Domingo, 9 de Outubro de 2011

é dando que recebemos...

 

 

MUITA GENTE PERGUNTA, PORQUE É QUE EU ESTOU CONSTANTEMENTE A FAZER APELOS...

 

PORQUE A VIDA É ISTO MESMO...

 

QUEM SE LEMBRARIA DE VIVER EXCLUSIVAMENTE PARA SI?...

 

SÓ UM LOUCO É QUE SE ISOLA, QUANDO O MUNDO INTEIRO ESTÁ A PEDIR COLABORAÇÃO...

MUITA GENTE DIZ QUE NECESSITA DE ENERGIA PARA VIVER...será?....

 

então eu vou explicar como conseguir essa mesma energia...

 

todos nós sem excepção colhemos do universo a energia que nos faz falta, e como somos essencialmente energia, é fundamental que para sobrevivermos nos tenhamos que abastecer...

esse abastecimento funciona de forma automática, em todos os parâmetros vivos da existência...

entre os seres vivos, a partilha de energia em sequência programada é menor, mas a energia em sequência de compensação é vitoriosamente maior...

 

esta energia de compensação, depende dos nossos sentimentos e da aplicação que lhes damos...

 

fazer bem o BEM, é muito importante, para que essa energia de compensação aconteça...

 

assim, todos juntos, podemos ajudar a construir o nosso campo energético e a nossa vibração vai recebendo de forma acentuada, benefícios, que muitas vezes nos impedem de sermos contaminados com situações de enfermidade e nos determinam uma melhor disposição para as coisas positivas...

 

quando nos envolvemos em causas sociais, com amor e determinação, passamos a existir de forma mais saudável e a intuir forças do bem, com as quais passamos a partilhar nossos anseios e essas mesmas forças nos passam a requisitar o esforço para que sempre nos envolvamos com as necessidades da humanidade...

 

ser positivo e atento ao mundo é necessário, para vivermos com mais qualidade...

 

ame-se amando o resto do mundo...

 

O MUNDO PRECISA DE TODOS NÓS...

 

e é dando que se recebe...

 

 

lasalete

neste momento eu estou ...: em paz
publicado por lapieta@sapo.pt às 14:37

link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 22 de Outubro de 2007

se dessemos as mãos...

 

estamos assim, na mão de muito egoísmo, mas na esperança de que nos libertem...

 

o facto de não darmos as mãos uns aos outros, fez com que os mais fracos, ficassem presos da economia, mastigadora que imobiliza os que menos podem...

 

se déssemos as mãos uns aos outros, tudo seria mais fácil e viveríamos muito mais felizes. não permitindo o estrangulamento salarial e com alguma lógica, nos iríamos aperceber de quem concorria com a verdade para fazer proliferara a mentira...

 

de déssemos as mãos, o mundo seria mais feliz e todos nós nos levantaríamos  de manhã para iniciar outra semana com um sorriso e vontade de viver plenamente...

 

lutar , seria um propósito firme, com resultados firmes e correctos...

 

a verdade não seria colocada debaixo dum pedregulho que se chama corrupção e os governos tomariam conta de nós, sem pressões económicas e sem subterfúgios...

 

com um pouquinho de esforço, nem a pobreza estaria deste jeito , porque aos olharmos uns para os outros olharíamos uns pelos outros e a fome se reduziria drasticamente, todos nós estaríamos atentos , para que o nosso mundo fosse um mundo melhor...

 

e já agora ... e se todos nós iniciássemos a semana a para ajudar um nosso familiar ou amigo, que está sem trabalho e se encontra aflito ? ... e se déssemos as mãos no sentido de o ajudarmos a encontrar um emprego que lhe possibilitasse fazer face ás dificuldades que atravessa? ...

 

vamos lá... não custa dar as mãos...

 

dar as mãos é criar um forte cordão, que um dia nos pode servir de corda de salvamento , se a vida nos obrigar a atravessar um longo oceano de lágrimas...

 

por todos os motivos e mais um ...

 

é necessário dar-mos as mãos ...

e com a máxima urgência...

 

 

lasalete

neste momento eu estou ...: de mão na mão
publicado por lapieta@sapo.pt às 08:05

link do post | comentar | favorito
Domingo, 15 de Julho de 2007

PARABÉNS SENHOR PRESIDENTE...

Professor Doutor

Aníbal António Cavaco Silva

HOJE

O NOSSO PRESIDENTE

 FAZ ANOS ...

       

Pensei que fosse possível , dar-lhe um bolo de anos e que ele connosco soprasse as velas de seu bolo que certamente o fará não com os mais carenciados, mas com os mais próximos de si... por isso lhe desejo felicidades e muita saúde...

        Quero no entanto expressar a minha profunda tristeza, porque, muito embora, o senhor seja um cidadão português que pelo sua postura, deixou mim, enquanto primeiro ministro uma grande admiração, não acontece neste momento receber a minha maior admiração como Presidente da República Portuguesa.

         Senhor Presidente, espero que no seu dia de aniversário , o senhor tenho um pouco de tempo para reflectir e sair do jogo de faz de conta e do politicamente correcto...

         Tenho acompanhado a sua viagem no tempo ... sei que tem trabalhado muito... mas está muito longe do que poderia fazer por Portugal...

         Os lares de terceira idade  e os infantários são na realidade muito simpáticos, mas aí, está tudo muito bem...

          Visite os lares onde as crianças dormem à noite, os centros de saúde onde os mais velhinhos têm que recorrer pela necessidade que a sua idade impõe e, já agora, se ceder ao convite que O Coração da Cidade lhe endereçou e ao qual  o seu gabinete  respondeu prontamente , dizndo que não poderia cumprir... para  este convite eu peço... sobre ele reflicta umas horas...

         

          Com o profundo respeito e admiração que sinto por si e porque ...  eu lhe digo: -  o senhor nem imagina o que é a pobreza na cidade do Porto... sim que o  meu amado Porto também é Portugal...

         

           Neste momento amigo, creio até que não seria de todo pior fazer outro referendo sobre a descentralização, já que o último resultou em ordem para matar ... para desvitalizar... então faça-se outro para descentralizar e o senhor vai encontrar neste distrito a incompetência, o desregramento, a ignorância, de muitos anos de governação que nos têm amarrado como escravos ao tronco que os governos centrais programam para o povo do Norte...

           Nasci com olhos, sou inteligente e não durmo durante o dia... vejo o que se passa em meu redor e estou pagando à vida e à pátria que eu amo , o meu tributo... estou ao lado da gente que passa por mim, eivada de sentimentos sublimares, mas triste e com eles e por deles, me tornei num instrumento de intervenção, ao nível mais difícil junto dum povo ... a fome ...

           Sempre pensei que o senhor fosse mais interventivo, embora saiba que não é fácil assumir o seu papel, mas estamos vivendo num estado democrático... por favor não copie o papel dum reizinho comandado ...

            Professor Cavaco, o senhor não é velho, é inteligente e um grande homem ... venha até nós e se ler este blog, o que eu espero que faça... visite os pobres do Porto, porque o cerco do Porto continua, mas neste momento já nem carne há para dar aos que lutam e aos sitiados, as tripas deixaram de alimentar...

           Querido Presidente ... beije por mim a nossa bandeira e ame de coração os portugueses...

PARABÉNS...

  lasalete

neste momento eu estou ...: portugalizando
publicado por lapieta@sapo.pt às 09:48

link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 27 de Junho de 2007

o amigo... do meu amigo Fernando ...

  ao sentar-me para escrever, tinha em mente um tema mais ou menos parecido com aquele que vou neste momento levar à vossa consideração...

 

ainda que mal pergunte ... será que todos já acordaram ?...

eu disse antes de me deitar, que iria sonhar  e sempre acontece que adormeço com as mesmas preocupações ... o que fazer de melhor e mais rápido para conseguir conforto, para mais gente ...

acordei de um sonho interessante e com umas ideias fantásticas sobre a pobreza ... o que mudar e como mudar ...

mas...

antes de escrever verifico sempre os comentários...

e se lerem como eu li, o último comentário do nosso amigo Fernando Correia sobre " um dia de cada vez" vão perceber a que me refiro...

 

as temperaturas vão aumentar ... a chuva deixa de ser o pão nosso de cada dia e o inverno agreste, por uns tempos, deixa de ser a paisagem chatinha a que estamos habituados...

e assim, como a chuva se vai, também a nossa psicologia sobre a caridade e o bem estar do próximo , no que concerne aos pobrezinhos, também se vai desvanecendo, porque tendencialmente, medimos o bem estar dos outros pelo nosso bem estar...

 

só que, o bem estar de muita gente, embora a subida das temperaturas, continua a não  ser nenhum... e para muita gente, a vida tal qual a suportam é um inverno permanente...

 

suas vidas permanecem geladas o tempo todo, a alegria de viver esmorece e embora a esperança que conseguem encontrar em algumas palavras amigas, não o é suficiente para levar a diante uma perspectiva de vida de fé não oscilante...

 

casos assim,  como o caso que o nosso amigo conta , de quem trabalha o tempo todo e não consegue por vezes, nem ganhar para o alimento necessário é real ... e ainda paga dívidas alheias, que ele próprio  nunca contraiu...

parece que este cenário, já adorna o palco da vida de muitos portugueses...

 

por isso mesmo, eu faço apelos constantes , para que todos os que estão mais lúcidos ajudem a construir um mundo melhor e mais justo...

ajudem a construir uma plataforma de apoio, onde os que vão aparecendo com fracas possibilidades de sobrevivência, possam resistir ao inverno da incerteza, vivendo um pouco melhor nessa tórrida agonia que os lança num desespero sem precedentes...

 

a guerra da impotência de vida está a travar-se em silêncio... mas nõs temos conhecimento dela... vem pela vida dentro como um polvo, que se a apodera gulosamente de quem lhe passa perto e estende seus tentáculos, através do desregramento, da luxúria e de todos os vícios que já nem vale a pena enumerar ...

 

a deseducação subiu ao mais alto nivél... e os que estão alerta para a reconstrução de um mundo melhor, têm que estar duplamente atentos para que não aconteçam mais desmoronamentos sociais, porque as nossas crianças estão a crescer em direcção á vida e não podem ser engolidas pelos gigantes desnudos de educação e de amor...

 

muito boa gente trabalha, sem nunca usufruir de paz...

como diz o meu amigo... o seu amigo não é preguiçoso... é um trabalhador, tem direito ao seu salário...

e este salário, passa também pela tranquilidade a que tem direito, porque se esforça, carregando com pecados alheios...

 

o país não anda bem... todos o sabemos...

mas meus amigos, o país somos nós, perto dos que vivem ao nosso lado, e Portugal não é uma aldeia legada como herança aos ministros, é nossa por direito divino, já que foi Ele que entendeu que deveríamos reencarnar nesta nação...

a lei divina assim o ordenou, assim o permitiu, então o país é da nossa responsabilidade... ou será, que quando a nossa casa está mal, vamos ao vizinho pedir para a colocar em ordem? ...

Portugal é a nossa casa e como em todas as casas, existem filhos bons e menos bons, problemas e desafios a enfrentar, momentos felizes para recordar e por vezes até nos excedemos um pouquinho no orçamento familiar... e também damos connosco a dizer que o pai ou a mãe não souberam poupar o suficiente, ou geriram  o orçamento com menos cuidado...

pois, se custa governar a nossa casa, quanto mais um país ?...

 

a falta de amor e de carinho, com o que nos rodeia, é que adensa o problema que é tão velho quanto o próprio homem... o egoísmo...

 

repartir é uma arte... partilhar uma virtude...

 

quando O Coração da Cidade nasceu, foi com esse objectivo... ensinar a partilha de bens,,, morais, espirituais e materiais, porque todos estes bens estão interligados...

NÓS SOMOS A PONTE ENTRE AS MARGENS SEPARADAS ...

 

é extremamente necessário fazer ajustes na nossa maneira de ver o mundo...

perguntar onde podemos ser úteis ...

criar pontes de lançamento para a felicidade...

criar estruturas de esperança, para quem passa por momentos difíceis ...

 

nã o custa nada repartir...

um dia a ponte que ajudamos a construir , pode ser a passagem, para que nós não fiquemos isolados na outra margem...

 

a união faz a força ... 

e dar as mãos não custa nada, a não o ser que sejamos paralíticos da alma... ou loucos...

 

viver construindo esperança, é ajudar os que se esforçam, a sorrir como nós...

 

o Verão vai a acontecer e tendencialmente se esquece a pobreza, só que ela não vai embora, continua a viver nos mesmos sítios, nas mesmas casas, com as mesmas pessoas...

 

a pobreza é neste momento uma manta rota, que já não  tem por onde cozer...

 

mas também parece que não interessa a ninguém concertar ... senão, de que iriam viver os que vivem á custa da pobreza ? ... é verdade... pi é ... e custa muito a admitir...

 

onde se fariam grandes e graves discursos a puxar ao sentimentalismos , com promessas sociais , se não o existissem os pobres ?...

 

os comendadores não  existiriam senão fizessem grandes doações em nome dos mais desfavorecidos...

 

santa ignorância...

  seríamos todos mais felizes se todo o mundo fosse melhor, mais justo , mais são, mais alegre e mais construtivo e disciplinado...

 

mas a bem da nação, F á tima, fado e futebol, continua ser o que dá ...

e vamos lá nós saber porquê? ...

afinal não  passamos de zés povinhos, aparvalhados, a importar estrangeiradas sem nexo...

 

queremos dar um passo maior do que as pernas e agora andamos de muletas...

 

afinal onde pára a liberdade ?... não sabe? ...  eu digo...

 

NA MENTE DE CADA UM DE NÓS

E NA BOA VONTADE

DE GENTE QUE NÃO MEDE ESFORÇOS

PARA CONSTRUIR ...

 

ajude a construir essa ponte solidária...

procure-me, deixe de lado essa mania de que não tem nada a ver com isso ...

 

afinal você é feito de quê? ... vai permitir que a sua mentalidade seja igual á mentalidade de tantos parasitas que andam para aí a viver á sua custa? ...

 

pois é amigo ... quando despertamos, obrigamos todo o mundo a despertar connosco..

 

fazer barulho é o que está a dar ... anda muita gente calada para o meu gosto ...

 

 lasalete

neste momento eu estou ...: trabalhando
publicado por lapieta@sapo.pt às 11:46

link do post | comentar | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

é dando que recebemos...

se dessemos as mãos...

PARABÉNS SENHOR PRESIDENT...

o amigo... do meu amigo F...

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags