Sábado, 25 de Abril de 2009

os cravos estão vermelhos de vergonha...

 

Parte de mim ficou nessa manhã de cravos rubros...

 

ainda que refeita do susto do diz que diz, com sabor a liberdade, nada parecia ainda muito certo...

 

com o avançar das horas, se clarificavam as conversas e se acentuavam opiniões de pseudo sábios quanto a coisas que a democracia deveria trazer e dizia-se à boca cheia, que agora é que iria ser bom...

 

porém os anos passaram e todos os projectos de liberdade de um jeito ou de outro se manifestaram...

 

hoje o que resta do 25 de Abril... tudo... mas... o cansaço do quotidiano mal amado gerou conflitos interiores difíceis de ultrapassar...

a população não quer aceitar que a liberdade é um treino diário de adestramento da vontade de viver e de disciplina interior, é um modelar constante do nosso mal formado carácter para que a liberdade se manifeste em nós e simultaneamente nos outros...

 

mas, o que mais deixa de lado o prazer da liberdade, é que constantemente os menos abastados se deixaram contagiar pela inoperância e entregaram a liberdade aos partidos, deixaram-se conduzir por querelas partidárias e não foram capazes de entender que a parte mais bela da liberdade, que é a união de esforços , estava a adoecer, porque a liberdade deve ser alimentada por um povo que sente diariamente na alma e no corpo as algemas dolorosas das migalhas que os ricos fazem escorregar das suas mãos abastadas e nuas de caridade, douradas da caridade assistencial que não sabem usar...

 

a disparidade de diferenças salariais entre os portugueses é imagem nítida de que a liberdade passou por aí...

a ausência de trabalho é sintomático de que alguém formado nas fileiras do despotismo amordaçou a liberdade...

a ausência do essencial para viver, é declaradamente a imagem dum país com fissuras económicas que demonstram sem duvida , que a liberdade há muito tempo foi esquecida e que o 25 de Abril a muito custo é lembrado, para que não os chamem de fascistas ou de outro nome menos amoroso, que ninguém gosta de colocar na lapela em dia de procissão social debaixo do pálio do poder...

 

o holocausto humano que está acontecendo por aí ...

é notório e já não se pode esquecer ... os fornos crematórios podem ser mesmo os centros de emprego, onde se queimam as esperanças de muitos que ainda acreditaram que ao receberam ensino superior poderiam estar bem colocados e cotados no mercado de trabalho...

 

o lugar cimeiro que os espera e para isso têm que se apressar, é numa instituição onde a sopa é diária e entre risos e voluntariado lá se vai esquecendo a vida e quando damos por ela já se passou mais um dia...

 

a liberdade não pode ser esquecida...

mas não é ao governo que compete fazer esvoaçar a liberdade, é ao povo, que mais nutrido de democracia tem que lembrar a quem governa que as ditaduras são para cremar e que a liberdade para governar começa na distribuição da riqueza de forma honesta e programada, para que todos debaixo da mesma bandeira e à luz duma constituição modelar, se sintam livres e prósperos e não encurralados e desiludidos...

 

a liberdade está  na mão do povo que não se deve deixar encantar com brilhos baços de subsídios que em nada dignificam a vida, mas que contrariamente âs leis da liberdade lhes está garantindo a situação de "presos com salvo conduto"...

 

podem passear pelas avenidas enquanto o subsídio permitir... e depois ?... depois ... deitem-se e sonhem que um dia existiu alguém que materializou um sonho que a que chamou liberdade ...

 

eu amo a liberdade, por isso me permito todos os dias lutar contra aquilo que considero um mal maior... a falta de meios de sobrevivência...

 

hoje estou particularmente feliz... O Coração da Cidade iniciou uma nova fase... o alojamento para indivíduos da rua..

 

que Deus nos dê coragem e discernimento para sabermos usar a nossa liberdade...

 

 os cravos estão vermelhos de vergonha... é preciso ressuscitar a LIBERDADE...

 

lasalete

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 07:27

link do post | comentar | favorito
Sábado, 28 de Junho de 2008

SOLIDÃO...

