Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

os cravos estão vermelhos de vergonha...

 

Parte de mim ficou nessa manhã de cravos rubros...

 

ainda que refeita do susto do diz que diz, com sabor a liberdade, nada parecia ainda muito certo...

 

com o avançar das horas, se clarificavam as conversas e se acentuavam opiniões de pseudo sábios quanto a coisas que a democracia deveria trazer e dizia-se à boca cheia, que agora é que iria ser bom...

 

porém os anos passaram e todos os projectos de liberdade de um jeito ou de outro se manifestaram...

 

hoje o que resta do 25 de Abril... tudo... mas... o cansaço do quotidiano mal amado gerou conflitos interiores difíceis de ultrapassar...

a população não quer aceitar que a liberdade é um treino diário de adestramento da vontade de viver e de disciplina interior, é um modelar constante do nosso mal formado carácter para que a liberdade se manifeste em nós e simultaneamente nos outros...

 

mas, o que mais deixa de lado o prazer da liberdade, é que constantemente os menos abastados se deixaram contagiar pela inoperância e entregaram a liberdade aos partidos, deixaram-se conduzir por querelas partidárias e não foram capazes de entender que a parte mais bela da liberdade, que é a união de esforços , estava a adoecer, porque a liberdade deve ser alimentada por um povo que sente diariamente na alma e no corpo as algemas dolorosas das migalhas que os ricos fazem escorregar das suas mãos abastadas e nuas de caridade, douradas da caridade assistencial que não sabem usar...

 

a disparidade de diferenças salariais entre os portugueses é imagem nítida de que a liberdade passou por aí...

a ausência de trabalho é sintomático de que alguém formado nas fileiras do despotismo amordaçou a liberdade...

a ausência do essencial para viver, é declaradamente a imagem dum país com fissuras económicas que demonstram sem duvida , que a liberdade há muito tempo foi esquecida e que o 25 de Abril a muito custo é lembrado, para que não os chamem de fascistas ou de outro nome menos amoroso, que ninguém gosta de colocar na lapela em dia de procissão social debaixo do pálio do poder...

 

o holocausto humano que está acontecendo por aí ...

é notório e já não se pode esquecer ... os fornos crematórios podem ser mesmo os centros de emprego, onde se queimam as esperanças de muitos que ainda acreditaram que ao receberam ensino superior poderiam estar bem colocados e cotados no mercado de trabalho...

 

o lugar cimeiro que os espera e para isso têm que se apressar, é numa instituição onde a sopa é diária e entre risos e voluntariado lá se vai esquecendo a vida e quando damos por ela já se passou mais um dia...

 

a liberdade não pode ser esquecida...

mas não é ao governo que compete fazer esvoaçar a liberdade, é ao povo, que mais nutrido de democracia tem que lembrar a quem governa que as ditaduras são para cremar e que a liberdade para governar começa na distribuição da riqueza de forma honesta e programada, para que todos debaixo da mesma bandeira e à luz duma constituição modelar, se sintam livres e prósperos e não encurralados e desiludidos...

 

a liberdade está  na mão do povo que não se deve deixar encantar com brilhos baços de subsídios que em nada dignificam a vida, mas que contrariamente âs leis da liberdade lhes está garantindo a situação de "presos com salvo conduto"...

 

podem passear pelas avenidas enquanto o subsídio permitir... e depois ?... depois ... deitem-se e sonhem que um dia existiu alguém que materializou um sonho que a que chamou liberdade ...

 

eu amo a liberdade, por isso me permito todos os dias lutar contra aquilo que considero um mal maior... a falta de meios de sobrevivência...

 

hoje estou particularmente feliz... O Coração da Cidade iniciou uma nova fase... o alojamento para indivíduos da rua..

 

que Deus nos dê coragem e discernimento para sabermos usar a nossa liberdade...

 

 os cravos estão vermelhos de vergonha... é preciso ressuscitar a LIBERDADE...

 

lasalete

hoje ... amanhã ... e depois de amanhã ...

 

AMIGO E IRMÃO ... PÁSCOA FELIZ

dizem que foi hoje...

apenas sei que há muitos anos atrás morreu um amigo meu...

faz mais de 2000 anos...

 

porque mataram o meu amigo...

porque fizeram mal a um amigo que me deixou uma herança de amor...

que nunca me pediu nada em troca...

que me ama incondicionalmente...

que me deixou um recado: - que eu amasse até os que me fazem mal...

que desse valor à vida e a toda a natureza...

que me deixou uma mensagem de confiança e esperança , dizendo-me que ele viria , mas, que deixaria entretanto o consolador...

que nunca desanimasse porque ele suportaria o meu fardo...

que perdoasse a todos, por maior que fosse a falta que cometessem contra mim...

que todos éramos filhos de Deus e por isso mesmo herdeiros do mundo, príncipes do amor...

que me ensinou a olharmos os mais pequeninos com grandes olhos de amor...

que me ensinou a proteger os pobres, os que tem fome e frio...

que me ensinou a pensar nos que sofrem fome e sede de justiça...

que me ensinou a orar na certeza de que Ele estaria sempre ao meu lado...

 

porque mataram o meu Amigo...

Ele apenas queria mostrar um mundo novo, sem fronteiras, sem barreiras sociais, sem brusquidão e sem maldade, sem corrupção e sem desespero...

 

Ele só queria dizer ao mundo... viver vale a pena...

 

para que sem dúvidas eu caminhasse, me disse...

- VEM... EU SOU O CAMINHO A VERDADE E VIDA...

 

querido AMIGO ... sei que voltaste ... percebi que afinal não há morte...

 

nos momentos mais difíceis eu sinto a Tua presença ...

 

Domingo vou comemorar com os teus amigos... os da rua... os que também carregam uma cruz bem pesada...

 

fica aqui o convite... vem almoçar connosco... vem comemorar connosco...

estaremos a bendizer a vida, a esperança e a luz, a certeza de que em todos os momentos o Teu amor estará connosco abençoando a nossa vida...

 

 

 Amigo ... o convite também é para ti... vem festejar connosco...

 

lasalete... deseja a todos uma PÁSCOA FELIZ

 

 

quase nua... poema

 

 

ainda não me vesti do brilho das estrelas

nem da cor das rosas que o mundo espera ver,

nem da seda das asas das almas que são belas

nem das pétalas de lágrimas que a dor já  fez correr...

 

tenho frio e calor todo o dia e a toda a hora

choro e sufoco as palavras que a cantar ainda invento

corto a garganta  pela Fé com discursos vida fora

olho mais longe o quanto posso, o  quanto  intento...

 

a dor empastou a Terra com o sangue à luz da Lua

de frente para o egoísmo que mancha e que corrói

e a alma transformada que guardo quase nua

já não suporta a indiferença e a maldade  que destrói...

 

de costas para Deus o homem diz ser mais

mas confunde os demais, sem dor nem sentimento,

rindo dos gritos dos que já não soltam ais

porque os corpos desnutridos se confundem no cimento...

 

os castelos de outrora, estão ruindo lentamente,

a vida está mostrando a nudez de todos nós

e eu quase nua, aos gritos, caminho consciente

matando o tempo pelos outros, erguendo a minha voz...

 

vou acertando os passos um a um e quase nua 

criando mil formas de me vestir maduramente,

tento vestir-me de amor, de madrugadas e de lua

pela certeza que tenho de viver eternamente...

 

 

 lasalete...15.3.09... 12 h

existe uma razão para tudo...

 

para ser amável... para ser violento...

 

para ser vulnerável ... para ser firme...

 

para ter Fé ... para duvidar ...

 

para amar ... para rejeitar o amor...

 

para nos aproximarmos ... e para abandonarmos alguém...

 

para nos lembrarmos de aparecer ... e para nos esquecermos de chegar...

 

para abraçarmos ... e para ignorarmos os abraços...

 

 

mas, até que ponto, nós conseguimos mesmo ignorar quem mora a nosso lado...

que crises, que sinais, que envolvimentos estão no ar para que não consigamos perceber que alguém está gritando, chorando, para que nós nos apercebamos de que essa pessoa precisa de auxílio...

 

no âmbito das suposições e das aquisições humanizantes, existem pessoas no mundo que não enxergam nada diante de si, senão a si próprias...

 

existem outras que estão constantemente a ser alvo das ameaças emocionais, que dia a dia bordam o consciente e o inconsciente de todos nós...

 

nesse pantanal de emoções descontroladas, que forma o oceano colectivo, o ser humano não se detém , mas procura sofregamente o que de mais emocionante e mais versátil se está a oferecer a nível emocional e mental, material e até espiritual, esquecendo-se de que o campo das emoções é um trabalho de todos os dias, de cada hora... e que deve ser discutido ao mais alto nível ( a compreensão mútua)...

 

sem desejos não há amor a crescer...

 

do desejo de vencer, nasce o amor pelas coisas , pelo próximo...

do desejo de alegrar, nascem as grandes obras e os grandes génios...

do desejo de agradar, nascem as grandes amizades, e os gratos amores... quem sabe as tórridas paixões ?...

 

do desejo de viver, nasce a grande muralha que se chama evolução e o grande pilar que se chama humanidade...

 

dentro de cada um de nós de forma mais ou menos visível, sempre se encontram razões para as nossas atitudes, mesmo que elas saiam fora do que consideramos razoável...

 

resta-nos portanto considerarmos as nossas atitudes dentro dos limites do respeito pelo próximo e verificarmos até que ponto estamos a magoar os outros e de que forma nos movimentamos neste mundo, onde, quer queiramos quer não, estamos todos na dependência dos demais...

 

viver sem angústia, é o desejo de toda a gente... e sermos mais honestos deveria ser o ponto forte da vida de cada um de nós...

 

invocar de Deus a perseverança e a tolerância, como conquistas fundamentais, para que a nossa vida, de braço dado com a vida dos outros, possa ser, afinal, um ponto de honra para todos nós , vibrando em amor pelos demais e respeitando a grande atmosfera humanizante, composta pelo respirar vibrante daqueles que adormecem e despertam com o coração pleno de amor...

 

se tudo tem uma razão de ser... vamos dar então uma razão mais forte ao AMOR...

 

lasalete

para que se conste ...

 

fazer um esforço para não falar de fome, tem sido o meu esforço...

não tanto para não agravar o medo crescente, ou o desfraldar da bandeira da crise, mas também porque já cansa de tanto falar de fome e de perceber que afinal as instituições, que continuam a resolver de forma dramática o flagelo da pobreza, que vai dia a dia trazendo à superfície  novos rostos com fome, continuam em situação de programação autista que em nada beneficia o país...

 

no meu humilde entender seria de prever, porque é necessário que os representantes do país, se dirigissem a esses locais para constatar " in loco" , o que afinal se está a passar...

 

não estamos necessariamente a produzir uma encenação de La Féria, mas continuamos a protagonizar a peça mais brava de sempre no nosso pais " OS MISERÁVEIS " que em cena está há tanto tempo que já lhe perdi a memória, mas que pelo que está a acontecer está para durar e não sei quando vai encerrar este cenário de dor e sofrimento...

 

ainda hà pouco mais de um mês O Coração da Cidade, retomou as refeições diárias, com 9 horas de trabalho diário e consecutivo e já atingimos os 300 utentes...

 

não são os mesmos rostos, não têm as mesmas maneiras dos sem abrigo, são homens e mulheres que nada têm a ver com a pobreza habitual e não sabem como comer sem que tenham que se dirigir a uma instituição...

 

no Coração da Cidade tudo é gratuito...

na sala onde comem, foi montado um esquema de self - service , para que quem chega para se alimentar possa fazê-lo sem constrangimentos e assim pegando num pratinho as pessoas que lá vão possam servir-se com vontade e naturalidade e dirigir-se para o seu lugar sem ser interpelado...

 

alimentam-se sem atropelos e sem barulho... deixamos à disposição de quem precisa muitas possibilidades em termos de ementa e assim com amor , tentámos resolver a crise da fome de muita gente...

 

está na hora de sermos mais uma vez visitados... e agora em época de crise, para que de uma vez por todas o tão famigerado pavilhão amovível, possa ser instalado no referido terreno, que não tem serventia nenhuma...

 

ser político tem muito que se lhe diga ...e mais do que perceber de leis, é necessário entender de humanização e não deixar à sua sorte aqueles que num dia programado, ofereceram o seu voto para passarem fome depois de algum tempo...

 

na sua maioria são homens os que procuram alimentar-se fora de casa e não é raro surpreender-lhes as lágrimas nos olhos, olhando de baixo para quem está a seu lado, porque a vergonha ainda é um traje que se usa forçadamente...

 

com as famílias carenciadas a postura é semelhante, mas aqui são as mulheres que vêm em nome dos filhos , porque está seu cargo, o encher a dispensa que tem ar e vento por todos os lados...

mães, avós e amigas, são as mulheres que chorando se dirigem ao Coração da Cidade implorando alimentos e medicamentos que já não conseguem comprar...

 

neste sociedade moderna em que aparentemente alguns estão instalados, a fome é o maior crime de sempre e a maior fraude consentida por todos...

 

escravos de paredes brancas, magros salários e açoites no tranco da crueldade que uma Europa que se diz evoluída não deveria consentir...

 

alimentar o polvo do desemprego deveria dar prisão, não só para os que desempregam de forma fraudulenta, mas para aqueles que criam regras e leis que permitem quando oportuno, levantar os troncos das senzalas que se chamas cidades ...

 

no tórrido calor dos conflitos domésticos as enormes depressões e o exaustiva atropelo nos corredores da Segurança Social...

 

ainda assim para que se conste... o povo continua a acreditar num mundo melhor...

 

eu sou uma das pessoas que ainda não perdeu a capacidade de sonhar que alguém cm capacidade de pensar desperte um dia...

 

lasalete

DE ... CORAÇÃO ... NA CIDADE...

 

 

O Coração da Cidade, não pára nos seus propósitos de expansão ...

 

 

 Rua de S. Dinis,311 -Porto

 

com os olhos postos nos mais carenciados que a todos motiva, para uma crente qualidade de serviço prestado...

 

com a preocupação de obter mais capacidade de ajuda alimentar, a instituição abre mais uma LOJA DO CORAÇÃO, mas desta vez na Rua de S. Dinis , 311, no Porto...

 

à semelhança das outras duas lojas, esta se apresenta com características de decoração verde e branco e com a peculiar decoração de bom gosto, que é também a grande preocupação do Coração da Cidade...

 

apetrechada com artigos de 2ª mão, a loja tem um visual, limpo e brilhante, para que, quem ali realizar as suas compras , saiba que está a comprar artigos de qualidade e a contribuir generosamente para o apoio social dos mais carenciados...

 

estas lojas também estão ao dispor das famílias inscritas no programa VER - vidas em risco, que com requisições especiais têm acesso aos produtos de calçado e pronto a vestir que fazem parte de qualquer orçamento familiar...

 

a todos os que nos conhecem, nós pedimos que canalizem para nós, tudo o que , em roupa, calçado, mobiliário e utilidades, não estiver a ser usado, para que, nós deste modo possamos abrir mais lojas como estas...

 

depois de 15 dias de árduo esforço ontem finalmente por volta das 24 horas os voluntários destacados para a realização desta tarefa davam por encerrado o seu propósito com um brinde de felicidade e com um agradecimento e pedido a Deus para que o nosso propósito de ajudar os que mais precisam continue a iluminar a cidade...

 

agradecemos a todos os que estiveram envolvidos neste tão grande tarefa ...

 

bem hajam...

 

lasalete

amar... os outros ... é amar...

 

amar, não é dar de comer... é amar...

amar, não é vestir ... é amar...

amar, não é apenas abraçar... é amar...

 

amar é querer o melhor e amar

amar é querer ser maior e amar...

amar é querer parar a dor e amar...

 

amar é acreditar no amor e amar,

é cantar  sem parar com alegria,

é espalhar o sol todo o dia sem cansar,

e dizer à solidão... não é o teu dia...

 

amar é suportar nos ombros a tristeza

é abrir com força a grande mesa

e amar convidando os comensais...

é misturar lágrimas de sal com mais sorrisos

e distribuir  a toda agente os paraísos

nos quais sem querer não se acredita mais...

 

amar é alertar toda a gente que há mais vida

para além de outras luas de outros sóis...

é rezar com  cada  alma  uma novena

entoar canções de amor por devoção

estender a todo o mundo o coração

e gritar bem alto sem temor ... VALEU A PENA...

 

 

lasalete ... 5-12-2008

Natal sem solidão...

 

O natal no Coração da Cidade começa a desenhar-se...

 

subordinado ao tema " Natal sem solidão " , este ano esta quadra vai vestir o manto do aconchego inesperado, já que muitos dos que procuram a instituição, não são os sem abrigo habituais, mas as almas em situação de dolorosa solidão, que espelha uma pobreza inesperada e desesperante...

 

o estar só , sem emprego, sem dinheiro, sem amigos e muitas vezes sem família...

 

o caminhar numa estrada que parece não levar a lado nenhum...

o estar vivo e às escuras... enquanto se discute o desfalque de milhões e reestruturação e subsídio dos bancos, as despensas continuam vazias, na casa de gente anónima, que no fundo, ajudou a sustentar de alguma forma os lucros chorudos de entidades bancárias que  neste momento não se preocupam em criar um fundo social de emergência para a fome como lhes competia, já que lucram demasiadamente, mas com vergonha exacerbada a ainda assistimos à declarada petulância de terem que ser os contribuintes a pagarem a enganosa gestão...

 

O Natal sem solidão no Coração da Cidade, continua a contar com a boa vontade de todos os que apesar da crise ainda distribuem migalhas de amor por aqueles que nada possuem e que de tudo necessitam...

 

os voluntários do coração, são todos os que diariamente nos contactam para saber da instituição e nos visitam levando a sua generosidade, de todas as formas, mesmo num sorriso e num abraço, numa palavra amiga que diz tudo em poucos segundos e nos fortalece para as tarefas do dia a dia...

 

ninguém tem que ficar sem Natal e sem família , já que a família do Coração da Cidade é a família de toda a gente e dentro das nossas portas é sempre Natal...

 

Natal sem solidão, será um abraço que irá estreitar diferentes corações em nome de Cristo...

 

junte-se a nós as inscrições já começaram... para quem vem receber e para quem vem doar o seu tempo...

 

até já e um grande abraço...

 

lasalete

voo livre... (poema)

 

 

diante de mim esvoaça

a liberdade ondulante

nas asas de uma gaivota

negra de tanto voar

que o vento não atordoa...

nas asas dessa gaivota

alheia a toda o lamento

vai a alma de um poeta...

que voa ao sabor do vento

na sua rima discreta...

 

nas asas de um voo livre

a alma rima chorando

de rimas vive sonhando

e sonha vivendo aos ais...

voa no seu pensamento

por sobre um rio de dor

toma do mundo o momento

voa falando de amor...

 

transporta no seu rimar

a alma de muita gente

que aguenta em agonia

os dias mal disfarçados

como fardos tão pesados

que não suporta de dia...

salga de dor suas mãos

que suam sem ilusão

as dores que fingem doer

apenas no coração...

 

nos rostos onde a alegria

já se veste de palhaço

fingindo que é sempre dia

levando à alma o cansaço,

da dor que aparece rindo

doente em lábios vermelhos

palavras que o céu entende

deixando recados velhos,

com frases que não se ouvem

discretas e soletradas

nos medos de toda a gente

que se fingindo contente

está de mãos amarradas...

 

voo livre dum poeta

é ponte de dor e pranto

que diz em rima directa

porque o mundo chora tanto...

como gaivota voando

a alma finge voar

porque não sabe voando

onde poisa pr'a chorar...

 

 

 

lasalete... poemas de dor e pranto ... 9,29... 16-11-2008

 

magusto solidário...

[Castanhas.jpg]

 

subordinado ao tema :castanhas...fado...poetas...

 

O amor , o fado e a poesia...

os componentes necessários para fazer da noite de 28 de Novembro uma noite solidária, onde a alma do povo nortenho e não só, dá as mãos para ajudar O Coração da Cidade...

 

sempre que é necessário ajudar, a solidariedade reúne muitos corações...

 

assim num magusto solidário, onde a degustação de alguns pratos regionais, confeccionadas pelos voluntários do Coração da Cidade farão as delícias dos convidados, nós estaremos com algumas vozes do norte e o fado e a poesia serão uma constante...

 

amar por amar é fácil de mais...

amar à moda do norte ... é sempre amar por demais...

 

se por acaso quer associar-se à nossa causa é só marcar lugar ...

 

na alma de toda a gente, está a alma dum povo que somos nós ... e que se quer mais do que  nunca, unido e solidário...

 

venha até nós ...

 

com carinho... lasalete

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



gifs

CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D