O Coração da Cidade precisa de amigos... seja amigo do coração...

o seu donativo é muito importante para nós...

MILLENIUM- BCP ... 0033 000000 239551298 05 

Sábado, 13 de Agosto de 2011

guerra surda ... para quem não quer ouvir...

 

 

11 horas da manhã...

 

A maior parte dos meus amigos está de férias...

 

Alguns foram até Fátima, na esperança que a Virgem peregrina, operasse um milagre, outros foram agradecer…

 

As  noticiosices de todo o mundo sucedem-se, os apresentadores estão bem penteados, maquilhados e há que vender meias verdades... e contam quase todos eles as mesmas histórias, debulham as mesmas tragédias de sempre, assustam as mesmas mentes e sentem-se senhores do destino da mentalidade humana, formatando em seu redor os raciocínios mais lentos e mais vulneráveis...

 

O impacto económico em todo o mundo, é a nova guerra surda, fomentada quem sabe, em pleno oceano, por uma quantidade (pequena) de loucos, que não sabe nem sequer fazer um chã, mas que em frente a um computador, está a destruir muito mais que Bin Laden...

 

Apanharam desprevenidas a maior parte das bolsas mundiais, espalharam o caos, porque as economias estavam a ser engolidas, por famintos do poder, enquanto os políticos, lhes lambiam as botas besuntadas com a banha de muitos, para quem o sofrimento humano nada significa...

 

Avessos à humanização, pensando que vão viver eternamente neste planeta, nem sequer têm a capacidade de entender que estão neste momento a destruir o que deveriam construir com muito cuidado, pois que o mundo, que estamos a tentar emoldurar, é o mundo dos nossos filhos e dos nossos netos... que bela herança!!!!!!!...

que dirão os nosso netos um dia, quando olharem para trás e perceberem que somos um bando de idiotas, agarrados ás bolsas de valores, neste jogo de monopólio mundial, onde uns têm tudo e outros nada, nem sequer lhes restou a esperança...

 

Se o mundo que trabalha acordasse e se manifestasse, não através da violência, mas através do trabalho, se não quisesse apenas muitos dias de folga e de bailarico e entendesse de uma vez por todas que esta guerra surda e infecciosa é a pior guerra de todas, porque não conhecemos o rosto de quem está a vender e a comprar e que apenas conhecemos uns logaritmos dispersos, umas quantas equações sem quociente e uns quantos números que os noticiários financeiros despejam semeando o caos em todo o mundo...

 

Esta máquina foi bem montada e de certo que não estão tão certos assim de conseguirem os seus intentos…

No fundo, eles sabem que a força está em terra…

Aqui, onde o sol bate mais forte e se sentem todas as tempestades emocionais, onde morrem e nascem crianças todos os dias, onde se partem montras e se incendeiam cidades, onde se assalta e se mata, mas onde se estende a mão, aqui onde em terra firme estão os homens que choram, aqui também reside a esperança…

 

Aqui onde existe o câncer do egoísmo, também existe a cura ( a humanização)… o problema é que neste momento são muito poucos os que se dizem vacinados, são muito poucos os que lutam desesperadamente, para que os ( mortos vivos) se sintam vivos de vez e possam reagir…

 

Quem manipula as informações, é sem sombra de dúvida a sombra inclemente dos que não sentem temor, nem dor, apenas a mesquinha ambição dum poder paralelo que vai fazendo vítimas…

 

Os que fabricam esta guerra surda, são muitas vezes os que depois dos destroços aparecem como grandes e únicos benfeitores…os salvadores da humanidade… esperam as estátuas, os pódios e aí mostram o rosto… esquecem-se porém de que ( a sementeira é livre, mas a colheita é obrigatória )…

 

Ficaríamos abismados se um dia no fosse mostrado o número impressionante de mentes que saíram da universidade e se transformaram em soldados desta guerra económica, matando as perspectivas de futuro, lançando bombas de discórdia económica, violando leis de concertação, lançando roquetes de terror, mísseis dizimadores de vida, sem compaixão por quem trabalha dia a pós dia…

 

As religiões já nada podem e nada fazem… muitas delas também se deixaram corromper…

 

Parece um quadro negro?… é a realidade em que vivemos …

 

Mas ponderemos bem fundo, porque a força ainda está nas nossas mãos…

 

Viremos para a natureza o nosso interesse, estudemos outra vez as teorias do amor, e coloquemo-lo em prática, registemos todos os passos e todos os gestos que por esse mundo fora se traduzem em situações de paz e pacifiquemos o coração…

 

Ajustemos a nossa vontade a uma vontade única, a do progresso integrado ( moral, intelectual e material )… pois que a matéria está aí desde sempre e é necessária ao progresso em todas as situações…

 

O consumismo foi a forma mais elaborada de paralisação… agora que quase todos são devedores, temos que assumir que a escravatura se instalou, levantando fortes muralhas económicas, onde estão encarcerados e algemados às suas dívidas muitos seres humanos, que apenas queriam ser felizes…

 

Só Deus nos pode salvar… não o Deus que as religiões inventaram… não… o Deus verdadeiro, o Deus que está dentro de nós, que nos fala, que não atropela a nossa consciência, o Deus que se chama LIBERDADE, AMOR, HARMONIA e PAZ…

 

Essa ENERGIA DIVINA, tem um poder imenso, o poder de cada um, a força impressionante da mudança…

Essa ENERGIA CÓSMICA, é a Fé que tantos anseiam e que muito poucos sabem pôr em prática…

Essa ENERGI LIBERTADORA, tem o nosso ADN espiritual, diferente para cada um, consoante o percurso que no transcurso dos séculos fizemos e que pode mudar o mundo…

 

Essa energia, liberta-nos do medo…

 

O mundo neste momento está vestido do medo de perder… o quê? …

 

Que mais há que perder?...

 

Daqui para diante só há a ganhar…

Para isso, anule o medo… não se subestime e avance… em novos moldes, mas avance…

 

Faça a partir de hoje uma vida diferente e confie…

 

Um bom fim-de-semana para si … você, eu e quem quiser, temos a força na mão…

 

lasalete

neste momento eu estou ...: em paz
publicado por lapieta@sapo.pt às 11:03

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Fevereiro de 2011

liberdade para o Egipto...

 

 

 

o mundo paulatinamente continua a sua mudança... contar ventos e marés lá se vai cumprindo o ciclo evolutivo...

 

a maldade cede lugar ao bem... a repressão vai cedendo lugar á Paz...

 

que o mundo possa seguir exemplos de amor e fraternidade, aprendo a libertar sem sangue... muito dificil ainda...

 

 ainda há tantos presos políticos e tantos ditadores, transvestidos de democratas a ocupar lugares de presidência em países oprimidos e mal escolarizados, mas que recebem e são recebidos com honras de estado, por estados democráticos...

 

"o meu país está livre depois de décadas de repressão..."

El Baradei

 

será que está livre ? ... que assim seja...

o mais importante é que o povo saiba apreciar a liberdade e saiba o que é a liberdade...

é muito importante que pretenda ser livre, mas que encontre em simultâneo vontade de evoluir, vontade de crescer, ajudando a crescer os demais...

 

temos assistido vezes sem conta a inúmeras situações de ansiada liberdade, mas depois do prazer e da euforia deste mundo de gloriosos libertadores, vem o desânimo...

 

quase sempre são países que não estão em situação estável e depois se vêm a braços com inúmeros espaços de intervenção económica e social...

muita vezes os que empurram o povo para a desesperação, são os que gritavam liberdade, mas que não tinham vontade de trabalhar por esse povo...

 

que a luz divina ilumine o povo do Egipto a quem envio o meu voto de Pazzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz...

 

que os libertados e os libertadores se unam para levar enfrente este país que deixou ao mundo uma história impressionante e que neste momento necessita que o amem...

 

espero para ver um egeipto, sem guerra , sem fome, com trabalho para todos e com mulheres livres a ocupar postos de governação como em outras partes do mundo...

 

 

lasalete

neste momento eu estou ...: em paz
publicado por lapieta@sapo.pt às 17:21

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 29 de Junho de 2010

UM DIA FOMOS ASSIM ...

 

um dia fomos assim...

ternos amorosos, sem medos que acrescentassem mais medos,

tão ternos e amorosos que era fácil acreditar que o mundo estava preparado para nos amar eternamente...

 

se nos dissessem que iríamos crescer, nós nem tão pouco compreendíamos o que nos estavam a fazer entender...

porque na nossa cabecinha, não cabia a ideia de um mundo cruel e infeliz, onde a maior parte dos seres humanos fazem de conta de que tudo está bem e onde de vez enquanto fazem de conta que amam e cantam canções que Parecem eternizar esse mesmo amor...

 

tão ternos e amorosos nós eramos,que mesmo a dormir apenas sonhavamos coisas de sonho, sem suspeitarmos que que os adultos sonhavam coisas de dor e de pranto e que por vezes tinham medo de adormecer, para não terem que sonhar os sonhos que ninguém quer...

 

mas o mundo não pediu licença, apenas cumpriu uma ordem universal de vida...

e nós crescemos, e fomos enfrentar o mundo dos homens que sonham sonhos que não querem sonhar...

o mundo dos homens que não sabem como dizer não, quando devem dizer sim...

o mundo dos homens que precisam de amar , mas que têm vergonha de o fazer...

o mundo dos homens que não se assumem, em qualquer aspecto da sua personalidade e que tentam disfarçar, teimosamente, permanecendo infelizes...

o mundo onde os homens dizem que têm pena dos mais pobres e onde inventam rácios para que a fome continue e eles assim possam enriquecer mais depressa...

o mundo dos homens que ensinam democracia, mas que governam calcando os mais desprotegidos, deixando apenas a imagem na memória de alguém que deixou de existir mas que não interessa...

o mundo dos homens que faz registos de morte, mais rápido do que os registos de vida...

o mundo dos homens que quer filhos, mas que se esquece deles quando eles crescem e se mutilam por dentro destruindo os sonhos que aprenderam a sonhar enquanto eram crianças...

o mundo dos homens que falam de inocência, em paralelo com a pedofilia, com a prostituição e o trabalho infantil...

o mundo que recorda as canções de embalar , mas que tece nuvens de ilusão onde ninguém quer permanecer, porque já não sabe cantar...

 

um dia todos os homens foram assim, onde ficou portanto a sua inocência e a sua ternura?

 

para onde caminham os pés que chutavam á bola?

para onde se estendem os braços que procuravam a mão dos amigos com verdade?

o que agarram as mãos que outrora colhiam flores?

onde pára o sorriso, que em tempos acompanham o canto dum passarinho?

onde estão os rostos que antigamente se lambuzavam de algodão doce?

 

quem se permitiu a apagar o perfume da alma com o cheiro fétido do oportunismo, do pessimismo e da escassez de carinho...

 

quem se atreveu a parar o canto da sua voz inocente e hoje diz impropérios que a vida registo chorando?...

 

onde pára a criança que havia dentro de nós?...

 

hoje não aguentamos o peso da vida, outrora o mundo cabia inteirinho na nossa mão...

 

descubram essa criança, brinquem e perfumem a alma, o mundo necessita de nós...

 

lasalete

neste momento eu estou ...: em paz
publicado por lapieta@sapo.pt às 16:44

link do post | comentar | favorito
Sábado, 27 de Março de 2010

ACORDAR PORTUGAL...

 

 

 

 

 

 

O QUE MAIS PREOCUPA NÃO É O GRITO DOS VIOLENTOS, NEM DOS CORRUPTOS, NEM DOS DESONESTOS, NEM DOS SEM CARACTER, NEM DOS SEM ÉTICA...

 O QUE MAIS PREOCUPA É O SILÊNCIO DOS BONS...

 

MARTIN LUTER KING

 

 

 

 

 

é exactamente isto que eu venho dizendo...

 

a grande preocupação está apontada para uns tantos, quase de propósito, para ocultar a inércia dos outros, a nossa inércia...

nós que nos dizemos melhores que os outros...

mais honestos que os administradores...

mais puros que os violadores...

menos corruptos que os políticos...

 

porém, com bem menos ética moral que os que não crêem em coisa nenhuma...

 

é exactamente o silêncio dos bons que destrói o planeta, que maltrata as crianças e que lhes mancha a memória, que corrompe a juventude e os violenta nos seus ideais, que afasta os velhos de junto de nós e os amortalha num manto de solidão, que impede o trabalho usando todos os meios para atingir qualquer fim ...

 

e agora ... lamentamos...

 

ainda não é o fim... tudo isto que está acontecendo na sociedade, é apenas o doloroso despertar dum tempo promissor...

mas, como sempre, o ser humano tem que bater bem fundo para perceber que acima de si ainda há estrelas no céu, e que ele isoladamente, não é senhor do universo...

todavia, bem longe podemos chegar... não necessitamos de colocar o pescoço no fio da navalha, nem de nos colocarmos na mira dum tiro certeiro... basta que nos levantemos da cadeira e façamos tudo com um único objectivo... COLABORAR COM A VIDA... COM TODOS EM NOSSO REDOR...

 

abraçar os mais fracos é a grande tarefa...

 

muita gente me pergunta, qual é a sua missão sobre a Terra, porque se sente infeliz e inútil... e eu pergunto… é cego ?... ou tapou os olhos de propósito... não vê tanto que fazer em seu redor?...

 

a nossa missão sobre a Terra é exactamente romper os silêncios, derrubar muros , mudar a inoperância de lugar, porque é dentro dela que nos posicionamos constantemente, inventando movimentos que nos entontecem, girândolas de prazer que nos confundem e nos tombam de tanto cansaço…

 

a nossa missão é como a daqueles que neste momento recordamos como grandes heróis... amar sem fronteiras…sem barreiras…sem religiões… amar por amar… 

a diferença entre eles e nó, é que eles acordaram e nós continuamos a dormir inventando que queremos acordar...vendendo sonhos á lua… e porque não lhe podemos chegar, então baixamos os braços…

 

este homem que hoje aqui trago como exemplo, e que faz parte dos meus heróis, também disse. no seu discurso da marcha pelo desemprego e pela liberdade:

 

 

EU TENHO UM SONHO

... Eu digo a você hoje, meus amigos, que embora nós enfrentemos

as dificuldades de hoje e amanhã. Eu ainda tenho um sonho.

 É um sonho profundamente enraizado no sonho americano.

Eu tenho um sonho,

 que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença - nós celebraremos estas verdades e elas serão claras para todos,

que os homens são criados iguais.

Eu tenho um sonho,

 que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos dos descendentes de escravos e os filhos dos desdentes dos donos de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade.

Eu tenho um sonho,

 que um dia, até mesmo no estado de Mississippi, um estado que transpira com o calor da injustiça, que transpira com o calor de opressão,

 será transformado em um oásis de liberdade e justiça.

Eu tenho um sonho,

 que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação

onde elas não serão julgadas pela cor da pele,

 mas pelo conteúdo de seu carácter.

 

 Eu tenho um sonho hoje!

Eu tenho um sonho

 que um dia, no Alabama, com seus racistas malignos,

com seu governador que tem os lábios gotejando palavras de intervenção e negação;

nesse justo dia no Alabama, meninos negros e meninas negras

poderão unir as mãos com meninos brancos e meninas brancas como irmãs e irmãos.

 

 Eu tenho um sonho hoje!

Trechos do Discurso de Martin Luther King (28/08/1963)

 

 

este homem, foi nobel da PAZ em 1964... no entanto partiu mais cedo… a sua vida terminou em 4 de Abril de 1968,  porque alguém silenciou a sua voz...

 

Hoje, em vez de levantarmos a voz com fundamentos capazes, estamos mais interessados nas escutas...nas faces ocultas...

 

fica aqui a minha pergunta... porque  não escutarmos a voz daqueles que á luz do dia gritam que precisam de ajuda...

os que  têm o rosto descoberto ?...

 

é mais fácil e dá notoriedade, falar dos grandes conflitos ou pseudo confusões...

 

no fundo, tudo isto é apenas um circo económico... pois que todos sabem de antemão, que saem uns e entram outros, e se a moda pega... quem é que os escuta ?...

 

acordem as consciências ...porque acordar as consciências é a nossa missão...

 

 

lasalete

neste momento eu estou ...: acordada
publicado por lapieta@sapo.pt às 04:49

link do post | comentar | favorito
Sábado, 25 de Abril de 2009

os cravos estão vermelhos de vergonha...

 

Parte de mim ficou nessa manhã de cravos rubros...

 

ainda que refeita do susto do diz que diz, com sabor a liberdade, nada parecia ainda muito certo...

 

com o avançar das horas, se clarificavam as conversas e se acentuavam opiniões de pseudo sábios quanto a coisas que a democracia deveria trazer e dizia-se à boca cheia, que agora é que iria ser bom...

 

porém os anos passaram e todos os projectos de liberdade de um jeito ou de outro se manifestaram...

 

hoje o que resta do 25 de Abril... tudo... mas... o cansaço do quotidiano mal amado gerou conflitos interiores difíceis de ultrapassar...

a população não quer aceitar que a liberdade é um treino diário de adestramento da vontade de viver e de disciplina interior, é um modelar constante do nosso mal formado carácter para que a liberdade se manifeste em nós e simultaneamente nos outros...

 

mas, o que mais deixa de lado o prazer da liberdade, é que constantemente os menos abastados se deixaram contagiar pela inoperância e entregaram a liberdade aos partidos, deixaram-se conduzir por querelas partidárias e não foram capazes de entender que a parte mais bela da liberdade, que é a união de esforços , estava a adoecer, porque a liberdade deve ser alimentada por um povo que sente diariamente na alma e no corpo as algemas dolorosas das migalhas que os ricos fazem escorregar das suas mãos abastadas e nuas de caridade, douradas da caridade assistencial que não sabem usar...

 

a disparidade de diferenças salariais entre os portugueses é imagem nítida de que a liberdade passou por aí...

a ausência de trabalho é sintomático de que alguém formado nas fileiras do despotismo amordaçou a liberdade...

a ausência do essencial para viver, é declaradamente a imagem dum país com fissuras económicas que demonstram sem duvida , que a liberdade há muito tempo foi esquecida e que o 25 de Abril a muito custo é lembrado, para que não os chamem de fascistas ou de outro nome menos amoroso, que ninguém gosta de colocar na lapela em dia de procissão social debaixo do pálio do poder...

 

o holocausto humano que está acontecendo por aí ...

é notório e já não se pode esquecer ... os fornos crematórios podem ser mesmo os centros de emprego, onde se queimam as esperanças de muitos que ainda acreditaram que ao receberam ensino superior poderiam estar bem colocados e cotados no mercado de trabalho...

 

o lugar cimeiro que os espera e para isso têm que se apressar, é numa instituição onde a sopa é diária e entre risos e voluntariado lá se vai esquecendo a vida e quando damos por ela já se passou mais um dia...

 

a liberdade não pode ser esquecida...

mas não é ao governo que compete fazer esvoaçar a liberdade, é ao povo, que mais nutrido de democracia tem que lembrar a quem governa que as ditaduras são para cremar e que a liberdade para governar começa na distribuição da riqueza de forma honesta e programada, para que todos debaixo da mesma bandeira e à luz duma constituição modelar, se sintam livres e prósperos e não encurralados e desiludidos...

 

a liberdade está  na mão do povo que não se deve deixar encantar com brilhos baços de subsídios que em nada dignificam a vida, mas que contrariamente âs leis da liberdade lhes está garantindo a situação de "presos com salvo conduto"...

 

podem passear pelas avenidas enquanto o subsídio permitir... e depois ?... depois ... deitem-se e sonhem que um dia existiu alguém que materializou um sonho que a que chamou liberdade ...

 

eu amo a liberdade, por isso me permito todos os dias lutar contra aquilo que considero um mal maior... a falta de meios de sobrevivência...

 

hoje estou particularmente feliz... O Coração da Cidade iniciou uma nova fase... o alojamento para indivíduos da rua..

 

que Deus nos dê coragem e discernimento para sabermos usar a nossa liberdade...

 

 os cravos estão vermelhos de vergonha... é preciso ressuscitar a LIBERDADE...

 

lasalete

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 07:27

link do post | comentar | favorito
Domingo, 16 de Novembro de 2008

voo livre... (poema)

 

 

diante de mim esvoaça

a liberdade ondulante

nas asas de uma gaivota

negra de tanto voar

que o vento não atordoa...

nas asas dessa gaivota

alheia a toda o lamento

vai a alma de um poeta...

que voa ao sabor do vento

na sua rima discreta...

 

nas asas de um voo livre

a alma rima chorando

de rimas vive sonhando

e sonha vivendo aos ais...

voa no seu pensamento

por sobre um rio de dor

toma do mundo o momento

voa falando de amor...

 

transporta no seu rimar

a alma de muita gente

que aguenta em agonia

os dias mal disfarçados

como fardos tão pesados

que não suporta de dia...

salga de dor suas mãos

que suam sem ilusão

as dores que fingem doer

apenas no coração...

 

nos rostos onde a alegria

já se veste de palhaço

fingindo que é sempre dia

levando à alma o cansaço,

da dor que aparece rindo

doente em lábios vermelhos

palavras que o céu entende

deixando recados velhos,

com frases que não se ouvem

discretas e soletradas

nos medos de toda a gente

que se fingindo contente

está de mãos amarradas...

 

voo livre dum poeta

é ponte de dor e pranto

que diz em rima directa

porque o mundo chora tanto...

como gaivota voando

a alma finge voar

porque não sabe voando

onde poisa pr'a chorar...

 

 

 

lasalete... poemas de dor e pranto ... 9,29... 16-11-2008

 

neste momento eu estou ...: voando
publicado por lapieta@sapo.pt às 09:37

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 7 de Março de 2008

minhas raízes são alma... (poema)

 

 

as minhas raízes... são os meus professores... a eles este poema... lasalete

 

( dedico este poema ... porque nada mais posso fazer... à luta dos professores... a esses heróis, a quem devo a minha educação... pela ajuda que me prestaram, num tempo em que não se respirava liberdade, mas onde se respeitavam as nossas raízes)...

 

 

 

 

MINHAS RAÍZES SÃO ALMA...

 

minhas raízes são alma,

são alma de toda a gente,

alma dum povo aflito

com medo de ir em frente ...

raízes de amor e dor

raizes de dor , saudade

são raízes bem profundas

que já não contam idade...

 

bem no fundo deste povo

ainda vive a esperança,

de ir beber às raízes

de quando era criança...

onde beber era apenas

a candura e a inocência

a liberdade de ser

amor e só paciência...

 

ir de boleia no sol

quando a tarde luminosa

era deveras calor

no rosto de qualquer rosa...

onde o vento murmurando

cançoes que a lua cantava

quando à noitinha sonhando,

a nossa alma sonhava...

 

raízes quem as cortou ? 

e nos deixou tão sozinhos

nas lembranças arquivadas

tão longe dos nossos ninhos...

porém ,se a dor apavora

e nos dói sem esperança,

é só beber nas raízes

e voltar a ser criança...

 

ser povo , ser gente honesta,

não pode ser ilusão,

é ser povo é estar em festa

e viver com coração...

é doar, é proteger,

tornar os outros felizes,

é entrar dentro da alma

e ir beber às raízes.

 

fugindo dos sons aflitos,

me ausento do mundo e em calma

oro a Deus ... calo meus gritos...

minhas raízes são alma.

 

 

lasalete ... ( poemas de amor e dor)

6 de Março... 7,15 horas

neste momento eu estou ...:
publicado por lapieta@sapo.pt às 07:39

link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Novembro de 2007

flores no chão...

onde está a liberdade?

 

 

asas sem liberdade...

 

flores no chão...

 

lágrimas soltas...

 

medos ocultos...

 

não sei se de propósito... mas quando hoje se falava de violência no que respeita às mulheres, de repente passaram pela minha mente os rostos desta semana no Coração da Cidade...

 

esta semana , tive a possibilidade de contactar com cinco mulheres que estão sob o peso da violência... e com, outras tantas que são violentadas nos seus mais secretos desejos, que seriam se realizados , simplesmente a possibilidade de não passar fome nem mais um dia...

 

mas as mulheres que mais me comoveram foram mulheres mutiladas na sua liberdade, porque estiveram detidas, porque um dia resolveram dizer não à violência e de forma inesperada o seu golpe foi mais violento e a prisão passou a ser a sua casa durante muito tempo... quase infinitamente...

 

em liberdade, depois de terem pago a sua falta... estas mulheres continuam presas do preconceito e ficam sem possibilidades de sobrevivência...

 

como vão poder voar, se estão proibidas de serem livres ?...

 

uma delas ainda conseguiu trabalho... mas ... depois de confiar o seu segredo, a rua foi o lugar que a sua empregadora lhe indicou...

 

esta semana a vida  trouxe o recado da liberdade que não é consentida e das mulheres que serão penalizadas a vida inteira, como se aquela violência estivesse destinada a perpetuar-se...

 

senti-as tristes, com fome de serem livres ...

 

não sei se vou ser capaz de lhes reconstruir as asas... mas vou tentar...

 

vou voar com elas... vou mostrar a estas mulheres que sempre é possível recomeçar...

 

no Coração da Cidade, tivemos uma semana difícil , porque casos como estes foram lições de altíssima responsabilidade,...

 

os técnicos responsáveis , enviam para nós casos como estes,  porque têm a certeza que nunca negamos ajuda e levamos a sério nossas tarefas até ao fim...

 

que Deus ajude o nosso voo ...

 

uma semana de bom trabalho para todos vocês.... um grande braço...

 

lasalete

 

neste momento eu estou ...: atenta
publicado por lapieta@sapo.pt às 23:25

link do post | comentar | favorito

CORAÇÃO DA CIDADE ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ MOVIMENTO ECUMÉNICO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ VOLUNTARIADO EM ACÇÃO ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


a nossa sede na Rua Antero de Quental, nº 806- Porto

desde a inauguração desta casa que os voluntários têm sido um marco de coragem e abnegação




saiba porquê.....


O Coração da Cidade é:

é um espaço de solidariedade universal

com preocupações constantes de actualização

ao serviço permanente da comunidade onde está inserido

de conforto e amparo, servido apenas por voluntariado

onde todos os serviços prestados são e serão sempre gratuitos

promotor do voluntariado e intercâmbio associativo

O Coração da Cidade,

já estendeu a sua acção

a outros espaços do distrito do Porto

criando para o efeito

uma cadeia de Lojas Sociais ,

que lhe permitam

uma maior sensibilização

para o vuntariado

e ao mesmo tempo

detectar

novos focos de pobreza

venha até ao Coração da Cidade

faça-se voluntário

e ajude a servir,

os que mais necessitam de auxílio



CADEIA SOLIDÁRIA um euro uma razão para ajudar o Coração


é o que estamos necessitando neste momento ...

O Coração da Cidade inicou um pedido de ajuda para que seja posivel ultrapassar as suas dificuldades

associe a sua vontade de ajudar á nossa causa e contribua comnosco...

seja um amigo d'O Coração da Cidade

esperamos o seu

ajude-nos a ajudar ...

apenas um euro

Millenium BCP

0033 000000 239551298 05


gifs

ainda que eu fale a linguagem dos anjos e dos santos... se não tiver caridade nada sou...

posts recentes

guerra surda ... para que...

liberdade para o Egipto.....

UM DIA FOMOS ASSIM ...

ACORDAR PORTUGAL...

os cravos estão vermelhos...

voo livre... (poema)

minhas raízes são alma......

flores no chão...

caridade ...????????????

anjo branco do meu país.....

L I B E R D A D E

eu tenho um molho de crav...

as flores ... a liberdade...

nas asas do pensamento .....

negra esperança...

mais comentados

arquivos

tags

portugal

vida

porto

portoblogs

eu

amor

parlamento

actualidade

pobreza

solidariedade

politica

país

política

eu pensamento poesia blogs

blogs

poesia

eu pensamento blogs vida solidão pobreza

pensamento

solidão

pensamentos

todas as tags