 

 
Estendi-lhes a mão
Levava na minha  mão migalhas de amor que não enxugariam lágrimas, nem secariam , nem de longe nem e perto, uma só das lágrimas, das rugas, das vozes roucas que a droga e álcool tornaram quase imperceptíveis…
 
Ao meu encontro, vinham as mãos calejadas, os braços enegrecidos, do sol que é de toda a gente mas que os veste diariamente, por falta de tecto para morar…
Denunciadas as tatuagens, que rompem desabridamente, mostrando os registos de dias seguidos, numa cela isolada, num presídio qualquer…
 
As mulheres que vendem o corpo , a vida e a alma, não se mostram tão diferentes... assim parecendo anjos de negras asas, suando a dor , dor de momentos, que julgados fáceis, são sem dúvida espelhos de almas intensamente torturadas…
 
As dores misturadas com a tristeza , em folhos de gargalhadas, enfeitadas com palavras de agradecimento … iam e vinham devolvendo olhares que dificilmente se apagam da alma de quem os serve por amor…
 
Estes são os filhos de ninguém… os que tudo pedem… apenas porque só têm deles aquela hora… e esta é a hora de fazer amor…
 
O sol beijando sem piedade, está alheio à dor, às queimaduras internas, que mostra o gelo da humanidade… onde tudo é mal dividido… onde uns têm mais que os outros… onde uns têm direito a tudo e os outros direito a coisa nenhuma…
 
Perguntei a Deus se era servido… creio que me respondeu… que eu já O estava servindo…
 
Retirei-me para escrever… coloquei música suave para atenuar o sofrimento… mas as lágrimas correram…
 
Os dedos colaram às teclas para falar da dor que não consigo esconder…
 
12 anos a estender a mão… pedindo que aceitem nossas migalhas de amor…
Pedindo que não envelheçam, porque vai ser mais difícil viver…
Nós não damos nada… é tão pouco o que fazemos…
Amenizamos apenas momentos difíceis…
 
As vielas da vida, escondem os fracos…
As prostitutas mais velhas, já ninguém as requisita…
Os que se drogam há mais tempo, já estão cansados, trôpegos e doentes..olham para nós por uma nesga de vítreo, fixando o olhar para tentar compreender o que se passa em redor…
 
A música de S. João não foi suficiente para mudar o painel, não…
não mudou o tom da solidão…
 
À vista de quem atento estava, percebia-se a necessidade de se ser igual a toda a gente…
 
Somente Deus assim o reconhecia… nós estávamos apenas a aprender…
 
Hoje senti saudade da infância… aquele ponto em que para nós tudo está bem e o mundo não tem maldade e nem inspira maldade também…
 
Hoje senti saudades dum mundo diferente, onde todos seremos iguais e o bem se espelha e se espalha como fragrância indispensável para viver …
 
Hoje senti saudades do amor … hoje por um instante, não quis viver entre os homens desta terra… senti vergonha de estar a dar de comer, porque o meu gesto denunciava a falta de amor da humanidade…
 
Falta de amor, porque não soubemos, nem sabemos educar convenientemente…
Falta de amor, porque distribuímos a riqueza de forma torpe e egoísta…
Falta de amor, porque não nos colocamos ao lado de qualquer causa, para defender e mudar o rumo daquilo que percebemos errado…
Falta de amor, porque ainda não aprendemos a amar do jeitinho que desejamos, que todos sem excepção nos amem a nós…
 
………………………………….
 
Depois parei para pensar que mais logo, quase à noitinha, eu teria de estar em outro lugar …
falando de tudo isto, mas com consciência de que viria novamente ao encontro de outras dores… talvez não muito diferentes…
Outras almas… outras dores e outros propósitos de vida…
Dores com tecto… dores sem fome física…
Dores com roupa, mas mostrando o gelo interior de quem necessita de aquecer por dentro …
Dores com fome de beijos, de abraços…
Dores com fome dos filhos, dos pais, dos amigos…
Dores com fome de alguém que nos deixou de amar…
Dores com fome de alguém que nos mentiu… e não voltou nunca mais…
 
Sabia que viria ao encontro das dores com fome de amor…
 
As dores mais humanas e os apelos mais divinos que conheço …
 
Mas para essas não tenho migalhas de amor, nem braços, nem pão…
Para essas dores trago apenas a missão de apontar um caminho DEUS…
 
 
 
28 de Junho de 2008 … 16 horas
 
 
 
 
neste momento eu estou ...: à espera de uma mudança...
publicado por lapieta@sapo.pt às 16:33

link do post | comentar | favorito
Sábado, 24 de Maio de 2008

S. João... no Coração da Cidade

 

 

ai S. João que chatice

a vida já custa tanto

que p'ra chegar à velhice

já nem te chega ser santo...

 

os preços de vento em popa

estão p'raí a disparar

por isso só temos sopa

ao almoço e ao jantar...

 

a gasolina está cara

ninguém trava o seu precinho,

o carro não anda a água,

nem sequer se mexe a vinho...

 

vamos reinar um pedaço

de noite não há idade,

cantar e dar um abraço

no Coração da Cidade...

 

O Coração da Cidade, inaugura este ano na noite de S. João o seu primeiro arraial em honra do Santo padroeiro da cidade...

 

Com banda de música e petiscos à altura das boas cozinheiras do coração, a sardinha assada, os pimentos assados, a boroa, o chouriço assado, as fêveras assadas e tudo a que temos direito nesta noite...

 

o arraial iniciar-se-á pelas 21 horas com saída da Avenida dos aliados e fará o percurso até às instalações da Rua Antero de Quental...

 

depois tudo será arraial e todos são chamados a bailar... até às tantas...

 

não faltarão os manjericos, a alfadega, a alface e os cheiros de S. João...

 

a este arraial chamamos todos os que quiserem, conviver e divertir-se...

 

à meia noite como antigamente acontecia, a regueifa quente com manteiga e o café de saco...

 

os preços serão o mais baixo possível e assim a noite de S. João não será tão cara como habitualmente...

 

esperamos estabelecer um laço forte entre todos os que vierem até nós, pois acreditamos que será uma noite inesquecível...

 

os padrinhos deste primeira rusga são uma surpresa...

 

se quiser participar na rusga do coração faça a sua inscrição... através do email...

lasalete.piedade@gmail.com">lasalete.piedade@gmail.com...

 

cá os esperamos com toda a alegria...

 

lasalete  

neste momento eu estou ...: vivinha da silva
publicado por lapieta@sapo.pt às 19:34

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 5 de Maio de 2008

fome em português...

 

é esta a sensação que  fica dentro de nós , os que estamos a braços  com a fome em Portugal...
o mais confortável seria dizer que tudo está bem ...
o mais razoável seria pensar que podemos fazer muito mais...
mas o mais aterrador é perceber que não é permitido fazer mais e melhor..
mas, o impensável mas concreto, é verificar que a fome é fomentada, pela indiferença, pela ausência de políticas sociais de base e pela indisciplina parlamentar, que dia a dia agenda a discussão de situações que de todo em todo não são necessariamente as mais urgentes para o país...
 
fome em português, significa apenas ignorância...
também descentralizar é  urgente... criando amplitude social…
 
mas... FOME EM PORTUGUÊS ... é acima de qualquer ilação  o mais urgente  programada de educação ...
educar para que não exista fome…
 
ao contrário de classificar os professores, os médicos ou mesmo os funcionários públicos, porque não classificar os políticos , que estão permanentemente a planear mais tributação… políticos que  se passeiam indiferentes à fome ,que em Portugal  está a criar problemas terríveis ao nível da saúde ( física, mental e moral) ... os danos colaterais são mortíferos...
a fome em Portugal, está a espalhar o terrorismo e os comportamentos desviantes estão a proliferar…
no sentido de deitar mão seja ao que for, a população mais fragilizada, adere a todos os esquemas para fazer face ao dia a dia ...
 
a criminalidade aumenta pela ausência de planos sociais adequados, que verticalizem os anseios e que determinem caracteristicamente espaços fundamentais para o desenvolvimento humano ao nível dos afectos ...
 
estrangulados os ideais, as populações só encontram o facilitismo …e este quase sempre e exactamente dos núcleos expostos e ostensivos do meio delinquente , que se sabe que existe, mas que em verdade, ninguém com responsabilidade tenta combater... por medo ?...  por desleixo? ...
 
a fome em Portugal, é uma mancha negra no socialismo e na democracia em geral, porque , não há necessidade de existir fome no nosso país...
 
verifique, quem de direito, porque é pago para isso mesmo, como são distribuídos no nosso país, os subsídios alimentares e os alimentos...
 
que circuito fazem os bens institucionais e a quem servem concretamente...
 
dizem muitas vezes que não devo dizer isto, porque estou a falar demais...
 
façam uma excursão pelas instituições, para verificar onde são gastos os subsídios estatais... de que forma as populações usufruem dessas ajudas ?... que rentabilidade têm alguns núcleos de apoio social ?...
 
mas verifiquem também, o esforço quase desumano, que alguns seres humanos ao nível do apoio social, estão prestando à sociedade civil …
e verifiquem que muitos dos que na realidade servem a causa com sentimentos nobres, são afastados do circuito , porque não interessa sermos tão interessados pelas causas sociais ...
 
tenho vergonha de estar a viver este drama , porque tenho a certeza de que não há necessidade para tanto barulho por causa da fome...
 
O Coração da Cidade não recebe ajuda do Banco Alimentar Contra  Fome, sobrevive sozinho , sem ajudas de maior monta, trabalha sem marketing económico, não tem nenhuma máquina montada ao nível das comunicações, pedindo pelo telefone dinheiro algum ...
 
investimos sobretudo na dinamização e na sensibilização social para programas de inter ajuda, para que num futuro próximo, possamos ser mais felizes...
tentamos despertar os que estão mais próximos, para que se aproximem mais de nós e entrem vinculativamente na nossa cadeia solidária ... a cadeia do coração , onde circula o sangue dos pioneiros solidários...
 
sem trabalho... não chegaremos a lado nenhum...
Portugal ainda tem tudo por fazer , mas as verbas da União Europeia, não estão servindo os fins a que se destinam... estamos portanto perante uma burla sistemática ... porque Portugal não avançou, tanto quanto preconizavam os estudos realizados pelos ” nossos amigos europeus"...
 
para onde foram então as verbas que foram enviadas, para  emprestar  mais conforto a todos os níveis às populações mais carenciadas?...
 
tantos quadros comunitários... mas afinal o que é isso?... a quem servem esses estudos...
 
estas são perguntas pertinentes que eu gostava de ver esclarecidas na Assembleia da República ... entre Gregos e Troianos , não nos interessam as guerras...
 
nós queremos é saber porque se está a passar fome em Portugal ?...
quem tem interesse em manter este quadro social ?...
porque é que não se ajudam as instituições que têm trabalho feito no terreno?...
 
com que fim se conduzem as populações à miséria?...
 
hoje em dia já não se usa atacar o problema no fim ... hoje os programas sociais devem verticalizar os seus apoios no domínio da prevenção ...
 
O Coração da Cidade desenvolveu programas preventivos... mas...
 
vamos nós lá saber porque somos ignorados?...
 
talvez a fome no nosso país, seja mais de mentes qualificadas, que de comida propriamente ...
 
lasalete
neste momento eu estou ...: trabalhando
publicado por lapieta@sapo.pt às 11:51

link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Abril de 2008

o Deus das lágrimas...

ontem, falando com alguém que desabafava, no mar de lágrimas que lhe embrulhava o rosto, me disse olhos nos olhos, que existiam dois deuses...

 

fiquei a tentar entender a sua afirmação e voltou atrás para explicar o seu raciocínio...

 

existe o deus da alegria e o deus das lágrimas... o deus das lágrimas é mais generoso que o deus da alegria... distribui lágrimas em abundância ...

 

perplexa perante a afirmação de tal convencimento , expliquei que não seria bem assim...

 

 

 

voltou as costas e distanciou-se, alargando o passo algo contrariado , mas arrependido voltou atrás e perguntou: - então porque é que a maioria do mundo chora, porquê a guerra, a fome e dor de tanta gente?...

 

não é bem assim, disse-lhe ... o mundo inteiro aprende a ser melhor, mas a forma de aprender depende muito da forma de se querer aprender, a grande maioria dos homens viveu à margem do amor e nunca semeou a paz... vivem em vidas anteriores a maltratar os seus semelhantes... hoje voltam a encontrar as lágrimas que semearam...

Jesus disse para quem O quis escutar " a sementeira é livre... a colheita é obrigatória"...

 

 

nosso amigo lá foi à sua vida sem se deixar sensibilizar...

mas sem entender que Deus é uno, santo, justo,imutável, omnipotente e omnipresente na vida de todos quantos o seu amor criou...

 

 

a vida ensinará a todos nós, as verdades que hoje perante o que apenas os nossos olhos vêm, mas que o coração não sabe expplicar...

sobre Deus nunca tentei convencer ninguém...

todos temos uma hora para despertar e quem não despertar pelo amor, despertará forçosamente pela dor... o importante, é que um dia, bem distantes do homem grosseiro que somos hoje, seremos espíritos  de paz e bondade , lutando por um mundo melhor...

 

 

e por falar num mundo melhor ...

nossa amiga cujo desabafo incluí no blog há uns dias , recebeu a visita do Coração da Cidade e em resposta nos enviou um email que passo a colocar aqui, para que, quem segue de perto a nossa actividade, de vez enquando possa perceber o que na realidade fazemos...

 

Boa Tarde
 Já escrevi e rescrevi mil vezes um texto onde pudesse expressar a
minha gratidão , não só por tudo quanto trouxeram , e a sala parecia
uma montra de natal , o Pai Natal não tinha barbas e ao invés dum
gnomo , veio uma fada ...
Não , não foram só as ofertas materiais , tanta fartura , já dividi
com mais alguém que também precisa!
O que estou agradecendo , foi a atenção que me deram , o respeito com
que fui tratada e aquele abraço que recebi , tão forte e tão sincero!
Na primeira vez em que peguei na Bíblia , tinha eu 12 anos , encontrei
a passagem em que Jesus fala sobre os lírios do campo , as suas
palavras sempre me fascinaram , hoje entendi o quanto são verdadeiras.
Obrigada por terem tornado os meus dias mais felizes, e contem comigo
assim que me recuperar.
Um grande abraço.
este foi o desabafo da nossa amiga...
que bom, podermos ser úteis e deixar uma pessoa feliz...
afinal aqui o deus da alegria estava presente...
lasalete

 

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 13:52

link do post | comentar | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

os cravos estão vermelhos...

SOLIDÃO...

S. João... no Coração da ...

fome em português...

o Deus das lágrimas...

mais comentados

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags