Sábado, 28 de Novembro de 2009

filhos da luz...

 

todos somos filhos da luz...

desse poder imenso, que ninguém sabe definir, mas que em determinado momento procuramos sofregamente...

 

todos temos a nossa hora para nos apressarmos e para nos apresentarmos ao criador...

 

embora representemos de forma inglória, o religioso, o ateu, o agnóstico, o sabichão e o lúcido, o distraído e até o idiota, o certo é que quer queiramos quer não a nossa mente se direcciona para Deus...

 

a grande diferença é o nome que lhe damos...

 

a grande angústia é não querer acreditar no Deus de todos os outros, mas bem lá no fundo, o nosso Deus, esse permanece intacto á espera dum encontro imperdível e desejável...

 

na época que atravessamos, muitos são os que procuram desesperadamente a porta que nos mostre o espaço onde permanece o Pai...

 

Quem afinal o Pai da criação?... o mesmo de sempre, imutável, infinitamente perfeito, o princípio e o fim...

 

do nosso Eu Superior, mil partículas de luz se dispersam mostrando  um caminho diferente a cada nova etapa de vida...

 

de cada vez que suspiramos por Deus, mil dúvidas se colocam buscando resposta e miil palavras vêm para preencher o espaço da nossa consciência, bebendo no silêncio a s directivas divinas...

 

a expectativa que hoje em dia se coloca em todos os saberes é uma imagem nítida de que discretamente, a hora da partida é desejada por todos nós, não no sentido de querer ir embora, mas quem sabe se devido a essa viagem, o encontro com o Pai é mais rápido...

 

a serenidade que vem de Deus, é imprescindível, e Ele nos criou filhos capazes de voos mais altos e de pelas nossas acções espelharmos propósitos de liberdade, semeando a paz...

 

nós somos filhos da luz e devemos estar na vida como quem anda fazendo sol (  palavras de  André Luiz ) ...

 

não golpeemos a vida com melindres, indisciplinas mentais e não desprestigiemos a nossa origem...

 

deixemo-nos a penas embalar por uma melodia serena e poderosa, onde os acordes são divinos e nos dispõem  em harmoniosa etapa...

 

fala-se tanto no fim dos tempos...

 

sempre estão a finalizar os tempos...

o homem velho vai dando lugar ao homem novo e cada um por sua vez, despe a pele do malfeitor para se iluminar com propósitos mais altos e espalhar a luz com que foi concebido...

 

ajustemos o nosso próprio tempo ao tempo de Deus e façamos o bem que pudermos , não esquecendo os que têm mais dificuldade em viver de forma mais saudável...

 

sejamos verdadeiros filhos da luz, recusando a sombra que em nosso redor, tenta permanecer  ganhando adeptos...

 

aprendamos a iluminar o mundo, vivendo com serenidade  e ajudando a construir a paz...

 

um bom fim de semana para todos

 

lasalete

 

neste momento eu estou ...: em paz
publicado por lapieta@sapo.pt às 13:56

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 5 de Abril de 2007

as flores ... a liberdade ... e a Páscoa

chamava-se  Victor... 

já não está entre nós...

 

Condenado a treze anos de prisão por homicídio , foi posto em liberdade por bom comportamento...

 

O Victor era daqueles rapazes meigos, que nunca conheceu, colo, casa e pão, muito menos carinho...

Perdeu os pais muito cedo e foi criado por uma avó que deixou este mundo estava ele na adolescência, a partir daí passou a viver na rua...

 

Os seus olhos azuis, de um azul penetrante e a sua forma de falar ao coração, fizeram-no conhecer uma rapariga que lhe deu três  filhos...

e quando o Victor pensava que tudo ia bem e que finalmente ia ter o seu lar, a droga e o roubo tomaram conta da sua vida...

Ele não conhecia a droga, mas a má sorte como lhe chamava levou-o a fazer parelha com homens pouco escrupulosos que lhe prometeram uma vida melhor...

 

Victor não sabia muito para acabar o ensino obrigatório e lia com alguma dificuldade...

 

Um dia a sorte virou madrasta e para se defender de quem o queria atacar entre bandos rivais o Victor puxa de uma navalha e ceifou uma vida ... a prisão foi a linha directa, que lhe custou bem caro...

 

Na prisão descobre que não aguenta a falta de liberdade ... tem o primeiro enfarte... doente e triste muda radicalmente de comportamento e passa a maior parte do tempo na enfermaria ...

 

Um dia sob liberdade condicional, vem ver como é ser livre novamente, mas os anos passaram ... os filhos não têm com ele afinidade e ele chora amargamente... a esposa pediu o divorcio e ele percebe que já não tem casa onde morar...

 

Sem abrigo novamente...   vem ao Coração da Cidade para fazer as suas refeições...

 

A história do Victor é por demais conhecida...

exalta-se com facilidade e sabe que não pode fazê-lo ... ele pode ser preso novamente se for apanhado em alguma briga...

Luta contra si próprio ... por causa dos filhos ... e se o seu comportamento for bom a mulher deixa-o ver as crianças ao fim de semana...

O Victor tem uma razão bem forte para lutar e andar na linha...

 

Mas um fim de semana mais difícil coloca o Victor numa briga de rua e apartando uns companheiros que estão lutando, no meio da confusão também é levado à esquadra...

 

O Victor está desesperado... é segunda feira, ele vai ser presente ao Juiz e com um medo imenso estampado nos olhos entra pela instituição dentro  pedindo ajuda...

 

Chorava desalmadamente... agarrou-me os braços e gritava: - a senhora é a minha mãe... ajude-me por Deus... reze por mim... eu sei que se a senhora quiser livra-me da prisão... eu não fiz nada... mas o Juiz tira-me a condicional... ajude-me...

 

Olhei para ele fixamente e percebo que alguém mais transtornado que ele e que se faz presente ao seu lado ri estridentemente... a entidade que o envolve está deveras satisfeita pela sua aflição... olhei para o homem-espírito que o rodeava e pedi-lhe que o perdoasse...

-Victor acalme-se ... disse-lhe eu ... para eu poder falar consigo... diga-me uma coisa... lembra-se do homem a quem você tirou a vida?... como era ele... ?

 

Pela descrição que fez , percebi estar na presença da entidade que eu pensava ... era mesmo a vitima de há uns tempos atrás ...

 

Um mensageiro espiritual segurou a entidade e sobre ele dispersou fluidos magnéticos que a acalmaram durante algum tempo e aconselhou-me  que ele fosse falar com o Juiz que nada de mal lhe ia acontecer...

 

O Victor partiu confiante e dizia... - fique a rezar aos espíritos que eu vou lá ... mas não pare pelo amor de Deus... eu não sei rezar...

 

Orei por ele com duas voluntárias que estavam a presenciar a cena no local e depois fomos para as nossa tarefas habituais comentando o facto de a entidade se apresentar ali e ser também ela ajudada pelos espíritos superiores...

 

Já pela tardinha ... sinto grande alarido e alguém fura todas as barreiras de segurança e quer chegar a mim a toda a força, gritando bem alto...

-Madrinha... madrinha... você é a minha madrinha... salvou-me ... o Juiz disse-me vai embora ... mas  reze ... reze muito  que eu hoje estou bem disposto ...

 

 

O Victor feliz... estendeu-me um ramo de gerberas que fora comprar para agradecer...deu-me um abraço e diz nunca me vou esquecer deste dia...tenho é que aprender a rezar... desta vez passo a Páscoa cá fora... que alívio...

 

 

Falamos mais um pouco sobre o seu comportamento ... mostrando-lhe que devia ser mais tolerante e devia recolher-se a casa  cedo para evitar as brigas de rua...

ele concordou e foi jantar ... e não falava em outra coisa...

 

Sempre que entrava para jantar gritava que estava muito feliz...

 

Um dia deixou da aparecer...

a dor de não ter os filhos consigo, a dificuldade de conseguir um trabalho, a pouca escolaridade ... tudo contribuiu para que o seu coração não resistisse e partiu com 35 anos...

 

Já não faz parte deste mundo imenso de jovens sem freio e sem destino ... desse conjunto de seres humanos que depois de recolherem à prisão são postos em liberdade e passam a ser presos com salvo conduto...

vivem uma liberdade fictícia... estão amarrados a um passado que a sociedade não sabe aceitar...

estão acorrentados a um mundo que só aceita os que considera normais e que não oferecem perigo...

 

Vai hoje para o Victor o meu primeiro abraço de Páscoa...

 

Aguenta Victor Ele morreu por um mundo melhor... esse dia vai chegar... estamos a colocar os alicerces ...

 

Victor estas foles são para ti...   lasalete

 

neste momento eu estou ...: livre
publicado por lapieta@sapo.pt às 18:39

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

filhos da luz...

as flores ... a liberdade...

mais comentados

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags