrimas poema

não sabem como curar

teu imenso padecer...

apenas me resta amar...

 

lasalete... 25-1-08

 

publicado por lapieta@sapo.pt às 10:57

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Janeiro de 2008

tão fragéis... meu Deus...

sem que propositem , perante as imagens, a piedade instala-se dentro de nós...

 

estes olhos, vencem o medo, mas a ternura que inspiram, abala o coração de qualquer ser humano...

 

como são frágeis , os seres desprotegidos pela vida... os que nada possuem para além do olhar mais doce que Deus lhes deu...

 

hoje fiquei parada, olhando a televisão...escutei mais que uma vez...

 

12 mil crianças institucionalizadas...

 

as minhas lembranças revoltas confundiram-se com as palavras a cores que a televisão fazia ecoar... 

voltei de repente para dentro de mim... já era assim quando ainda era criança... não era de ninguém... era do mundo...

 

que medo meu Deus... que fragilidade ...

que dor experimentei, quando aquelas portas enormes se fecharam atrás de mim e aquela figura feminina me olhava do cimo dessa montanha dura com dois olhos enormes e a voz mais autoritária que alguma vez ouvira...

 

eu só conhecia o mundo, onde não havia de comer, nem lençóis para dormir , nem brinquedos para brincar... mas tinha os olhos da minha mãe...

 

e agora... encerrada naquele convento...

Vairão ... isto para mim ficava no finalzinho do mundo... talvez do outro lado da casa da minha mãe e muito perto do inferno...

 

de repente descobri que não habitava só naquele local... outras mulheres igualmente altas e feias vieram ao meu encontro... despiram-me, deram-me banho, cortaram-me o cabelo e levaram o cheiro da minha mãe... sofri demais para me encontrar... quando me deitaram tremi toda a noite... e nas noites seguintes não consegui encontrar motivo para que a minha mãe se tivesse esquecido de mim naquele lugar...

 

e assim permaneci longos anos... até ser maior e descobrir que tinha que ser assim...

 

tanto se escreve sobre as crianças dentro das instituições e tão pouco se sabe do que efectivamente se passa lá dentro...

 

agradeço por ter sido retirada à pobreza... mas não era a mim que deviam ter castigado... eu com cinco anos nunca tinha feito mal a ninguém... eu não tinha culpa de os homens serem egoístas e fazerem dos mais pobres escravos permanentes... a minha mãe trabalhava muito e chorava demais porque não tinha dinheiro... nada tinha para nos dar...

 

hoje sempre que vejo uma mulher a pedir ajuda o faço em nome da minha mãe...

 

mas ainda me fere quando se fala das crianças armazenadas em instituições de caridade... por muito diferente que seja o mundo de hoje a dor continua igual e a pergunta permanece ... porque estou aqui?... que crime cometi ?... porque não tenho direito a um lar como as outras crianças?... um dia perguntei a Deus ... Pai do céu , porque não gostas de mim e me deixas-te abandonada aqui dentro?...

 

lembro-.me que por esta altura do ano as alunas internadas recebiam durante as visitas mensais dos seus familiares, laranjas e algumas goluseimas que comiam sofregamente ...

eu dificilmente recebia visitas... mas no dia das visitas das outras meninas, eu não recebia laranjas, então sem ninguém ver, depois de todos se retirarem juntava as cascas espalhadas pelo chão  e cheirava-as para me lembrar do cheiro do outro lado do muro... na esperança de recuperar o cheiro da minha mãe...

 

no mesmo local existia uma grande ameixoeira, cujo tronco centenário tinha moldado um grande buraco, onde me escondia a chorar com saudades da minha mãe e com medo de nunca mais sair daquele espaço...

 

é necessário entender a mente de quem está guardado nestes espaços, que por muito carinho que ofereçam, representam para quem lá reside, um misto de conforto e de angústia difícil de arrancar...

 

a fragilidade de quem nada tem, dói-me profundamente e sempre tento atenuar essa dor... mas, quando os números me trazem a enormidade do abandono, do colo que tanta falta faz... então aí... meu Deus, como dói...

 

tanta construção ao alto, tanta estrada maravilhosa, já conseguimos o espaço, tanta tecnologia de ponta que nos deixa de boca aberta e ainda não conseguimos tomar conta das nossas crianças, nem amamos os animais...

 

que mundo é este meu Deus ... tão frágeis que nós somos...

 

lasalete ...

neste momento eu estou ...: recordando
publicado por lapieta@sapo.pt às 19:25

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sábado, 22 de Dezembro de 2007

o brilho do coração...

coracão da cidade

 

sentir o Natal, é fazer a diferença...

 

quatro dias de distribuição alimentar com ritmo e cheiro de Natal para inúmeras famílias, que não teriam consoada, se não fosse a generosidade de centenas de corações generosos que repartiram o pouco que têm de seu magros salários ...

 

interessante é sentir que neste Natal que ainda não terminou, a solidariedade esteve quase inteirinha em gente que trabalha e que talvez por isso mesmo, sabe, porque sente, o que são dificuldades...

 

do povo deste país , não seria de esperar outra coisa...

 

abençoados sejam os corações que se uniram ao nosso...

 

ainda estamos e estaremos a trabalhar... faltam atender mais de duzentas famílias e talvez durante o dia de hoje cheguem muito mais ...

 

vamos continuar neste ritmo até ao romper do dia de amanhã ...

 

para satisfazer as famílias que vêm atrasadas, já temos bacalhau de molho para que a consoada se faça sem o menor percalço ...

 

com grande satisfação nada faltará à mesa de quem veio até e nós...

25 produtos da melhor qualidade fecharam o menu de Natal que de certeza vai ser muito mais feliz...

 

amanhã será dia de distribuição de brinquedos... o Pai Natal preferiu o Domingo... e as crianças ficarão super contentes...

 

as p +rendas para quem vem consoar ao coração já estão a ser embrulhadas com votos de boas festas...

 

a sala desta festa de aniversário crístico está a ser pintada...

 

a pobreza merece e nós adoramos trabalhar em nome d'Ele ...

 

para todos um forte abraço...

 

 

lasalete

 

 

 

neste momento eu estou ...: trabalhando com amor
publicado por lapieta@sapo.pt às 14:27

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 1 de Dezembro de 2007

as vidraças da alma...

 

 

 

sugerimos que se sentasse e esperasse um pouco...

 

acomodou-se por instantes nos bancos de pedra que a entrada oferece ao cansaço que a vida envia até nós...

 

com os olhos nus de referências visíveis , vestiu-se de dor e encostou-se...

 

chamado ao consultório médico, veio com passo marcado,  falar com a médica de serviço, a quem de imediato confidenciou que queria suicidar-se...

 

 

 

alheia aos dramas da humanidade, lá fora, a chuvinha miúda continuava a cair...

todos os que vinham para almoçar, se acomodavam também, isolados que se encontram, suspensos de solidões diferentes...

 

um velhinho seguro nas suas muletas já gastas e cansadas , pingava de chuva, como se fosse um pai natal de brancos cabelos e gotas de luz... adornamos o idoso com uma capinha de chuva, para que regressa-se à rua,  mais quente e menos exposto ao tempo,  mas depois de alimentar-se...

 

a voluntária de plantão ao centro médico, veio ao meu encontro e confidencia a intenção do homem que no consultório chora  sem parar...

 

esperei por ele disfarçadamente...

saiu aparentemente sereno, mas... ao olhar para mim, toda a sua tristeza vestiu o manto plúmbeo duma alma torturada ...

 

esbarrei com a sua tristeza e as pálpebras denunciavam lágrimas constantes que se percebiam na face sulcada  pela dor que lhe ia na alma...

o rosto apresentava-se emagrecido e estranhamente branco...

 

perguntei como se chamava, para iniciar a conversa...

 

respondeu indirectamente que não queria viver...

denunciou a sua depressiva expressão e disse que estivera em coma bastante tempo depois da última tentativa de suicídio...

ficara-lhe uma deficiência renal, que a muito custo está ultrapassando...

 

não aguenta a saudade da filha que o divórcio levou para longe do seu coração...

sofre porque ela não quer saber dele, sofre pela família que não tem a seu lado, faz-lhe falta e não sabe como viver...

 

abandonado, talvez não encontre forma de viver a sua solidão...

 

perguntei se lhe restava outro familiar e referenciou a mãe como o único elo que lhe resta...

 

não trabalha vai para algum tempo... era motorista de ambulância, mas não pode exercer a profissão porque entrou numa depressão profunda...

 

mostrei-lhe que a porta do suicídio , não é de certeza, a porta por onde deve passar... e que deve motivar-se pelo amor da sua mãe que de certamente  ficaria muito triste se tal acontecesse...

 

bebeu as minhas palavras e  tenho a certeza que tentava entender-me ... não conseguiu... soltou as lágrimas ardentes e a face molhou-se novamente de incertezas... incertezas que só o olhar sabe abrir...

 

saiu e eu perguntei a mim mesma:

  • como vou devolver-lhe a coragem...
  • como vou conseguir restituir-lhe a esperança...
  • como vou fazer-lhe entender que a vida se sustem da alegria de vivê-la todos os dias de forma diferente...
  • como hei-de fazê-lo acreditar que ainda tem tantos anos pela frente...

eu sei que é difícil e é para estes momentos que peço a Deus coragem e discernimento ... como pesa em minhas mãos a alma dos que choram...

não sei para onde dirigir um caudal de sofrimento , quando as lágrimas inundam a vida afogando a existência...

eu gostaria mais de afogar as mágoas se tivesse a certeza que mais ninguém as viveria...

 

nosso amigo saiu e foi almoçar e entre os presentes ficou o silêncio e o toque incerto dos seus passos enquanto se afastava...

 

voltará? ... passará entre nós o Natal?... quem chorará por ele se ele desistir? ...

 

entre interrogações , marquei as distâncias e propositadamente afastei da minha visão os olhos lacrimejantes desse rosto marcado pela vida, dessa alma solitária que mergulhou em depressão...

 

regressei ao teclado e vim desabafar com o mundo... apenas para pedir-vos ...

 

seja do que for... seja pelo que for... nunca desistam...

 

limpem as vidraças da alma e procurem na paisagem da vida a primavera do acreditar...

 

até amanhã....

 

lasalete

neste momento eu estou ...: vivendo
publicado por lapieta@sapo.pt às 15:52

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 19 de Novembro de 2007

o anjo dos gatos tristes...

gatosnoceu.gif

 

os gatos não têm asas, mas de certeza que têm um anjo...

o Coração da Cidade, tem ensinado de forma surpreendente mil formas de solidariedade... e mostra a todos nós que ainda não vivemos o suficiente , para não nos deixarmos de surpreender todos os dias...

 

vou aqui relatar um facto, lindo e interessante...

 

sexta feira pela manhã, telefona uma assistente social, implorando ajuda para uma família , composta de mãe e mais dois filhos, que têm sido vitimas de violência doméstica  por parte do pai e que por isso mesmo se encontram fora do lar ... a Segurança Social, entendeu por bem colocar esta família a salvo desse homem muito mau e alojou a família numa pensão do Porto ...

 

tal como pediu a ssistente social, acolhemos esta pequena família no Coração da Cidade e verificamos que a sua origem era bastante humilde... traziam apenas a roupa do corpo e as crianças apresentavam medo e uma tristeza profunda que a todos comoveu...

 

tiritando de frio, e encostados uns aos outros ali estavam aqueles seres humanos, a quem a vida tinha dado por herança um pai tirano...

 distribuímos roupa quente aos três e calçamos estas pobres criaturas que estavam transidos de frio e de medo  perante a situação em que se encontravam e que para eles parecia ser novidade...

 

estavamos na hora do almoço, fizemos o convite para que almoçassem connosco e assim ficaram os três sentadinhos a uma mesa , mas com uma cara de muita desconfiança...

 lá foram comendo o que de bom grado lhes entregávamos e ...

 

a breve trecho , a nossa curiosidade tomou forma e os nossos olhos pousaram no embrulho que a mãe dos pequenos trazia junto ao colo ...

o que representaria para eles tão precioso fardo?...

esperamos sem perturbar, para que comessem em paz...

 já pareciam ambientados,  comeram com satisfação e nós sempre a pensarmos na mãe e no seu precioso fardo... seria mais uma criança?... talvez...

 

estavamos nós de indagação em indagação, quando de repente, para nossa surpresa, dos braços da mulher, em vez de sair uma criança , surge uma cabecita pequena, de olhitos arregalados , mas muito encolhido, cinzento e branco e muito espevitado.,..

 

a sorrir , disse  a mãe: - é o nosso gatinho, também não tem onde ficar...

 

olhamos espantados e logo ali tiramos a lição mais interessante....

esta família nada possui, mas mesmo assim, não abandonou o gatinho,

quando existem famílias que por bem menos, rapidamente abandonam os animais...

 

o gatinho ali ficou, no colo quente da sua dona, para alegria dos filhos desta família que não o queriam abandonar...

 

sem eira nem beira, mas humanos o suficiente para não abandonar o seu amigo...

 

grandes lições de quem nada tem ...

 

não precisaram de cursos, de psicólogos , para resolver questões básicas e essenciais, como as questões humanas de sã e franca convivência que nos diz que nunca se deve abandonar um amigo...

 

fiquei contente e a brincar disse: - o anjo deste gatinho estava atento e Deus registou o facto...

 

parabéns portanto ao anjo dos gatinhos que neste caso trabalhou muito bem...

 

um abração a todos os amigos dos animais ...

lasalete

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 15:18

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

a melhor oportunidade...

 

estamos a encurtar o passo para a noite de Natal...

 

no Coração da Cidade a ceia de Natal vai decorrer como habitualmente entre as 19horas  e  as 22 horas...

