Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

Crónicas d'O Coração da Cidade

a instituição que o povo do Porto elegeu para si ...

é preciso deixar-se amanhecer...

 

 

eu sei...

nem todos conseguem acordar, assim como nem todos conseguem adormecer, por isso sei, que nem todos conseguem amanhecer voltados para um novo dia...

 

tal como acontece às estações do ano, despertar, florir e dar fruto, é muito difícil , de compreender, de agir e de fazer perdurar...

 

concluo portanto que para tudo isto é necessário insistir...

 

é urgente perfumar a mente... diluir o veneno de séculos que existe dentro de nós e perdoar...

 

perdoar a si próprio, as situações que a alma inventa para não se magoar e as situações em que se coloca para magoar os outros...

 

é necessário agir depressa e perfumar a mente de amor...

 

é lindo demais amar... abraçar e ficar quieto ... sem chorar... meditar e calar ... serenamente...

 

é preciso mudar , mudar as preferências e modernizar os princípios ancestrais onde vestimos o pensamento, eternizando o homem velho, que está cristalizado dentro de nós...

 

é preciso libertar esse homem novo, sem medo e deixá-lo actuar... sem vergonha de chocar ou de chocar-se consigo próprio...

 

é preciso gritar ao vento, fazer chorar  a lua, enfrentar o sol, rasgar os céus e gritar ao universo , sou gente... mas sou permanentemente filho de Deus...

 

puramente sou frágil, mas sou forte ao mesmo tempo... sou gente sem necessidade de me comparar... sou gente porque trabalho, não naquilo que eu queria, que sonhei, mas meus braços se movimentam e meus olhos lhes seguem os movimentos , sinto calor, sinto frio, sinto sede e sei chorar... que bom estou vivo... eu posso trabalhar...

 

deste modo eu consigo amanhecer, adormecer e sonhar...

mais fácil se torna para mim despertar...

 

romper a placenta do ventre que eu inventei com medo de nascer...

 

amamentar a vida com leite de dor e chorar por amor ... é despertar... é crescer... é romper as entranhas e viver...

 

será portanto necessário sentir dor... por certo que sim...

necessário é inventar o amor e continuar...

o amor com ombro, sem ombro, com olhos de ver e se ajudar a amanhecer ...

 

há quem queira destruir a nostalgia... quando é assim eu digo... que pena nunca soube verdadeiramente amar... por isso seguramente e em verdade nunca soube viver...

 

viver... ai viver... por vezes é acender a lareira dos sentidos, deixar que o fogo nos queime por dentro e abraçar as chamas que ninguém vê, que são apenas nossas, que ardem só para nós, mas que de nós irradiam calor para toda a  gente...

emergir das cinzas e amanhecer resplandecente ...

 

serenar o pensamento e continuar em frente...

na certeza de que à noite sucede sempre o dia...

 

é muito urgente aprender a amanhecer...

 

 

lasalete

 

contagem final...

estamos em contagem final para a abertura da LIVRARIA AMA para darmos sequência ao nosso projecto de apoio académico aos jovens menos afortunados...

 

esperamos ainda que seres humanos com mais sensibilidade nos façam chagar os livros que já não têm interesse próprio e que os entreguem na nossa instituição...

 

ao ajudarmos esta livraria estaremos a preparar o futuro de alguém...

 

a partir de um gesto aparentemente sem sentido, estaremos efectivamente a dar sentido à vida de muita gente...

 

se vens a este blog e sentes como é brilhante e fundamental, ler e entender o que se lê , se fazes pesquisa na NET e sabes o que procuras, se te interessas por qualquer tipo de ciência e te procuras cultivar, imagina agora se não tivesses tido recursos para te cultivares e porque tens que sobreviver estarias sujeito a uma vida amorfa e monótona , longe dos teus ideais...

 

eu própria, quando adentro as salas da faculdade, onde várias vezes sou chamada para falar da minha actividade como dinamizadora social... entro e permaneço com alguma nostalgia...

 

como eu gostava de ter estudado numa universidade e ter entrado com força nas estradas do conhecimento...

 

hoje pesquiso o que posso, considero-me autodidacta , mas estaria bem melhor se tivesse estudado numa faculdade com mais e melhor acesso ao conhecimento...

 

não tive recursos ... era pobre e não tive direito...

 

ajudemos os que precisam...

 

conhecimento é igualzinho a liberdade...

 

ajudenos a ajudar...

 

uma semana optima de trabalho ...

 

lasalete

 

 

afinal... os homens têm asas...

 

 

foi com muita satisfação, que mal o blog abriu com a oferta de uma aventura solidária, promovendo o programa AVE... (ajuda voluntária exterior), logo começamos a receber telefonemas a perguntar de que forma ia acontecer o dito programa...

 

aqui vai uma explicação detalhada do que efectivamente é essa aventura solidária...

 

este programa de ajuda, tem a ver com a ajuda que cada um de nós pode fazer a quem está impossibilitado de sair de sua casa por uma série de razões... ou porque está doente , ou porque tem doentes a seu cargo, ou porque são acamados ou doentes mentais e não os pode deixar sós, ou porque tem muitos filhinhos menores e não pode levar as compras todas e precisa de ajuda, ou simplesmente porque é muito idoso e já não tem forças para se deslocar à instituição... enfim são tantos os entraves que condicionam os seres humanos a quem socorremos com ajudas domiciliárias...

 

d inicio as ajudas eram poucas mas com o decorrer do tempo as solicitações foram acontecendo e neste momento para ajudar mais uns poucos só recorrendo a ajudas como estas... aos homens que têm asas no coração...

 

socorrer não é dificil :

  1. tem disponibilidade no coração
  2. ter disponibilidade de tempo
  3. inscrição feita no coração da Cidade como voluntário AVE
  4. colocar-se ao dispor de uma formação adequada para o efeito
  5. ter viatura própria  e capacidade de arcar com os custos do combustível
  6. depois é só receber o endereço onde vai ajudar, que sempre será diferente, porque é retirado à sorte
  7. entregar no endereço correspondente
  8. para já as entregas são todas no Porto e arredores o que não acarreta grandes custos...
  9. levar consigo as compras correspondentes ao endereço que retirou
  10. entregá-las e verificar se a família está com outras necessidades
  11. trazer de volta a informação do que realizou e dar conta das carências que encontrou se de facto existem...
  12. se gostar do serviço de ajuda, volta no próximo sábado
  13. mas se por acaso, no fim de semana estiver com um programa pessoal, avisa e outro voluntário AVE tomará a seu lugar, ficando com o compromisso de cumprir em outra altura o compromisso de quem o substituiu se for necessário...
  14. assim irá percebendo pouco a pouco como existem muitos seres humanos que nada possuem a não ser a necessidade de que outros mais capazes, os socorram...

vamos lá amigos continuar a telefonar e se quiseram inscrever-se será sempre ao sábado a partir das 10 horas até às 18... através do telefone que divulguei apenas informações e marcação de inscrição...

 

 

outro assunto muito sério...

 

estamos já com a recolha de obras literárias que contribuam para o enriquecimento humano, para conseguirmos abrir a nossa livraria e assim podermos custar a formação académica de jovens sem recursos...

 

a livraria AMA, vai inaugurar, com um espaço de leitura muito simpático, para onde pode mandar os seus livros, aqueles que já não lhe interessam...

 

se guarda em sua casa livros que para si não têm interesse, por favor entregue esses livros no Coração da Cidade e vai ajudar muita gente que não tem possibilidade de se cultivar como seria desejável...

 

grata por tudo e a todos os que visitam este blog

 

 

um bom dia de trabalho

 

 

lasalete

 

 

OLÁ...OLÁ...OLÁ...

z-flores.gif

Hoje ao acordar resolvi mandar flores para todos os amigos do Coração da Cidade e para todos os que têm visitado o blog do coração...

 

estamos neste momento a receber de volta o eco da nossa insistência à solidariedade...

 

agora estamos a perceber que as nossas palavras não caíram em saco roto...

 

vocês são fantásticos e então para todos os que estão aqui connosco ...

 

um beijão do tamanho do mundo e um óptimo Domingo...

 

lasalete

só para vós...

 

para quem estou a escrever ? não sei ...

para alguém certamente... são muitos os olhos que passam por aqui...

 

escrever é como abraçar, é como estender os braços levando apenas letras? ... formando ideias com as letras que se agrupam e formas palavras, que traduzem saberes e sentimentos ?... não é mais ainda... muito mais ...

 

escrever, é como plantar uma árvore que cresce ao segundo, diante dos nossos olhos no momento de passar as ideias, como água que jorra sem que a possamos controlar...

 

todos os dias, a minha mente se enche e se esvazia... num bailado surpreendente de sugestões, avisos, frases soltas , que imprimem movimentos em tudo o que me rodeia...

 

é tão difícil resistir ao encanto de escrever... é tão difícil voltar as costas à riqueza maior que Deus me deu ... a alfabetização...

 

agradeço todos os dias esta possibilidade, porque é ela que me ajuda a traduzir rapidamente a minha linguagem interior...

 

se não fosse possível ler ou escrever, iria sentir-me órfã na vida...

 

quando escrevo, tenho a impressão nítida, de que me estou a alimentar ,  que novas ideias vêm ocupar o espaço vazio que vai ficando, ao ponto de nunca estar devago um pedacinho que seja de meu ser...

 

se pudesse... invocaria todos os poetas, os que escreveram toda a sua alma, os que traduziram para nós teorias aglutinadores de franco progresso e ajudaram assim a compreender sentimentos, criando essa régua de raciocínios rápidos, lógicos ou absurdos, belos ou medonhos, não importa... o que importa mesmo, é que criaram movimento interesse pelas letras e permitem a muitos humanos a continuidade dessa melodia interna ... ESCREVER ...

 

será então vício escrever ? ... não ... é imperioso que o façamos, para que a vida não se canse...

escrever dá tranquilidade, vitalidade, juventude... a sensação de escrever é muito próxima da sensação de bailar ... por isso eu disse e repito é como abraçar o mundo...

 

quando não nos lêem, fica a sensação de que não existem braços para devolver esse abraço mental e espiritual que queremos seja enorme ... com a NET, esse abraço é do tamanho do mundo...

 

se meus braços grandes fossem,

que de uma só vez pudessem,

tocar os braços do mundo,

não pararia jamais ...

e nesse abraço profundo,

queria ser  a semente,

a voz, o beijo presente

e a força dos madrigais...

 

se a força que eu hoje sinto

se traduzisse a escrever,

como lava incandescente

eu daria a toda a gente

o dom de olhar e de ler...

eu roubaria às montanhas

a enormidade do ser...

roubaria à natureza,

a beleza dos planaltos,

a graça das leves garças,

o brilho e o fogo das sarças

quando secas estão a arder...

a força dos oceanos

o branco da lua mãe,

mas destruía os enganos,

dos luxos ditos profanos

que não confortam ninguém...

 

rasgaria os céus azuis,

chamaria anjos e fadas

querubuins , deuses, poetas ...

imperadores, cientistas,

gente banal e artistas,

todos, todas, sem excepção...

e com todo o sentimento

gravava no firmamento...

VIVEI DE ALMA E CORAÇÃO ...

 

escrever é assim... prosa e verso ... e nesta catadupa de sentimentos, começamos o dia a abraçar toda a gente ...

é também uma forma de amar... sem restrições, sem enganos, sem pressa, é como voar com asas que só nós podemos controlar ... e quando sopra a aragem fresca da poesia... então escrever é como cantar...

é como fazer um filho e deixá-lo nascer no mesmo momento, já que a gestação desse momento é espontânea , fácil, bela demais sem capacidade para esperar...

 

este foi o meu abraço ... o fim de semana está aí , pedindo concentração, distracção e beleza interior...

 

crescer bem é a palavra de ordem para qualquer idade... estamos infinitamente longe do fim... ele não existe... nós somos eternos...

o nosso destino ... o nosso futuro ... inevitavelmente, será de constante construção ...

 

força e um BOM DOMINGO... quero o vosso abraço ...

 

lasalete  

quem pode ... pode ...

 

 

passou um ano sobre a abertura e plena execução, de mais um programa de apoio social, que O Coração da Cidade colocou em movimento, para ajudar em pleno as populações mais carenciadas...

 

esta instituição tem realizado inúmeras experiências para descobrir a forma mais eficaz de forma a chegar mais perto e melhor junto dos que mais precisam...

 

notamos ao longo deste ano, algo simplesmente patético e que veio dar razão ao que eu previa quando coloquei nas mãos da Segurança Social esta proposta social...

o nefasto subsídio e a herança subsidiária de arrastar as populações, coloca-as na inutilidade absurda, que as embrutece e ao mesmo tempo sem que ninguém se aperceba, como não têm que fazer, se propõem a frequentar tudo o que de algum modo seja lazer, mesmo que seja fazê-lo diariamente num pequeno café da localidade...

 

os gastes inerentes aquilo que chamamos vulgarmente de " não fazer nada", é muito caro...

 

embora este caso não seja generalizado e tivemos muitos sucessos, ainda assim fiquei triste pela ausência de perspectivas futuras, na vida de muita gente jovem e até menos jovem, que agarrada aos subsídios, não querem trabalhar com ninguém, nem para ninguém ...

 

esta falta de brilho pessoal, arrepia-me e deixa-me a pensar ( será que vão envelhecer assim?)... possivelmente...

 

agora faço outra pergunta ( e quem vai trabalhar para eles?)...

não haverá forma de eliminar este vírus mental, que deixa na retaguarda homens e mulheres desmotivados, cuja motivação passa apenas por uns quantos cafés e maços de cigarros, já para não falar na geladinha, que fica aos pares na mesa do café e que eu não entendo como a vão pagar... ou como a conseguem pagar...

 

vamos entrar numa fase difícil no Coração da Cidade e passaremos a pente bastante fino os que na realidade querem singrar na vida...

 

já não nos comovem as doenças na coluna que calam a preguiça de muita gente...

o câncer que por absurdo que pareça ,ainda é utilizado como doença, para desculpar tanta falta de senso... parece mentira, mas não é... invocar uma doença tão grave apenas para não trabalhar...

 

verifiquei que embora a falta de trabalho que se invoca existe muito trabalho que se recusa, porque estão confortavelmente instalados no subsídio e não vão trabalhar de forma alguma ...

 

valha-nos Deus ... não haverá um inteligente, que desperte para isto... por exemplo a pessoa que invente a forma mais directa de cobrar impostos a quem trabalha, podia inventar outra forma milagrosa de o fazer a quem não trabalha...

 

vejam se dá resultado ( ir reduzindo o subsídio a quem demora a procurar trabalho )...

não consigo entender um país de braços parados quando há tanto por fazer...

mas, quem pode pode e enquanto não deitar-mos mãos à obra tudo vai passar assim, no faz de conta...

 

paralelamente a isto tudo , encontramos, muita gente honesta e pobre a quem ajudamos, com todo o carinho, que se esforçam e que não conseguem singrar... ainda existe muita pobreza escondida que não passa pela mente de ninguém...

 

existem portugueses a viver miseravelmente , mas não têm capacidade de aderir aos esquemas que o governo sustenta e que ninguém sabe como extinguir...

 

lá está ... quem pode... pode ...

 

lasalete                      

 

anjo branco do meu país...

adoro o meu país e se pudesse escolher , estava um pouco em todos os lugares...

 

amo a cidade onde nasci ... minha querida cidade do Porto... mas não consigo deixar de desejar por muitos motivos, viver no Alentejo...

tive a oportunidade de voltar este ano à paisagem alentejana,  onde repousei uns dias e visitei de novo o anjo brando do meu país ... SERPA ...

bela demais para estar tão quente, branca demais para ser esquecida...

longe demais para se poder abraçar todos os dias...

 

visitei a cidade que me embala as recordações, embora o meu coração tenha ficado no Porto com tudo o que me motiva a viver neste vida...

 

tristemente, registei nas aldeias que envolvem este anjo branco a dificuldade das populações locais...

 

as casas branquinhas denunciam com toda a certeza, a dificuldade que é habitar tão pequenino recanto... e embora o cuidado e a limpeza do espaço envolvente de qualquer aldeia, fiquei surpreendida com as pequeníssimas parcelas de terreno cultivado, de propriedade particular, muito parecidas com as hortas do norte, mas apenas com mais ou menos 4 a 6 metros quadrados de verde, quase seco e com alguns bicos à mistura,  que de certeza fazem parte da economia familiar...

 

semelhantes a minúsculos apontamentos de favela brasileira , chocam pela proximidade com as casas branquinhas, que isoladas, bordam a paisagem belíssima, de rosto loiro, denunciando as searas rapadas tecnicamente, muito  cuidadas a perder de vista...

a forma destes quintais , vestidos de tábuas velhas e de velhas telhas plásticas e de chapa ferrugenta, lembram frente à enormidade das searas que os latifúndios ainda existem e que quem trabalha ou trabalhou a terra sempre fica com a menor parcela...

 

as férias de todos nós, mostram sempre coisas diferentes, contornos paisagísticos denunciando mudanças e deixam-nos recordações impressionantes...

 

porém, recolhi nestas férias, a maior lição de desprendimento e percebi que a solidariedade é coisa firme entre aqueles que nos rodeiam...

 

sem que alguém programasse e porque Deus assim o entendeu, coincidentemente dois voluntários, um casal, com quem privo diariamente , marcaram  na mesma data e  no mesmo local as suas  férias ...

só na vespera de partirmos do Porto é que descobrimos com alguma surpresa que íriamos para o mesmo lugar... eles faram dois dias antes e lá nos encontramos passados tres dias...

terminamos então por ficar  durante quatro dias no mesmo local e não posso deixar de registar neste meu espaço o facto que quero levar ao vosso conhecimento... eles que me perdoem...

 

como chegaram antes de mim uns dias, começaram por fazer localmente a investigação dos locais mais bonitos e num desses passeios , pararam para beber algo refrescante...

no Alentejo as situações para sedentar não abundam, mas o nosso casal parou no  café da localidade de Santa Victória...

enquanto bebiam o seu refresco, conheceram um velhinho de 84 anos, antigo soldado da GNR local, que com toda a amabilidade e vagar dum alentejano perfeito lhes falou da sua antiga vida, nos tempos de guerra, na candonga local, na fiscalização apertada, nas lutas dos trabalhadores e num sem número de histórias que emprestaram àquele refresco a eternidade da poesia popular...

conversa vai , conversa vem, o idoso embora com saudades da sua juventude, lá foi apontando como interessantes as mudanças no seu querido Alentejo...

falou de muitas coisas e também , mas  da pena que sentia por nunca ter conhecido a Barragem do Alqueva, porque ouvia dizer que era muito bonita e gigantesca, mas ele e a sua Maria nunca tinha conseguido visitar, embora as filhas já fossem formadas e as netas com possibilidades de lhes facultarem um belo passeio o certo é que nunca aconteceu...

 

os meus amigos voluntários compadeceram-se do velhinho encantados com as suas histórias, plenas de vida e de verdade, fizeram-lhe um convite... visitarem o Alqueva...

o velhinho não se fez rogado e embora não os conhecendo de lado nenhum, de pronto aderiu ao convite...

conduziu-os a sua casa um pouco adiante ... e lá foram  foram conhecer a Donas Maria, companheira do nosso homem soldado e ele já levava a proposta solidária de um passeio ao Alqueva...

 

a Maria ralhou por ele chegar tão tarde, mas a novidade quebraria o ralhete...

ela nem queria creditar...

e lá foram todos na manhã seguinte de abalada até à barragem que fez brilhar os olhos dos dois idosos alentejanos...

almoçaram num restaurante muito fino e nem cabiam em si de contentes...

as filhas nem queriam acreditar no que estavam a saber pelo telefone ...

receosas pelas notícias menos agradáveis  que envolvem  situações inusitadas como esta, só sossegaram quando falaram vezes sem conta com os nossos amigos, que no final do dia depois de os entregarem em casa sãos e reconfortados pelo passeio, lá telefonaram novamente para os familiares, para dizer que tudo estava bem...

 

quando a esmola é grande o santo até desconfia...

só que aqui, não se tratou de esmola, mas de solidariedade verdadeira, que se aprende no dia a dia, que se consubstancia perante o sofrimento diário das populações indefesas e com fome...

 

não era o coração da cidade , eram dois corações do Coração da Cidade, o Armando e a Emília a dar continuidade ao voluntariado mesmo em tempo de férias...

 

dias depois lá tiveram, de ir lanchar como haviam prometido a casa dos nossos idosos o chazinho e o bolo alentejano com a promessa de que quando viessem ao Porto os iriam visitar...

 

fiquei encantada por este episódio e louvei a Deus, por me ter concedido a oportunidade de registar como é grande o coração humano...

 

passados alguns dias conheci nosso velhinho, de trincha na mão pintando de verde escuro, um portalzito que não estava conveniente para a vista, como ele referiu...

devagar, devagarinho, lá esticava a tinta e foi dizendo...  a outra parte pinta a minha Maria...

 

neste Alentejo que não dá para abraçar de uma só vez, também se fazem desejos...

num momento de calma e alegria, vi uma estrela cadente... pedi-lhe de imediato o desejo da minha vida ... liberdade para o meu povo...

lembrei mais uma vez os poetas do meu país que falavam como ninguém de liberdade, de paz, de pobreza, de trabalho... enfim ... da alma do povo...

a estrela riscava os céus levando o meu desejo, só eu e o meu companheiro vimos o facto, ninguém o referiu...

é preciso saber olhar o céu ...a cada um a sua estrela...

 

abençoado seja o Alentejo ...

mas dói, pensar que ainda não chegou a liberdade a toda a gente...

 

nossos velhinhos são esse exemplo ...

mergulhados num deserto, com o Alqueva ali tão perto ...

 

lasalete

esta semana pode ser uma surpresa...

 

anjocdudias.gif

   

se você se esforçar ...

a vida não vai faltar consigo

e junto de si, um anjo amoroso

cumprirá o papel que Deus lhe destinou ...

acredite ou não...

a lei de Deus não falha..

ninguém se pode furtar a ela...

 

esta semana pode ser uma surpresa, se você investir em si e na sua relação com todos aqueles que o cercam...

 

levantei-me cedo para lhe dar este recado...

 

acordei imaginando um mundo diferente e que mesmo neste jogo de interesses a que nos vamos habituando, graças a Deus ainda nos resta o nosso mundo e a forma de o mudar e o conservar integro de pende apenas de nós...

 

sei que cada um de nós pode fazer hoje melhor que ontem e certamente o futuro será mais risonho...

invista na bolsa de valores da sua consciência e subirá a cotação de certeza...

fique em alta para que os que o cercam requisitem de si muito mais do que espera e invistam no contacto consigo amizade que tanto reivindica...

 

só mais um passo e a vida fará o resto ... eu tenho a certeza...

 

uma semana de muito trabalho, de imensa paz e de incontrolável alegria...

 

o mundo precisa de si...

 

lasalete                    

Grito de guerra ... ( poema)

 

" homenagem aos soldados de todas as guerras que as ditaduras impõem ...

que os valentões que governam inventam, mas que não têm coragem de combater"

 

um grito de dor por todos os que tombaram , a mando daqueles que nunca tiveram coragem de pegar numa arma...

 

um abraço poético a todos os mutilados de guerra ... no corpo e na alma ...

 

os abraço com alma e deste jeito lhes presto a minha homenagem...

                         

Gritavam chorosas as mães e os amores,

de nada valendo a quem nada mais podia...

e os mandantes do crime emudeceram,

determinados em tal aleivosia...

tinham na alma a esperança de voltar? ... não,

só alguns diziam ter mais fé...

mas ficaram encurralados nesta vida,

sofrendo uma dor sem volta... sem maré...

 

Rasgados... não sei se lutaram livremente...

mas um dia, alguém ludibriou

dizendo obrigatório defender,

aquilo que afinal nunca se herdou...

longe de casa , sem paz e sem destino,

de armas na mão, chorando em desespero,

foram milhares ... talvez milhões os que ficaram,

de corpo aberto em trilho tão austero...

 

Importa o espaço ou a guerrilha ?

Angola... Guiné ou Moçambique ?

se a guerra que inventaram era filha

da ignomínia da ambição e do terror...

mostrando a todos por fim, o excretor

da morte anunciada dum regime,

que negando pela  vida mais amor

desenvolve arrogante, o medo que os oprime...

 

Todos viajaram... alguns estão mutilados...

e embora a dor, de mesmo assim querer voltar,

são apontados com famélica lembrança,

como soldados dum regime a ignorar...

Pelo amor de  Deus ...rendam-lhes na memória um louvor,

amando o esforço heróico de existir,

porque a bota ditadora que esmagava,

tudo tornava mais difícil ... era impossível decidir...

 

Os que voltaram estão  gritando de  emoção,

desesperam ,não sabem prosseguir,

embalam fantasmas rasgando o coração

e ainda os empurram sem dor e sem respeito...

se  houver história fiel e de direito

e os admitir com verdade, como  heróis sobre esta terra

veremos por bem que existe  em Portugal

o respeito e a verdade que o país encerra...

 

 

Lasalete ... 1 de Julho de 2007... 11 horas

as mãos da minha amiga Laura ...

 

 

oitenta anos de vida ...

um semblante risonho e um amor pelos mais pequeninos surpreendente...

 

trabalho com amor todas as ideias e diz que tem pena de não ser mais nova para fazer muito mais ...

 

depois de um acidente e de algumas cirurgias, o seu braço direito ficou um pouco danificado e a mobilidade do mesmo comprometida...

 

no entanto é impossível resistir a tanta ternura , quando expõe ao nosso olhar, as fantásticas e mimosas esculturas feitas de lã...

 

é uma mulher voluntária, que não estando na instituição , tem a seu cargo a responsabilidade de confeccionar mantas, casaquinhos, camisolinhas e carapins de lã para os mais pequeninos...

 

expõe com todas as cores o seu tricô de amor e não conseguimos ficar indiferentes ...

 

obrigada amiga Laura, pela bondade e ternura com que trabalha o seu tempo livre...

é um exemplo de senhora ... sempre atenta ás necessidades de todos os que são mais pequeninos...

 

hoje, estava eu a divulgar a adopção das crianças...  e ela foi uma das primeiras a inscrever o seu nome para adoptar uma das crianças... vai arranjar um grupo de senhoras amigas para poder ajudar ...

 

bravo  amiga Laura ... que a paz a favoreça e que Deus lhe dê muita saúde para continuar por muitos anos junto de nós, porque é se seres humanos assim que necessitamos para continuarmos a amar...

 

lasalete

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



gifs

CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D