 

o sector de recrutamento de voluntariado, já iniciou as inscrições para voluntários eventuais para a ceia de Natal no dia 24 de Dezembro e para o jantar do dia de Natal do dia 25 de Dezembro, no horário das 17 horas às 20 horas...

 

é sempre gratificante ver que de vários pontos do país e nos mais variados sectores da vida pública existem pessoas que a cada ano e de forma diversa, tomam a decisão de vir partilhar a noite mais bela do ano, com os menos afortunados...

a ceia sempre se desenrola, de forma ajustada às exigências da quadra, onde o calor humano e a disciplina se enquadram, com os cheiros do bacalhau cozido e os aromas doces das sobremesas que logo pela manhã enfeitam a mesa natalícia para receber os convidados daquele, que nessa noite é o aniversariante ... JESUS ...

 

sempre deparamos, ano após ano, com novos rostos, que nunca ficam indiferentes ao inusitado da situação...

como alguns comentam, uma coisa é ouvir-se falar desta actividade, outra bem diferente é ter a oportunidade de partilhá-la com alguém e enfrentar a preguiça e aderir ao chamamento que a caridade faz dentro da solidária razão que assiste cada um de nós...

 

se você nunca experimentou este envolvimento aproveite esta oportunidade e registe dentro de si, o quadro fraterno e ao vivo que é a festa amorosa da noite de Natal, onde todos se confundem, numa festa eterna de amor e alegria...

 

nada falta naquela mesa, nada se rejeita, nada se recusa e o coração de quem dá e recebe, fala a mesma linguagem"somos humanos e assim teremos que caminhar" ...

a magia da noite de Natal, é única...

 

se quiser partilhar connosco esse espaço no tempo, ligue para 22 502 5555 e diga:

  • quero ser voluntário na noite de Natal... ou
  • quero ser voluntário no dia de Natal.. ou
  • quero passar os dois dias de Natal no Coração da Cidade...

a beleza desta quadra é tal, que existem voluntários eventuais que já o fazem há mais de 6 anos e vêm de Lisboa ... alguns optam por passar a noite numa hospedaria perto e ficam para o dia de Natal... fazem acontecer esta noite de forma diferente, como em Belém... imaginando que vão visitar o Menino Jesus e têm que ficar ali perto...

 

em cada um de nossos irmãos mais desprotegidos está Jesus, para junto dos quais nos envia, para dulcificarmos a sua vida, que de maneira triste e rebelde, se vai desenrolando, em confronto directo, com a vida faustosa de uns quantos que não olham à sua volta e sem sacrifício bem poderiam ajudar quem mais precisa de auxílio...

 

nesta época ... em pleno século XXI ainda existem seres humanos, que violam os mais elementares princípios morais, no que concerne à violação dos direitos humanos, deixando tanta gente sem lar nem pão , sem educação nem saúde e os mantêm prisioneiros de sua própria precariedade , indiferentes à dor que passa todos os dias nas primeiras páginas da comunicação social...

 

o maior flagelo deste século, não é a SIDA... é a indiferença daqueles que já têm obrigação de olhar para o seu semelhante com olhos de justiça e raciocínio solidário...

 

o Natal por excelência requalifica uns quantos, ainda que por um lapso de tempo, talvez por isso mesmo o Natal não deva acabar tão cedo,,, pelo menos nessa quadra a solidariedade aumenta e o mundo inventa que é menos indiferente...

no Coração da Cidade o Natal acontece todos os dias... porque diariamente , damos de comer, vestimos e damos apoio medicamentoso...

amar não tem hora marcada...

mas a vida todos os dias marca encontro connosco esperando que a nossa reposta ao sofrimento que se esbarra por aí connosco, tenha uma resposta amorosa ...

 

venha fazer Natal connosco... venha ajudar a vida...

 

 

lasalete ...

neste momento eu estou ...: desperta
publicado por lapieta@sapo.pt às 09:33

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

perfumes de madrugada... ...

de vez em quando... ( poe...

se ... ( poema)

quando cruxificaram o amo...

é preciso deixar-se amanh...

a Páscoa está aí...

uma dor + uma dor, faz um...

vamos falar de amor... só...

que seja eterno... " poem...

meus versos... poema

minhas lágrimas poema... ...

tão fragéis... meu Deus.....

o brilho do coração...

as vidraças da alma...

o anjo dos gatos tristes....

a melhor oportunidade...

aproveite o Domingo... pa...

o mundo está nas tuas mão...

Maria de Ninguém...

meus amigos são raizes......

perfume da alma ( poema)

as lágrimas dum dia feli...

está quase a anoitecer...

o mundo precisa de abraço...

Não se devia chorar ao Do...

poema a meu pai... ( poem...

mais comentados

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags